Logo Mais Retorno
Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta sexta-feira, 18 de março
Mercado Financeiro

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta sexta-feira, 18 de março

Investidores estão de olho nos desdobramentos da guerra e repercutindo dados econômicos internos

Data de publicação:18/03/2022 às 10:36 -
Atualizado 6 meses atrás
Compartilhe:

A bolsa engata uma terceira alta consecutiva nesta sexta-feira, 18, seguindo o apetite ao risco dos investidores internacionais. Às 15h10, o Ibovespa subia 1,26%, retomando os 114 mil pontos - 114.497 - e o dólar caía 0,58%, cotado a R$ 5,01.

Mercado ao vivo: confira a Bolsa e o dólar nesta sexta-feira, 18 de março
Guerra na Ucrânia segue em curso, sem a concretização de um acordo de cessar-fogo com a Rússia - Foto: Envato

No âmbito das ações, ajuda na subida do Ibovespa a valorização de cerca de 2% das ações da Petrobras e de quase 1% dos papéis da Vale, que refletem o ambiente de alta para o petróleo e minério de ferro lá fora.

Por aqui, os investidores repercutem novos dados econômicos, como o arrefecimento da segunda prévia do IGP-M de março e a taxa de desemprego do País menos aquecida.

Dividindo as atenções, o mercado também acompanha os desdobramentos da guerra na Ucrânia, que até o momento não tem um acordo de cessar-fogo com a Rússia concretizado, o que traz cautela ao exterior.

Enquanto um sinal de paz entre Rússia e Ucrânia não ocorre, as tropas de Vladimir Putin seguem bombardeando a cidade de Kiev, capital ucraniana.

Vice-chefe de gabinete da Ucrânia, Ihor Zhovkva disse nesta sexta-feira que as negociações de paz com a Rússia seguem em andamento, mas ressaltou que o progresso não tem sido tão rápido como se esperava.

Por outro lado, em conversa com o chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, o presidente russo acusou a Ucrânia de fazer todo o possível para retardar as negociações por uma solução ao conflito em curso entre os dois países.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden deve conversar às 16h (horário de Brasília) com Xi Jinping sobre a guerra na Ucrânia e alertará sobre os “custos” de um apoio à Rússia, segundo o secretário de Estado, Antony Blinken.

Bolsas americanas/principais índices

  • S&P 500: +0,52%
  • Dow Jones: +0,17%
  • Nasdaq 100: +1,32% (dados atualizados às 14h25)

Cenário interno: dados econômicos na mira dos investidores

Além da guerra na Ucrânia, internamente os investidores acompanham a divulgação de dados que sinalizam o andamento da economia do País. Logo cedo, a Fundação Getulio Vargas divulgou a segunda prévia do IGP-M de março, que reportou alta de 0,90%, porém arrefeceu ante os 1,94% registrados em fevereiro.

Já o IBGE reportou que a taxa de desemprego no Brasil ficou em 11,2% no trimestre encerrado em janeiro, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua).

O resultado ficou dentro das expectativas dos analistas do mercado, que estimavam uma taxa de desemprego entre 10,7% e 11,8%, com mediana de 11,3%. Em igual período de 2021, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 14,5%. No trimestre encerrado em dezembro de 2021, a taxa de desocupação estava em 11,1%.

Juros Futuros: queda do petróleo alivia curva

Os juros futuros operam em queda nesta sexta-feira. Por volta das 14h10, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2023 estava em 12,86%, ante 12,94% abertura. O DI para janeiro de 2025 caía para 12,11%, de 12,34%. Já o vencimento para janeiro de 2027 recuava para 11,96%, de 12,19%.

Sobe e desce da Bolsa

Maiores altas

CVC (CVCB3) +9,14%
Cielo (CIEL3)+7,60%
Yduqs (YDUQ3)+7,97%
Banco Inter (BIDI11)+7,68%
Americanas S.A (AMER3)+7,63%

Maiores baixas

Fleury (FLRY3)-2,85%
Bradesco (BBDC4)-1,18%
Tim (TIMS3)-0,82%
Bradesco (BBDC3)-0,80%
B3 (B3SA3)-0,65%
Fonte: B3 (dados atualizados às 14h30)

Petróleo em queda: AIE sugere redução de consumo

Nesta sexta-feira, o petróleo opera em alta. Às 12h27, o preço do tipo Brent, utilizado como referência pela Petrobras, subia 0,10%, cotado a US$ 106,53 o barril.

