Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Bolsa opera em terreno negativo, com paralisações de servidores públicos no radar; juros avançam, mas dólar cai

Confira as movimentações do mercado financeiro nesta terça-feira, 04

Data de publicação:04/01/2022 às 11:34 -
Atualizado 6 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A Bolsa de Valores opera em baixa no pregão desta terça-feira, 04, na contramão dos mercados exteriores. Às 16h30, o Ibovespa registrava leve queda de 0,42%, aos 103.486 pontos, enquanto a curva de juros futuros trafega em terreno positivo nesta tarde. No mesmo horário, o dólar recuava 0,13%, negociado a R$ 5,69, depois de operar em alta durante toda a manhã.

Apesar dos dados positivos divulgados na Europa e na China mais cedo, o mercado brasileiro vive mais um dia de cautela e temor com as ameaças de paralisações de servidores públicos, que protestam em busca de reajustes salariais. Na véspera, o Sindicato de Funcionários do Banco Central decidiu que vai aderir à paralisação. Vale lembrar que o presidente Jair Bolsonaro concedeu reajustes somente aos policias, uma de suas principais bases de apoio. As demais categorias reivindicam o mesmo tratamento.

mercado bolsa de valores
Bolsa vive mais um dia de quedas

Além da percepção de risco fiscal que um possível reajuste para os servidores públicos traz ao mercado, a equipe de Research do BTG Pactual Digital comenta que a perspectiva de alta nas taxas de juros dos Estados Unidos também impacta os investidores. Com os juros mais altos nos EUA, os títulos públicos americanos, os mais seguros do mundo, se tornam mais atrativos, o que prejudica ativos de risco, principalmente em países emergentes, como o Brasil.

Juros futuros

Os juros futuros abriram perto da estabilidade nesta terça-feira, 4, mas ganharam tração junto com o dólar desde então e exibiam leve alta, dando continuidade ao movimento da véspera, com dólar mais forte diante da possibilidade de alta de juros nos Estados Unidos e preocupações de mais gastos públicos em meio à pressão dos servidores.

Às 14h08, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) que mais avançava era a com vencimento para setembro de 2024, com alta de 0,28%, seguida pelos contratos com vencimento em outubro de 2022, que subiam 0,27%.

Sobe e desce na Bolsa

Principais destaques corporativos

De acordo com a Necton, os principais destaques no noticiário corporativo desta terça-feira ficam por conta da JBS, da AES Brasil e da Energisa.

  • A JBS informou, mais cedo, que concluiu a aquisição da Rivalea, empresa líder na criação e processamento de suínos na Austrália;
  • A AES Brasil celebrou na segunda-feira, 3, com o Itaú Unibanco um acordo de investimentos para projetos de geração de energia renovável;
  • Na véspera, a Energisa comunicou que o Conselgo Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a aquisição do controle da companhia Geogroup Paranaíta Transmissora de Energia (SPE).

Os analistas do BTG Pactual Digital comentam, também, que o dia deve ser movimentado para a JBS e a Marfrig, principais exportadoras de proteína do Brasil, além de outras empresa do setor após o presidente dos EUA, Joe Biden, anunciar um plano para aumentar a competitividade no setor de carnes dentro do mercado americano.

Maiores altas do dia na Bolsa

EmpresaCódigoVariação
CSN MineraçãoCMIN3+4,68%
MarfrigMRFG3+3,10%
KlabinKLBN11+2,66%
GerdauGOAU4+2,75%
3R Petroleum RRRP3 +2,78%
Fonte: B3 | Atualizado às 14h10

Maiores baixas do dia na Bolsa

EmpresaCódigoVariação
Banco InterBIDI11-7,07%
LocawebLWSA3-6,67%
Banco PanBPAN4-5,57%
Grupo NaturaNTCO3-5,10%
MéliuzCASH3-4,92%
Fonte: B3 | Atualizado às 14h13

Estados Unidos

Os principais índices americanos abriram em alta neste pregão, com os investidores repercutindo os dados positivos de economias da Europa e da China. No entanto, ao longo da tarde alguns desses índices inverteram o sinal, num movimento de realização de lucros após a forte alta registrada na véspera

Às 14h15, as variações eram as seguintes:

  • S&P 500: baixa de 0,03%
  • Dow Jones: alta de 0,69%
  • Nasdaq 100: baixa de 1,67%

Dados econômicos na Europa

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial do Reino Unido caiu de 58,1 em novembro para 57,9 em dezembro, segundo dados finais publicados nesta terça-feira pela IHS Markit em parceria com a CIPS. A leitura definitiva ficou acima da estimativa preliminar de dezembro, de 57,6, e também da previsão de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de 57,5.

Apesar da queda, o resultado bem acima da marca de 50 indica que o setor manufatureiro britânico seguiu se expandindo em ritmo significativo no mês passado.

Já na Alemanha, de acordo com dados com ajustes sazonais publicados nesta manhã pela Destatis, as vendas no varejo subiram 0,6% em novembro ante outubro de 2021.

O resultado surpreendeu analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam queda de 0,5% no período. Em relação a um ano antes, por outro lado, o setor varejista alemão vendeu 2,9% menos em novembro. Para o fechamento de 2021, a Destatis estima que as vendas no varejo cresceram 0,9% ante 2020 em termos reais e subiram 3,1% em termos nominais.

Desempenho das bolsas europeias

Com a divulgação de dados positivos no continente, as bolsas europeias vivem mais um pregão positivo, apesar das preocupações com a ômicron, nova variante do coronavírus, permanecerem no radar dos investidores.

Às 14h17, os índices europeus registravam as seguintes variações:

  • Stoxx 600: alta de 0,78%
  • FTSE 100 (Londres): alta de 1,63%
  • DAX (Frankfurt): alta de 0,82%
  • CAC 40 (Paris): alta de 1,39%
  • PSI 20 (Lisboa): alta de 0,58%
  • Ibex 35 (Madrid): alta de 0,39%

PMI chinês anima os mercados asiáticos

As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam majoritariamente em alta nesta terça-feira, 4, após dados encorajadores da manufatura chinesa. Pesquisa da IHS Markit e da Caixin Media revelou que o índice de gerentes de compras (PMI) industrial da China subiu para 50,9 em dezembro, alcançando o maior patamar desde junho e indicando que o setor manufatureiro voltou a se expandir após dois meses de contração.

  • Nikkei (Japão): alta de 1,77%
  • Hang Sang (Hong Kong): alta de 0,06%
  • Kospi (Coréia do Sul): alta de 0,02%
  • Taiex (Taiwan): alta de 1,40%
  • Xangai Composto (China continental): baixa de 0,20%
  • Shenzhen Composto (China continental): baixa de 0,10%

Oceania

Na Oceania, a bolsa australiana avançou para o maior nível em mais de quatro meses na primeira sessão de 2022. O S&P/ASX 200 subiu 1,95% em Sydney, a 7.589,80 pontos, patamar mais alto desde o dia 13 de agosto. Com informações da Dow Jones Newswires. / com Agência Estado

Sobre o autor
Bruna Miato
Repórter na Mais Retorno