Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Mercado ao vivo: Bolsa sobe com commodities e poeira mais baixa sobre a nova cepa da covid-19

Praças mundiais respiram um pouco mais aliviadas após o ‘pânico” por conta da nova variante da covid-19

Data de publicação:29/11/2021 às 10:43 -
Atualizado 7 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Após levar um tombo de 3,39% na sexta-feira, 26, por conta da notícia sobre a nova cepa da covid-19, que causou um mal-estar generalizado nas principais praças financeiras mundiais, a Bolsa busca recuperação nesta segunda-feira, 29. A alta é impulsionada pela valorização de mais de 2% das ações da Petrobras e de mais de 1% da Vale, que refletem o aumento do preço do petróleo e minério de ferro.

Com a poeira mais baixa, o Ibovespa segue o tom positivo das bolsas mundiais. Os investidores também digerem os novos dados econômicos, como o IGP-M de novembro, abaixo do esperado, e as novas projeções para os principais indicadores econômicos do País, que apontam uma inflação mais forte para 2021 e 2022. Às 17h, o principal índice da B3 subia 1,09%, retomando o patamar dos 103 mil pontos - 103.339. E o dólar subia 0,28%, cotado a R$ 5,612.

Foto: B3/Divulgação mercado bolsa
Sede da B3 em São Paulo | Foto: Divulgação

Após as informações do fim de semana, indicando que a variante Ômicron é menos danosa do que o antecipado inicialmente, divulgadas pelo governo sul-africano, os mercados mundiais respiram com um pouco mais de alívio. No entanto, ainda aguardam novos dados a respeito do assunto.

Em entrevista a Sky News, Barry Schoub, conselheiro do governo sul-africano, disse que os casos da nova cepa da covid-19 têm sintomas leves a moderados, e que as mutações da nova variante parecem desestabilizar o vírus, reduzindo as chances da Ômicron ser dominante com relação à Delta, que responde bem às vacinas.

No fim de semana, o presidente da Moderna, Paul Burton, disse que uma nova vacina, reformulada para combater a nova cepa, poderá estar disponível no início do próximo ano.

Enquanto isso, alguns países, como é o caso do Brasil, já estão tomando algumas medidas de restrição para evitar uma onda de contágio com a nova cepa. No entanto, no País, a Anvisa já identificou um caso de covid-19 em um passageiro brasileiro com passagem pela África do Sul e que desembarcou no aeroporto de Guarulhos.

Não há ainda a confirmação de que o caso seja da variante Ômicron no País, já identificada em quatro continentes – Ásia, Europa, Oceania e África – e mais de dez países, incluindo África do Sul, Reino Unido, Alemanha, Itália, Holanda, Dinamarca, Bélgica, Botsuana, Israel, Austrália e Hong Kong.

A Áustria analisa um caso suspeito, enquanto o ministro da Saúde da França, Olivier Veran, admitiu que a cepa já deve estar em circulação no território.

A partir desta segunda-feira, começam a valer as restrições brasileiras a viajantes. Por um prazo inicial de 14 dias, o Brasil proibirá voos internacionais que tenham origem ou passagem pela África do Sul, Botsuana, Essuatíni, Lesoto, Namíbia e Zimbábue. A entrada de brasileiros, contudo, não está suspensa.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou no dia anterior que os cuidados com a Ômicron são os mesmos tomados com cepas anteriores e trata-se de "uma variante de preocupação" e não de uma "variante de desespero". O ministro assegurou que as autoridades sanitárias brasileiras têm "todas as condições para assistir à população".

"A principal arma que nós temos para enfrentar essas situações é a nossa campanha de imunização", disse Queiroga, durante transmissão em suas redes sociais.

Enquanto isso, o diretor médico da farmacêutica Moderna, Paul Burton, disse que uma nova vacina, reformulada para combater a nova cepa, poderá estar disponível no início do próximo ano.

Dados econômicos: IGP-M e projeções

Mesmo com as atenções voltadas para a nova cepa da covid-19, o mercado segue acompanhando as movimentações econômicas, fiscais e políticas domésticas. Durante a manhã, o Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgou o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) de novembro.

Considerado a inflação do aluguel, o indicador subiu 0,02% no período, ante alta de 0,64% no mês anterior. O resultado ficou abaixo da mediana dos analistas, que indicava alta de 0,30%. Com isso, o índice acumula alta de 16,77% no ano e de 17,89% em 12 meses.