Para reduzir o consumo do petróleo em um momento no qual a guerra na Ucrânia aprofunda preocupações sobre a oferta da commodity, a Agência Internacional de Energia (AIE) sugere que os consumidores compartilhem veículos, dirijam de forma mais lenta e trabalhem em casa, segundo plano de dez itens divulgado durante a manhã.

O plano do grupo, que tem sede em Paris, ressalta a importância de agir num momento em que a oferta foi comprometida por sanções impostas à Rússia, que é o maior exportador mundial de petróleo.

As recomendações do plano - que incluem a redução dos limites de velocidade, trabalhar a partir de casa, promover dias sem circulação de carros, tornar o transporte público mais barato e incentivar o compartilhamento de automóveis - poderão reduzir a demanda por petróleo em 2,7 milhões de barris por dia (bpd) em quatro meses, segundo estimativa da AIE.

Exterior

Europa: bolsas em queda com guerra

Os mercados acionários da Europa não tiveram sinal único durante boa parte desta sexta-feira, mas uma melhora na reta final garantiu pregão em grande medida positivo, encerrando semana de ganhos robustos em geral nas praças do continente.

A invasão militar da Rússia na Ucrânia seguiu como foco importante, com investidores atentos também aos sinais do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) e a indicadores.

Além disso, foram monitorados discursos de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), pelas implicações globais dos juros nos EUA. Diretor do Fed, Christophe Waller defendeu um processo mais agressivo de aumento de juros no início do ano, com ritmo mais moderado no segundo semestre.

Para Neel Kashkari (Minneapolis), caso a pressão inflacionária perdure, o BC americano pode ter de agir mais agressivamente. Já James Bullard (St. Louis) explicou seu voto divergente e defendeu que a taxa de juros supere 3% neste ano para conter a inflação.

Na Europa, segundo a agência de estatísticas da União Europeia nesta sexta-feira, a zona do euro registrou déficit em sua balança comercial de 7,7 bilhões de euros em janeiro.

Em dezembro de 2021, o bloco havia apresentado saldo comercial negativo maior, de 9,7 bilhões de euros. No resultado sem ajustes, porém, a zona do euro teve déficit comercial recorde de 27,2 bilhões de euros em janeiro, revertendo superávit de 10,7 bilhões de euros do mesmo mês do ano passado.

Na comparação mensal de janeiro, as exportações do bloco subiram 3,4%, enquanto as importações avançaram 2,3%, considerando-se ajustes sazonais, informou a Eurostat.

Bolsas europeias/fechamento

  • Stoxx 600 (Europa): +0,91% (454,60 pontos)
  • DAX (Frankfurt): +0,17% (14.413 pontos)
  • FTSE 100 (Londres): +0,26% (7.404 pontos)
  • CAC 40 (Paris): +0,12% (6.620 pontos)

Bolsas asiáticas fecham em alta

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta sexta-feira, 18, seguindo Wall Street, que no dia anterior estendeu seu rali para o terceiro dia consecutivo, e após o Banco do Japão (BoJ) descartar um possível aumento de juros, apesar de pressões inflacionárias.

O presidente do BoJ, Haruhiko Kuroda, disse que não há necessidade de elevar juros para controlar a inflação gerada pelo salto dos preços de energia em meio à guerra russo-ucraniana. / com Agência Estado.

Bolsas asiáticas/fechamento

  • Nikkei (Tóquio): +0,65% (26.827 pontos)
  • Kospi (Seul): +0,46% (2.707 pontos)
  • Taiex (Taiwan): +0,05% (17.456 pontos)
  • Hang Seng (Hong Kong): -0,41% (21.412 pontos)
  • Xangai Composto (China continental): +1,12% (3.251 pontos)
  • Shenzhen Composto (China continental): +0,56% (2.144 pontos)
  • S&P/ASX 200 (Sydney): +0,60% (7.294 pontos)
Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!

Inscreva-se em nossa newsletter