Mercado Financeiro

A Bolsa de Valores fechou em alta residual de 0,02%, aos 110.585,43 pontos, nesta quinta-feira, 07, puxada pelas empresas do setor de commodities, com destaque para Vale e PetroRio, e acompanhando o bom-humor do mercado externo. No cenário internacional, notícias positivas vindas da China sobre a Evergrande e o acordo entre os parlamentares dos Estados Unidos para elevar o teto da dívida americana animaram os investidores neste pregão.

O Ibovespa chegou a subir mais, sustentando o patamar dos 111 mil pontos por boa parte do dia. Porém, o cenário de incertezas em relação à economia local reduziu a alta do índice ao fim do pregão.

Foto: Envato mercado bolsa
Foto: Envato

Mesmo com o alívio das tensões nos mercados de ações globais, o dólar viveu mais um dia de valorização frente às divisas emergentes, refletindo a cautela dos investidores diante de perspectiva de agravamento da crise energética global e a alta da inflação, o que desacelera o crescimento da economia. Com isso cresce a aversão ao risco, e os investidores passam a buscar proteção em uma moeda forte. A alta foi de 0,36% frente ao real, com a cotação de R$ 5,511 no encerramento dos negócios.

Os juros dos Treasuries - títulos da dívida pública americana, considerados os mais seguros do mundo - também subiram neste pregão, diante de expectativas com o relatório de empregos (payroll) americano de setembro, que será divulgado nesta sexta-feira, 8.

O que sustentou o ânimo dos investidores hoje foi a notícia de que o líder da maioria no Senado dos Estados Unidos, o democrata Chuck Schumer, conseguiu um acordo na Casa para estender o prazo do teto da dívida fiscal do país até o começo de dezembro. Segundo ele, é esperado que a votação da proposta ocorra ainda nesta quinta-feira.

Na véspera, o líder da minoria, senador Mitch McConnell, já havia adiantado que os republicanos no Senado permitiriam a aprovação da pauta. Com as informações, as principais bolsas de Nova York fecharam o dia no azul com ganhos expressivos. Os índices S&P 500, Dow Jones e Nasdaq 100 avançaram 0,83%, 0,98% e 0,88%, respectivamente.

Ainda no exterior, notícias animadoras da China. As ações da Chinese Estates, ex-acionista majoritária da Evergrande, gigante do setor imobiliário que passa por uma crise financeira, dispararam 31,72% em Hong Kong após o anúncio de uma oferta pública de aquisição de ações da empresa.

A companhia quer comprar os papéis dos acionistas minoritários por 4 dólares de Hong Kong cada, equivalente a mais de 1,9 bilhão de dólares de Hong Kong no total. A decisão é uma tentativa de blindar a empresa contra a crise da Evergrande, que tem uma dívida de US$ 300 bilhões.

De acordo com Rafael Ribeiro, analista da Clear Corretora, o movimento adotado pela Chineses Estates abre caminho para uma solução semelhante para que a Evergrande possa, pelo menos, saldar as dívidas com seus credores.

Cenário interno

A valorização dos papéis da Vale, que corresponde a cerca de 14% da carteira teórica do B3, foi a principal influência para manter a Bolsa no azul neste pregão. Com as informações sobre as empresas chinesas mais cedo, as perspectivas para o uso do minério de ferro melhoraram, uma vez que o setor imobiliário chinês é um dos que mais demandam a matéria-prima no mundo. Dessa forma, as ações da mineradora, que é exportadora do produto, avançaram 2,98%.

Ainda no campo das commodities, a PetroRio subiu 1,71%, com a expectativa dos investidores de que a Petrobras deve escolher a companhia para levar o campo de Albacora no projeto de desinvestimento da estatal.

Embora a PetroRio seja a favorita, a Petrobras esclareceu, mais cedo que "segue analisando as ofertas conforme os critérios de avaliação deste projeto e que, especificamente para Albacora Leste, iniciou processo de recebimento de novas propostas (rebid), seguindo normas internas da companhia", em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Após a declaração, as ações da PetroRio, que registravam alta, caíram 0,14%.

A maior alta do dia, no entanto, ficou por conta dos papéis do Banco Inter, que dispararam 12,06%, após alguns pregões de quedas acentuadas. Em fato relevante, a empresa informou que contratou o Bank of American (BofA), Bradesco BBI, JP Morgan e Itaú BBA como assessores financeiros para promover sua reorganização societária.

Ribeiro explica que a valorização do Ibovespa só não foi maior por conta da alta dos juros futuros, que ajudou a derrubar as empresas do setor doméstico, em especial as varejistas. A maior alta do dia ficou por conta dos contratos com vencimento em abril de 2023, que tiveram uma variação positiva de 0,11%, com taxa de 9,405%.

Os últimos dados econômicos divulgados ao longo desta semana, em especial a produção industrial e as vendas no comércio, vieram abaixo das expectativas dos analistas, "o que reduz ainda mais a expectativa de crescimento e, assim, de lucro para as empresas", explica Ribeiro. As atenções do mercado estão voltadas, agora, para a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de setembro, considerado a inflação do País que acontecerá nesta sexta, 8.

As ações da Via, Magazine Luiza e Lojas Americanas caíram 4,06%, 2,97% e 2,82%, refletindo as incertezas econômicas locais.

No mesmo cenário, os bancões, que respondem por cerca de 17% do portfólio do Ibovespa, também viveram um dia de fortes quedas, segurando uma alta maior do índice. Itaú, Bradesco e Santander recuaram 2,12%, 2,50% e 1,47%, na sequência.

Imagem do autor

Repórter na Mais Retorno

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais