Economia

O economista-chefe do BTG Pactual e ex-secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, afirmou que, com a melhora das contas externas, a taxa de câmbio brasileira só não está abaixo de R$ 5,00 hoje porque "estamos produzindo muitos ruídos".

Ele destacou que menções do governo a diferentes valores para a ampliação do Bolsa Família e riscos de aumento de outros gastos têm causado "tumulto". Mansueto ponderou, contudo, que, mesmo com a turbulência, o dólar não está caminhando para R$ 5,80 ou R$ 6,00, em função do quadro favorável no setor externo.

Mansueto: se País sinalizar compromisso com ajuste fiscal, câmbio fica em R$ 5,00 ou abaixo disso - Foto: Wikimedia Commons

O economista afirmou que, se o País mantiver o cumprimento das regras e sinalizar compromisso com o ajuste fiscal, o câmbio deve ficar em R$ 5,00 ou abaixo desse nível nos próximos anos. Ele citou que o déficit em transações correntes este ano deve ser pequeno, de R$ 2 bilhões - o melhor resultado desde 2007 -, enquanto o Investimento Direto no País (IDP) deve alcançar R$ 50 bilhões e aumentar nos próximos anos.

Dólar responde a incertezas do País, diz Mansueto

Já o estrategista-chefe da BTG Pactual Asset Management e ex-diretor do Banco Central, Tiago Berriel, afirmou ser um mistério o comportamento atual do dólar em meio à melhora das estatísticas fiscais, da reversão rápida do estímulo monetário e da melhora dos termos de troca. Mas ele mesmo ressaltou que a moeda brasileira parece estar respondendo às incertezas fiscais e institucionais atuais no País.

"Espero que a convergência do câmbio aos fundamentos não venha com deterioração de termos de troca. Espero que tenhamos tempo de usufruir no câmbio de termos de troca mais favoráveis", afirmou. Mansueto e Berriel participaram de painel no evento MacroDay 2021, promovido pelo BTG Pactual.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais