Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Apesar da cautela com risco fiscal, Bolsa sobe 0,29% na semana, puxada por commodities; dólar avança 1,59%

No dia, a Bolsa subiu 0,42%, após inverter sinal, e dólar anaçou 1,65%, a R$ 5,32

Data de publicação:01/07/2022 às 18:03 -
Atualizado um mês atrás
Compartilhe:

No primeiro pregão do segundo semestre de 2022, a Bolsa de Valores brasileira, a B3, inverteu o sinal e fechou em alta de 0,42%, aos 98.954 pontos, acompanhando a virada no exterior e com o desempenho positivo das ações da Petrobras, na esteira da alta do petróleo. O Ibovespa operou em queda durante a maior parte do dia, com as preocupações internas, com a elevação do risco fiscal, e externas, com a deterioração do cenário macroeconômico global.

Na semana a Bolsa fechou praticamente estável, com leve variação positiva de 0,29%. Durante os últimos cinco dias, o principal índice acionário do País oscilou entre altas, puxadas pelas empresas ligadas às commodities (principalmente petróleo e minério de ferro), e baixas, acompanhando, justamente, a cautela com risco fiscal e cenário macro.

Bolsa
Sede da B3, a Bolsa de Valores brasileira | Foto: B3/Divulgação

No entanto, mesmo com a valorização do Ibovespa, o dólar registrou altas expressivas, em uma busca dos investidores por proteção, já que esta divisa é considerada a mais segura do mundo. Nesta sexta-feira, 1, a moeda americana se valorizou 1,65% e fechou cotada a R$ 5,32. Já em relação ao fechamento da última sexta, a variação foi positiva em 1,59%.

De acordo com analistas do BTG Pactual, "o desempenho hoje foi em linha com a valorização global da moeda americana e com receios internos, especialmente no âmbito fiscal, com a aprovação da PEC dos Combustíveis, que eleva auxílios e cria novos benefícios para caminhoneiros e taxistas. O gasto, fora do teto, é de R$ 41,3 bilhões".

Sobe e desce na Bolsa

Maiores altas da Bolsa

EmpresaCódigoTabela
IRB BrasilIRBR3+6,40%
MRV MRVE3+5,12%
BRFBRFS3+4,78%
MarfrigMRFG3+4,13%
CieloCIEL3+4,00%
Fonte: B3

Maiores baixas da Bolsa

EmpresaCódigoTabela
Magazine LuizaMGLU3-5,98%
AmericanasAMER3-5,06%
CognaCOGN3-3,74%
JHSFJHSF3-3,43%
FleuryFLRY3-2,33%
Fonte: B3

Mercados internacionais

O segundo semestre de 2022 começou com aversão ao risco no exterior, com o mercado se preparando para mais uma fase de volatilidade nas bolsas em meio à alta da inflação e das taxas de juros, segundo o BTG Pactual. No entanto, os sinais inverteram nos mercados americanos e europeus e as bolsas fecharam em alta, com os investidores aproveitando as oportunidades.

Na agenda econômica do dia, mais dados de inflação. Na zona do euro, a inflação ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) atingiu 8,6% em maio, ante 8,1% em maio, segundo dados reportados pela Eurostat durante as primeiras horas do dia. Já o PMI industrial do bloco recuou para 52,1 pontos em junho, contra 54,6 em maio, porém acima do esperado pelo mercado, que projetava 52 pontos.

Fechamento das bolsas americanas

  • Dow Jones: alta de 1,05%
  • S&P 500: alta de 1,06%
  • Nasdaq 100: alta de 0,71%

Fechamento das bolsas europeias

  • Stoxx 600 (Europa): baixa de 0,01%
  • DAX (Frankfurt): alta de 0,23%
  • FTSE 100 (Londres): baixa de 0,01%
  • CAC 40 (Paris): alta de 0,14%

Fechamento das bolsas asiáticas

  • Xangai Composto (China): baixa de 0,32%
  • Shenzhen Composto (China): baixa de 0,21%
  • Nikkei (Japão): baixa de 1,73%
  • Kospi (Coréia do Sul): baixa de 1,17%
  • Taiex (Taiwan): baixa de 3,26%

Leia mais

Com Agência Estado

Sobre o autor
Bruna Miato
Repórter na Mais Retorno