Logo Mais Retorno
Economia

Produção industrial sobe 0,1% em abril ante março, aponta IBGE

Resultado veio dentro das expectativas do mercado, que esperava desde uma queda de 1,0% a alta de 1,0%

Data de publicação:03/06/2022 às 14:03 -
Atualizado um mês atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A produção industrial subiu 0,1% em abril ante março, na série com ajuste sazonal, divulgou na manhã desta sexta-feira, 3, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado veio dentro das expectativas dos analistas do mercado, que esperavam desde uma queda de 1,0% a alta de 1,0%, com mediana positiva de 0,2%.

produção industrial
Desempenho da indústria em abril veio dentro da expectativa esperada pelo mercado - Foto: Envato

Em relação a abril de 2021, a produção industrial caiu 0,5%. Nessa comparação, sem ajuste, as estimativas variavam de um recuo de 2,4% a alta de 0,9%, com mediana negativa de 0,6%.

No acumulado do ano, que tem como base de comparação ao mesmo período do ano anterior, a indústria teve uma queda de 3,4%. Em 12 meses, a produção acumula recuo de 0,3%, segundo o IBGE.

Sinais de perda de dinamismo

Outro dado sobre a indústria no mês foi trazido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) por meio da pesquisa Indicadores Industriais. Segundo o levantamento, a atividade apresentou sinais de perda de dinamismo no mês de abril.

No período, houve queda do faturamento real, do emprego, das horas trabalhadas na produção e da massa salarial, o que afetou negativamente o desempenho da indústria.

De acordo com a CNI, o faturamento real do setor caiu 0,6% em abril na comparação com março, na série livre de efeitos sazonais.

Essa queda, destaca a confederação, reverte a alta de 0,7% registrada em março e leva o faturamento ao mesmo patamar em que começou o ano. Se comparado com abril de 2021, a queda real do faturamento é de 5,8%.

Insumos e demanda frágil

Para o gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo, "a fragilidade atual da indústria é resultado da persistência e do agravamento da escassez e do alto custo dos insumos, aliada a uma demanda também frágil, reduzida pela inflação alta".

"São quedas que revertem pequenos ganhos ocorridos no primeiro trimestre. Em um cenário de inflação persistente e juros altos é difícil prever desempenho muito positivo, sobretudo sustentado, nos próximos meses. A economia brasileira precisa de uma alavanca para atrair investimentos e voltar a crescer, que deveria ser a reforma tributária, mas todos os esforços nesse sentido têm sido frustrados".

Marcelo Azevedo, da CNI

Já o rendimento médio real dos trabalhadores da indústria permaneceu estável em abril em relação a março, com uma ligeira alta de 0,1%.

Isso, na avaliação da CNI, mostra a recuperação gradual dos rendimentos, que já acumula seis meses consecutivos de altas ou estabilidade. Apesar disso, na comparação com abril de 2021, o rendimento médio apresenta queda de 1,2%.

O levantamento apontou ainda que a Utilização da Capacidade Instalada (UCI) recuou 0,1 ponto porcentual entre março e abril, ficando em 80,9%.

Segundo a confederação, o nível de UCI dos primeiros quatro meses do ano é muito próximo, o que evidencia um cenário de estabilidade da UCI em 2022 até o momento, após quedas registradas no 2º semestre de 2021./ com Agência Estado

Leia mais

Eletrobras: vale a pena comprar o papel com recursos do FGTS? (maisretorno.com)
Eletrobras sobe 30% ano, mas fundos com o papel não acompanham (maisretorno.com)
Bolsa recua seguindo Wall Street no último dia da semana; dólar sobe (maisretorno.com)
Privatização da Petrobras será realizada por meio de um projeto de lei (maisretorno.com)
PIB Brasil: demanda externa pode recuar no 2° semestre (maisretorno.com)

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!