Open Nav

Imobilização do Patrimônio Líquido

O que é Imobilização do Patrimônio Líquido?

A Imobilização do Patrimônio Líquido, é um índice de endividamento utilizado para avaliar empresas pela ótica da análise fundamentalista.

Antes de entrar diretamente nesse importante indicador de endividamento, uma breve introdução sobre o papel das demonstrações financeiras na análise de uma companhia.

Ela sempre se inicia por meio dos seus documentos contábeis (entre os quais estão):

Com a finalidade de subsidiar o processo decisório de seus vários stakeholders:

  • Acionista: comprar (ou vender) uma ação;
  • Gestores: manter (ou não) um determinado modelo de negócios;
  • Credores: avaliar a possibilidade de recuperação de uma dívida;
  • Conselho de Administração: aprovar a distribuição de lucros e dividendos;
  • Empresas de consultoria: coletar dados estatísticos.

Entre os índices que podem auxiliar nessa tarefa estão os de endividamento e liquidez, que informam a situação financeira da empresa, além do índice de rentabilidade, que traz dados sobre a sua situação econômica.

Eles são utilizados para a análise setorial (comparação entre concorrentes), temporal (mesma empresa, mas em anos distintos) ou para uma combinação das duas.


Como é calculada a Imobilização do Patrimônio Líquido (IPL)?

A Imobilização do Patrimônio Líquido, usada para se informar sobre a estrutura de capital de uma empresa (relação entre capital próprio e de terceiros), é calculada da seguinte forma:

IPL = (AP/PL) X 100

Onde:

Quanto menor o índice, melhor. Isso porque o PL serve essencialmente para a formação do Ativo Circulante (AC), de maior liquidez, e do Ativo Permanente (AP). Se a empresa gasta mais recursos no AP, tenderá a buscar capital de terceiros (dívida) para as suas atividades diárias.

Entretanto, é preciso estar atento a algumas peculiaridades. O setor de serviços pode servir de exemplo. No caso das operadoras de planos de saúde, algumas podem apresentar um IPL bastante elevado.

O que isso mostra é que elas optaram por trabalhar com hospitais próprios, o que não é necessariamente ruim, visto que possuem um controle maior sobre os gastos quando comparadas com as operadoras que adotam o modelo de redes conveniadas.

O importante é que a empresa possa funcionar sem precisar recorrer aos bancos a todo momento. Dito isso, o IPL serve para decidir sobre a viabilidade de se contratar operações de leasing ou a conveniência de se alugar as instalações de terceiros.

Além do IPL, quais são os principais índices de endividamento?

São eles:

Participação de Capital de Terceiros (PCT)

Mostra o grau de dependência de capital de terceiros (bancos e fornecedores):

PCT = (CT/PL) X 100

Onde:

Quanto menor esse índice, menor a exposição à oscilação na taxa de juros.

Composição do Endividamento (CE)

Mostra a proporção de passivos de curto prazo:

CE = (PC/CT) X 100

Onde:

Empresas com alto grau de endividamento de curto prazo oferecem mais riscos de inadimplência do que outras, com dívidas de longo prazo, especialmente se elas estiverem atreladas à expansão de capacidade.

Imobilização de Recursos não Correntes (IRC)

Indica a proporção de recursos não correntes no Ativo Permanente (AP):

IRC = (AP/(PL + PNC)) X 100

Onde:

Por esse índice, percebe-se a composição de capital próprio (PL) e dívida de longo prazo na estrutura operacional da empresa.

Como investimentos de longo prazo são garantidos pelos próprios equipamentos adquiridos, dificilmente esse indicador supera 100%.

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão


Conheça também os termos relacionados