Logo Mais Retorno
Economia

Produção industrial sobe 0,3% em outubro, puxada por alimentos, mostra IBGE

O setor acumula perda de 0,8% no ano e, nos últimos 12 meses, queda de 1,4%

Data de publicação:02/12/2022 às 09:53 -
Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:

A produção industrial avançou 0,3% na passagem de setembro para outubro, após dois meses seguidos de queda. Dos 26 segmentos pesquisados, apenas 7 apresentaram crescimento no período. De acordo com as informações divulgadas pelo IBGE nesta sexta-feira, 02, a indústria encontra-se 2,1% abaixo do patamar pré-pandemia (fevereiro de 2020).

O setor está 18,4% abaixo do nível recorde atingido em maio de 2011. Na comparação com outubro de 2021, a indústria registrou um avanço de 1,7%. No ano, a produção industrial acumula queda de 0,8% e, nos últimos 12 meses, a perda é de 1,4%, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal.

produção industrial
Produção industrial está 2,1% abaixo do patamar pré-pandemia | Foto: Envato

“Embora a produção industrial tenha mostrado alguma melhora no início do ano, uma vez que marcou resultados positivos por quatro meses em sequência, nos últimos meses o setor apresenta um comportamento de predominância negativa. Nos últimos cinco meses, em três oportunidades, observa-se queda na produção e com a característica de um número maior de atividades industriais no campo negativo, permanecendo longe de recuperar as perdas de um passado recente”.

André Macedo, gerente da pesquisa

As atividades econômicas que mais impactaram positivamente no mês frente ao mês anterior foram produtos alimentícios (4,8%) e metalurgia (4,6%). O segmento de produtos alimentícios eliminou parte da perda de 7,1% acumulada nos meses de setembro e agosto. Metalurgia voltou a crescer após recuar 7,6% no mês anterior.

No campo negativo, veículos automotores, reboques e carrocerias (-6,7%), máquinas e equipamentos (-9,1%) e bebidas (-9,3%) pesaram sobre a produção industrial. A classe de veículos automotores marcou o segundo mês seguido de queda na produção e acumularam perda de 6,8% nesse período.

O segmento de máquinas e equipamentos eliminou parte do avanço de 16,9% acumulado nos meses de setembro e agosto, enquanto bebidas registram queda mais intensa em relação a setembro (-5,7%).

Leia mais:

Sobre o autor
Mari Galvão
Repórter de economia na Mais Retorno

Inscreva-se em nossa newsletter