Logo Mais Retorno
Bolsa
Mercado Financeiro

Bolsa opera em baixa no primeiro pregão do ano; dólar avança

Confira os movimentos do pregão desta segunda-feira, 03

Data de publicação:03/01/2022 às 12:04 -
Atualizado 9 meses atrás
Compartilhe:

A Bolsa de Valores opera com bastante volatilidade nesta segunda-feira, 03, primeiro pregão de 2022, acompanhando os mercados internacionais e pressionada pela alta dos juros futuros. Às 15h50, o Ibovespa registrava queda de 0,55%, aos 104.248 pontos, depois de abrir e operar em terreno positivo nas primeiras horas desta manhã. No mesmo horário, o dólar avançava 1,45%, negociado a R$ 5,66.

De acordo com análise do BTG Pactual Digital, no radar dos investidores seguem as expectativas em relação ao aumento das taxas de juros pelo mundo neste ano, inclusive nos Estados Unidos - o que pode beneficiar os títulos públicos americanos, considerados os títulos mais seguros do mundo, levando a uma redução nos investimentos em ativos de risco.

Bolsa de Valores
Logo da B3, a Bolsa de Valores brasileira

O mercado também permanece atento às novas notícias sobre a ômicron, a variante do coronavírus. Até aqui, o que se sabe sobre esta cepa é que seu nível de transmissão é mais alto do que as cepas anteriores, mas a variante apresenta um risco menor de casos graves e mortes.

A alta dos juros futuros, refletindo expectativas de aperto monetário por aqui e também nos EUA. Juros mais altos afetam as bolsas pela concorrência da renda fixa, que se torna mais atrativa, e por tornar o crédito mais caro, prejudicando o crescimento das empresas e o consumo.

Cenário doméstico: projeções macroeconômicas

Por aqui, os investidores repercutem a divulgação do primeiro Relatório Focus do ano, reunindo as projeções de dezenas de economistas do mercado ouvidos pelo Banco Central (BC) para a economia brasileira. As expectativas para a inflação em 2022 são de mais um ano com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acima do teto da meta do BC, de 5%. A mediana das projeções aponta para um IPCA de 5,03% ao fim do ano.

Já as expectativas para a Selic, taxa básica de juros, são de 11,50% ao ano para 2022, ante 11,25% há quatro semanas. Os especialistas esperam que a taxa caía para o patamar de 8% ao ano em 2023 e para 7% ao ano em 2024. As projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro neste ano continuam em queda, passando de um avanço de 0,42% há sete dias para uma alta menos expressiva, de 0,36%, nesta semana.

Com as estimativas apresentadas pelo Focus, as empresas varejistas - as mais ligadas ao consumo doméstico e, consequentemente, as mais impactadas por um baixo crescimento enquanto a inflação e os juros sobem - apresentam as maiores quedas do dia na Bolsa. Já os bancos e as empresas ligadas às commodities registraram as maiores altas do dia.

Sobe e desce na Bolsa

Maiores altas da Bolsa

EmpresaCódigoVariação
Itaú UnibancoITUB4+3,08%
BradescoBBDC4+2,55%
BradescoBBDC3+2,47%
PetrobrasPETR3+2,41%
SantanderSANB11+2,17%
Fonte: B3 | Atualizado às 16h

Maiores baixas da Bolsa

EmpresaCódigoVariação
JHSFJHSF3-6,27%
CyrellaCYRE3-6,15%
Alpargatas ALPA3-5,97%
EZTC ConstrutoraEZTC3-5,72%
MeliuzCASH3-5,56%
Fonte: B3 | Atualizado às 16h

Mercados internacionais

Estados Unidos

Às 16h, os principais índices americanos registravam as variações a seguir:

  • S&P 500: alta de 0,40%
  • Dow Jones: alta de 0,39%
  • Nasdaq 100: queda de 1,73%

Europa

Às 16h, os principais índices europeus registravam as variações a seguir:

  • Stoxx 600: alta de 050%
  • FTSE 100 (Londres): baixa de 0,25%
  • DAX (Frankfurt): alta de 0,86%%
  • CAC 40 (Paris): alta de 0,90%
  • PSI 20 (Lisboa): alta de 1,23%
  • Ibex 35 (Madrid): alta de 0,54%
Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!

Inscreva-se em nossa newsletter