Logo Mais Retorno
Fundos de Investimentos

Alta da Bolsa foi de 6,98%, mas fundos de ações renderam mais de 20% em janeiro; veja ranking exclusivo

Entre os 10 mais rentáveis, 6 têm a carteira formada por uma só ação

Data de publicação:10/02/2022 às 00:30 -
Atualizado 3 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A recuperação da Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, em janeiro escancarou o caminho também para o vistoso desempenho dos fundos de ações, que brilharam até mais que o Ibovespa (Índice Bovespa) no primeiro mês do ano. O principal índice da B3 acumulou valorização de 6,98%, enquanto a rentabilidade dos dez fundos mais bem performados, dentre os 517 pesquisados pela Mais Retorno, variou entre 20,58% e 14,72% - três deles renderam acima de 20%.

A composição da lista dos dez fundos mais rentáveis de janeiro chama a atenção por três aspectos. O primeiro é que são todos fundos de grandes bancos de varejo, os bancões, sem a presença de nenhum produto de gestora independente; o segundo é que seis deles são fundos monoações, com a carteira formada por ações de uma única empresa; e os quatro restantes da lista têm a carteira mesclada por ativos setoriais, no caso ligado a empresas de serviços financeiros diversos.

FundosComposição
carteira
Patrimônio
R$ milhões
Rend. janRend. 12 meses
Itaú Unibanco Ações HoldingMono26,220,58%11,31%
Itaú Index Itaú Uni. AçõesMono47,020,52%10,66%
Itaú Unibanco AçõesMono127,420,33%8,28%
Bradesco FIA BradescoMono45,818,54%4,63%
BB Ações Setor FinanceiroSetoriais223,416,79%-7,61%
FIA Caixa Indexa S. FinanIndexados25,116,66%-6,99%
Safra Setorial Bancos PBSetoriais112,314,92%-4,04%
Itaú Ações PetrobrasMono281,414,79%54,22%
Itaú Index PetrobrasMono83,514,72%53,77%
Safra Setorial BancosSetoriais98,414,72%-6,01%
Fonte: Mais Retorno

Qual seria a estratégia de fundos com essas características nas mãos de grandes bancos para um desempenho tão bem-sucedido em janeiro? O especialista Luís Felipe Vieira, da SVN, comenta que os grandes bancos costumam concentrar em produtos segmentados que outras instituições com gestão ativa não fazem. E a estratégia dos bancões parece ter apostado fichas em ações de empresas de commodities, como Petrobras e Vale, que se valorizaram bem em janeiro. 

O Itaú Ações Petrobras FI, um fundo monoação ancorado em ações da estatal de petróleo, rendeu 14,79% e o Itaú index Petrobras Ações FIC FI, 14,72% - pouco acima da valorização de 13,71%de PETR 4, mas ligeiramente abaixo de PETR3, que subiu 14,89%, em janeiro.  A ação da mineradora Vale, outro ativo costumeiramente presente em fundos monoações, teve valorização de 9,37% em janeiro.

Fundos monoações que concentraram o portfólio em Vale e Petro se deram bem em janeiro, comenta Luís Felipe. “Mas não vejo os bancos fazendo boa gestão, é possível que tenha sido uma performance sazonal.”  Os fundos com essas carteiras podem ter ido bem porque esses ativos específicos se valorizaram em janeiro, mas a questão é saber se é um resultado consistente e permanente, questiona. 

Fundos de ações
Foto: Reprodução CM Capital

Uma dúvida que deve ser levada em conta quando se compara o desempenho de janeiro com os resultados acumulados nos últimos 12 meses. Todos os quatro fundos monoações da ponta da tabela acumularam rendimento positivo no período, comparado com o Ibovespa, que recuou 2,54%. O resultado desses fundos no período, no entanto, é menor que a valorização obtida em janeiro.

A exceção, no grupo de monoações, são o Itaú Ações Petrobrás FI, que rendeu 14,79% em janeiro e acumula rendimento de 54,22% em 12 meses, e o Itaú Index Petrobrás Ações FIC FI, que rendeu 14,72% em janeiro e acumula 53,77% no período de 12 meses.

A disparidade, ainda mais destacada, é verificada também fora dos fundos monoações. São os produtos com carteira de ativos ligados ao setor de serviços financeiros. Todos os quatro produtos desse segmento, que brilharam em janeiro, acumulam rendimento negativo em 12 meses.

O BB Ações Setor Financeiro FIC FI rendeu 16,79% em janeiro, mas recua 7,61% em 12 meses; o FIA Caixa Indexa Setor Financeiro rendeu 16,66% em janeiro, mas recua 6,99% em 12 meses; o Safra Setorial Bancos PB FIC FIA rendeu 14,92% em janeiro, mas recua 4,04% em 12 meses; e o Safra Setorial Bancos FIC FIA rendeu 14,72% em janeiro, mas recua 6,01%.

BB Ações Setor Financeiro FIC FI – é um fundo que investe no mínimo 95% dos recursos da carteira em cotas de fundos de investimento que têm em portfólio ações emitidas por empresas dos setores de intermediários financeiros, serviços financeiros diversos e operações compromissadas - aplicação de um dia (overnight) em títulos públicos federais.

FIA Caixa Indexa Setor Financeiro – é um fundo que procura acompanhar a variação do Índice Financeiro – IFNC (índice da B3 formado por uma carteira teórica de ativos representativos de setores de intermediários financeiros, previdência e seguros.

Safra Setorial Banco PB – é um fundo com gestão ativa que busca rentabilidade por meio da escolha de ativos fundamentada no potencial de crescimento das empresas.

A reação da Bolsa e dos fundos de ações

A reação do mercado de ações foi sustentada pelo ingresso de R$ 35,1 bilhões de investimento estrangeiro na bolsa de valores, o segundo maior volume líquido em dez anos, de acordo com os dados da B3. Enquanto o capital externo comprava papeis com renovado apetite, principalmente os ligados a commodities, os fundos de ações atuavam na venda.

De acordo com dados da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), os fundos de ações tiveram retiradas líquidas (depósitos menos saques) de R$ 10,6 bilhões em janeiro, o quinto mês seguido de resgates líquidos. Setembro registrou saldo negativo de R$ 2,162 bilhões; outubro, de R$ 2,907 bilhões; novembro, de R$ 2,277 bilhões, e dezembro, de R$ 3,418 bilhões.

A sangria de recursos patrocinada pelos investidores não empanou o brilho da maior parcela de produtos dessa classe de ativos. Do universo total de fundos de ações (todos com mais de 60 cotistas, patrimônio acima de R$ 17 milhões, mais de um ano de existência e abertos ao público) abarcados pelo levantamento da Mais Retorno, 121 entregaram rendimento acima 6,98% do Ibovespa, o benchmark desses fundos.

E, do total de 517 fundos pesquisados, 403 acumularam rendimento acima de 1%, portanto proporcionaram ganho real positivo, acima da inflação de 0,54% do mês, aos cotistas. Fecharam janeiro com rentabilidade tingida de vermelho, ou com sinal negativo, 97 dos fundos de ações do universo total de levantamento pela Mais Retorno.

Os que não saíram bem na foto

Na análise da metade do copo vazio, os três fundos com pior desempenho em janeiro, no universo considerado para análise, foram: Miles Singular Global Tech USD FIC FIA , -19,76%; JGP Health Care FIC FIA IE, -16,36%; Vitreo Tech Select FIA BDR Nível I, -16,15%.

Leia mais

Sobre o autor
Tom Morooka
Colaborador do Portal Mais Retorno.