Logo Mais Retorno

Siga nossas redes

  • Instagram Mais Retorno
  • Youtube Mais Retorno
  • Twitter Mais Retorno
  • Facebook Mais Retorno
  • Tiktok Mais Retorno
  • Linkedin Mais Retorno
Dinheiro_JoseCruz_AgenciaBrasil.jpg
Finanças Pessoais

Título do Tesouro Direto poderá ser usado como garantia para aluguel e vaquinha virtual

Para popularizar ainda mais os investimentos, também está previsto o lançamento de papéis para produtos específicos, como para educação e formato de cartões de presente

Data de publicação:27/04/2023 às 18:06 -
Atualizado 10 meses atrás
Compartilhe:

O governo prepara um pacote para tentar popularizar ainda mais o Tesouro Direto, a modalidade de renda fixa em que os investidores compram dívidas do governo. A ideia é que, até julho, os títulos públicos possam ser usados como garantias de financiamentos e como caução de aluguel, por exemplo. Também está previsto o lançamento de papéis para produtos específicos, como para educação, formato de cartões de presente e ainda para realização das populares "vaquinhas".

Além disso, poderá ser usado como um diferencial para empresas reterem funcionários por meio de contrapartida a destinação da aplicação pelo empregado em títulos que serão usados pelos filhos.

Focus
Títulos da dívida pública servirão de lastro para vários produtos financeiros - Foto: Reprodução

"Estamos colocando muita prioridade no programa Tesouro Direto e vamos lançar um pacotão de coisas muito bacanas para popularizá-lo, criar um contexto para que cheguem à baixa renda", diz o secretário do Tesouro Nacional, Rogério Ceron.

Além do impacto para as famílias, a nova empreitada prevista para o Tesouro Direto prevê medidas para fomentar a política pública. Ainda esta semana, Ceron terá reuniões com a B3, plataforma em que os títulos são negociados, para acertar os detalhes sobre como serão os formatos dos novos produtos.

"Temos os títulos como prioridade zero e devemos lançar as novidades em julho, com a comercialização, a batida do martelo na B3, prevista para agosto", projetou.

Potencial para crescer mais

Em março, os investimentos no Tesouro Direto somaram R$ 6,8 bilhões - um recorde mensal - e o estoque é de R$ 110 bilhões. Do total de 23,7 milhões de pessoas que já aplicaram nesses títulos ao longo das duas décadas de existência, 2,1 milhões têm contas ativas.

"Depois de 20 anos de existência, o Tesouro Direto cresceu muito, mas está ainda muito aquém do potencial. Vamos dar um empurrãozinho", disse o secretário, explicando que decidiu montar uma estrutura dedicada apenas a esses títulos no atual governo, passando a ter uma coordenação geral.

Entre as frentes que serão abertas para esse investimento, está a de poder usar os títulos para financiamentos bancários e para a compra de automóveis, entre outros. "Se eu já tenho Tesouro Direto para minha aposentadoria, posso usar os títulos como garantia. Isso ajudaria a reduzir os custos", previu Ceron.

Os papéis também poderão ser usados como caução no aluguel de um imóvel. Atualmente, o locatário precisa encontrar um fiador ou deixar algum período do aluguel depositado antecipadamente. Neste caso, o dinheiro fica parado, sem rendimentos. A intenção, de acordo com o secretário, é que fintechs encontrem soluções para lastrear este tipo de produto. As próprias imobiliárias ou seguradoras poderiam também oferecer a alternativa a seus clientes que tenham títulos públicos.

Tesouro na educação

Além dos casos que os investimentos servem como ponto de partida para outras operações, Ceron disse que há a intenção também de estimular a poupança no Brasil. Depois do sucesso do Renda+, voltado para aplicações voltadas à aposentadoria, o governo trabalha agora para lançar um título voltado ao ciclo educacional, em especial para o período universitário.

