Última modificação em 30 de março de 2021

O que é Índice de Ações com Governança Corporativa Diferenciada (IGC B3)?

O Índice de Ações com Governança Corporativa Diferenciada (IGC B3) reúne as ações das empresas que têm a melhor governança, segundo os critérios da B3 e, juntas, compõem um índice que pode ser considerado referência para análises fundamentalistas.

A governança corporativa, aliás, é um sistema que ajuda na gestão profissional da companhia, aumentando seu valor no mercado. A premissa desta prática é fazer com que os sócios, a diretoria e outros órgãos priorizem o desenvolvimento da empresa, além de deixarem claro o posicionamento estratégico do negócio para os investidores.

É possível consultar as ações do IGC B3 e sua proporção de participação no próprio site da Bolsa, como a ALPA3 (Alpargatas) que integra 0,01% do índice. Estes são alguns dos critérios para a entrada de uma empresa:

Entendendo alguns dos critérios do IGC B3

O IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa) define quem são as empresas do Novo Mercado, Nível 1 e 2.

Novo Mercado

A categoria Novo Mercado indica as empresas que adotam, por livre e espontânea vontade, medidas de governança corporativa adicionais as que já existem na legislação.

Dessa forma, todo o seu capital é composto por ações ordinárias que dão direito a voto para o investidor, os seus acionistas tem direito a vender as ações pelo mesmo preço do controlador e, ainda, as companhias têm Auditoria Interna, Compliance e Comitê de Auditoria.

Nível 1

Já as empresas do Nível 1 tem free float mínimo de 25%, isto é, proporção de ações que têm livre circulação no mercado e também divulgam um calendário anual de eventos internos.  

Elas também assumem o compromisso de disponibilizar os formulários de ITR (Informações Trimestrais) e IAN (Informações Anuais), nos quais estão expostas as demonstrações financeiras, as quantidades e, inclusive, as características dos valores mobiliários de emissões das companhias e a evolução dessas posições.

Nível 2

As do Nível 2, por sua vez,  possuem algumas ações preferenciais (em vez de exclusivamente ordinárias), além dos requisitos das de Nível 1. Adicionalmente, elas divulgam demonstrações financeiras de acordo com padrões internacionais de contabilidade IFRS, adotam um conselho de administração com o mínimo de cinco membros e mandato unificado de até dois anos, entre outras medidas.

A B3 também impõe critérios que excluem a entrada no Índice: BDRs e ativos de companhias que estão em recuperação judicial ou extrajudicial, além das empresas que estão em regime especial de administração temporária e intervenção.

O que leva uma empresa a buscar o IGC B3?

Vantagem competitiva e segurança e satisfação aos acionistas são os principais motivos. Na prática, o alcance desses desejos se traduz em manutenção ou aumento da alocação dos recursos dos investidores nas empresas.

Outros pontos de destaque é a maior precisão na precificação das ações, mais segurança quanto aos direitos dos acionistas, maior qualidade das informações e também menos riscos.

Para o mercado, vê-se as seguintes vantagens:

Ou seja, as razões de entrar para o IGC B3 são as mesmas de ter uma boa governança corporativa, a diferença é que o índice proporciona uma credibilidade a mais.

Você tem interesse de entender melhor o que é Governança Corporativa? Acesse este conteúdo e continue aprendendo!

Termo do dia

ISE – Índice de Sustentabilidade Empresarial

O que é ISE? O ISE – sigla correspondente a “Índice de Sustentabilidade Empresarial” – é um recurso utilizado para mensurar qual o nível de sustentabilidade que as…