Logo Mais Retorno
Economia

Projeção para a inflação em 2021 alcança dois dígitos, a 10,12%, com o IPCA do ano que vem já no centro da meta, diz Focus

Para 2022, as expectativas dos economistas para o indicador subiram de 4,79% para 4,96%

Data de publicação:22/11/2021 às 09:21 -
Atualizado 9 meses atrás
Compartilhe:

O relatório Focus, divulgado pelo Banco Central (BC) nesta segunda-feira, 22, coloca a inflação de 2021 pela primeira vez em dois dígitos. Segundo o boletim, que é feito a partir das projeções de economistas que atuam no mercado financeiro, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), para este ano, foi revisto de 9,77% para 10,12%. Há um mês, as projeções estavam em 8,96%.

Este é o 33ª reajuste para cima para o indicador, em um ciclo iniciado na semana de 9 de abril, quando o IPCA estava no patamar de 4,81% e, na ocasião, foi alterado para 4,85%.

Foto: Envato inflação de 2021
Projeções dos economistas para a inflação de 2021 seguem na esteira de alta e batem os dois dígitos, segundo o Focus - Foto: Envato

Para o ano que vem, o Focus também altera a expectativa para a inflação, subindo de 4,79% para 4,96%, o que coloca o indicador perigosamente no centro da meta estipulada pelo BC. O cenário mostra que a inflação somente deve convergir próximo ao centro da meta em 2022, quando o indicador deve atingir 4,96%, segundo as últimas estimativas.

Selic

Diferentemente da inflação, a expectativa para a taxa básica de juros da economia, a Selic manteve-se estável em 2021, em 9,25%,. Para 2022, as projeções apontam elevação de 11,00%, no boletim anterior, para 11,25%. Em 2023, as projeções foram mantidas em 7,75%.

PIB em queda

No sentido oposto, os especialistas acreditam em um crescimento cada vez menor para o País. De acordo com o Focus, as projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) caíram de 4,88% para 4,80%. Há um mês eram de 4,97%.

O mesmo movimento foi feito para estabelecer as novas previsões para o indicador em 2022. De 0,93% foram reduzidas para 0,70%. E ficaram estacionadas em 2,00% para o ano seguinte.

Já as estimativas para o câmbio foram mantidas em R$ 5,50, patamar do boletim anterior. Há quatro semanas, eram de R$ 5,45. Os economistas também preservaram suas apostas para o indicador em 2022 e em 2023, em R$ 5,50 e R$ 5,30, respectivamente.

O Índice Geral de Preços – Médio (IGP-M), que mede a inflação do aluguel, segue arrefecendo em 2021 e para 2022. De 18,54%, as expectativas caíram para 18,09% em 2021, e de 5,38% para 5,35% no ano subsequente. E ficaram em 4,00% para 2023.

Sobre o autor
Julia Zillig
Repórter do Portal Mais Retorno.
Mais sobre