Uma das ideias em elaboração é um papel com vencimento de três a 18 anos voltado para pais que queiram se programar para pagar pelo menos parte dos custos com a universidade. Assim, mesmo quem conta com um filho no ensino médio teria como começar a economizar. "Está claro que, quanto mais tempo de acumulação, melhor."

Ao contrário dos títulos tradicionais, que podem realizar pagamentos todos os meses, o retorno ocorrerá com parcelas fixas num período de quatro a cinco anos, durante o tempo da faculdade. "É uma forma de ir poupando. Como a taxa de juro é a mesma do mercado, é bem atrativa, então gera mais rentabilidade do que poupança, por exemplo", comparou Ceron. Se o jovem acabar sem frequentar uma faculdade, os recursos poderão ser sacados da mesma forma, de acordo com a decisão do investidor.

Também na linha educacional, o secretário disse que prevê usar títulos como este para fomentar programas de políticas públicas, com incentivos, por exemplo, para alunos da rede estadual. O gestor poderá comunicar que alunos que concluírem o ensino médio, por exemplo, poderão receber recursos do governo local, que terá adquirido os papéis do Tesouro. "Estamos trabalhando para customizar o produto de modo que possam ser políticas públicas para o Estado que adquirem títulos e possam dar bolsas", exemplificou. A expectativa é a de que, com iniciativas como esta, possa se quebrar o ciclo de pobreza de uma geração a outra no futuro.

Ceron disse que a Secretaria trabalha em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que conta com um estudo sobre como incentivos como este não apenas ajudam o desempenho escolar como também colaboram para diminuir a evasão, já que muitos estudantes passam a ter um horizonte. "A ideia é popularizar muito mesmo o Tesouro Direto e queremos que todas as crianças tenham um cadastro no programa", afirmou. O secretário lembrou que é possível comprar papéis a partir de R$ 30,00.

Vaquinha

Outra forma de acumular poupança seria por dois outros tipos de novos produtos. Um deles é por meio de gift cards para amigos, parentes ou mesmo crianças. Outro é por investimento coletivo dentro de uma família, por exemplo. "Pais, padrinhos, tios e avós podem criar um funding para o ciclo universitário", disse, explicando que aplicações por meio de débito automático serão opções disponíveis.

Mais um formato em desenvolvimento é o de contrapartida de empresas em aplicações que seus funcionários possam fazer no Tesouro Direto para investimentos com foco nos filhos. "Isso terá um apelo gigantesco nas empresas, não tenho dúvidas. Isso deve aumentar o engajamento do funcionário com a empresa, pois o apelo é ainda maior do que com um modelo similar já feito atualmente para a previdência", comparou. / / Agência Estado

Leia mais:

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!

® Mais Retorno. Todos os direitos reservados.

O portal maisretorno.com (o "Portal") é de propriedade da MR Educação & Tecnologia Ltda. (CNPJ/MF nº 28.373.825/0001-70) ("Mais Retorno"). As informações disponibilizadas na ferramenta de fundos da Mais Retorno não configuram um relatório de análise ou qualquer tipo de recomendação e foram obtidas a partir de fontes públicas como a CVM. Rentabilidade passada não representa garantia de resultados futuros e apesar do cuidado na coleta e manuseio das informações, elas não foram conferidas individualmente. As informações são enviadas pelos próprios gestores aos órgãos reguladores e podem haver divergências pontuais e atraso em determinadas atualizações. Alguns cálculos e bases de dados podem não ser perfeitamente aplicáveis a cenários reais, seja por simplificações, arredondamentos ou aproximações, seja por não aplicação de todas as variáveis envolvidas no investimento real como todos os custos, timming e disponibilidade do investimento em diferentes janelas temporais. A Mais Retorno, seus sócios, administradores, representantes legais e funcionários não garantem sua exatidão, atualização, precisão, adequação, integridade ou veracidade, tampouco se responsabilizam pela publicação acidental de dados incorretos.
É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos, ilustrações ou qualquer outro conteúdo deste site por qualquer meio sem a prévia autorização de seu autor/criador ou do administrador, conforme LEI Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.
® Mais Retorno / Todos os direitos reservados