Se comparado ao mesmo mês de 2020, o índice havia subido 3,28% e acumulava alta de 24,52% em 12 meses.

Ainda no escopo de indicadores, o Banco Central divulgou a nova edição do Boletim Focus, que traz as estimativas dos economistas do mercado sobre a inflação, taxa de juros, câmbio, PIB, entre outros.

O documento mostra o avanço persistente da inflação para 2021 e 2022. Os especialistas ajustaram pela 34ª vez consecutiva o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para o fim deste ano. De 10,12%, subiu para 10,15%. E de 4,96% para 5,00% em 2022. E ficou em 3,42% para 2023.

Já em relação ao PIB, o tom pessimista impera no mercado. De 4,80%, as expectativas para o crescimento do País caíram para 4,78% em 2021, e de 0,70%, foi ajustado 0,58% para o ano seguinte. A Selic, taxa básica de juros se manteve estável, em 9,25% para 2021 e em 11,25% para 2022.

Juros futuros

Os juros futuros começaram a sessão em queda, mas ganharam força em seguida, em meio à leve alta do dólar ante o real em véspera da formação de Ptax do mês, que costuma trazer mais volatilidade. Nos curtos, o viés é de baixa .

Por volta das 14h, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2027 estava em 11,74%, ante 11,74% na abertura

O DI para janeiro de 2025 marcava 11,82%, de 11,69%, e o para janeiro de 2023 estava em 11,83%, de 11,93% no início do dia.

Sobe e desce da Bolsa

Nesta segunda-feira, as ações ligadas às commodities vivem um dia positivo no pregão, refletindo a busca de recuperação do preço do petróleo e mais um dia de alta no preço do minério de ferro na China. Além da Petrobras, a PetroRio subia acentuadamente 2,73%, às 14h21.

Seguindo em alta, as ações das mineradoras e siderúrgicas CSN, Usiminas e Gerdau, juntamente com a Vale, avançavam 2,78%, 6,35% e 2,27%, respectivamente, às 14h20.

Após anunciar que sua plataforma digital atingiu mais de R$ 3 bilhões em vendas neste ano - volume três vezes maior sobre o mesmo período de 2020 - os papéis do Banco Inter subiam 4,33% no mesmo horário.

Após registrarem forte queda no último pregão, por conta da notícia sobre a nova cepa da covid-19, as aéreas buscam recuperação. No mesmo período, a Azul - que reiterou os benefícios de sua proposta para comprar a Latam - e Gol valorizavam 1,63% e 1,86%, nesta sequência.

Após trafegar em alta durante boa parte do dia, as ações da CVC viraram o sinal e passaram a cair 1,54%, às 14h17.

Os bancos abriram em alta, mas acabaram mudando o sinal e seguem mistos. No mesmo horário, o Itaú e Bradesco subiam 0,31% e 0,05% nesta ordem. Já o Santander recuava 0,83%, às 14h20.

A atacadista Assaí anunciou a quarta emissão de debêntures, desta vez no valor de R$ 2 bilhões, voltado para investidores profissionais. Depois que a notícia foi divulgada, as ações da empresa caíam 1,57% no mesmo horário.

Cenário Fiscal:  PEC dos Precatórios e Auxílio Brasil

O mercado financeiro acompanha os desdobramentos da nova descoberta relacionada ao coronavírus sem deixar de dispensar atenção à movimentação política no Senado, incumbido de dupla missão. Delas dependem a formalização do Auxílio Brasil e os recursos para bancá-lo.

A primeira é aprovar, em dois turnos, a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) dos Precatórios, já analisada pela Câmara. A segunda é votar também, em duas rodadas, o projeto que cria o Auxílio Brasil.

O novo programa social do governo, que substitui o Bolsa Família, será financiado em parte com os recursos obtidos pelo parcelamento do pagamento dos precatórios, adiamento previsto na PEC.

A votação da PEC, que mexe no cálculo do teto de gastos e abre R$ 106,1 bilhões em espaço para despesas em 2022, sobretudo com o Auxílio Brasil - programa que substitui o bolsa família -, está marcada para ocorrer no Senado nesta semana. A percepção é de que, se a PEC não passar, um possível socorro não caberia dentro do teto e a única alternativa seria abrir um crédito extraordinário para comportar a ajuda.

"Vamos ver se temos ou não a PEC", pontuou esta fonte. Conforme a Constituição, créditos extraordinários só podem ser abertos para cobrir despesas comprovadamente "imprevisíveis e urgentes", caso de guerras ou calamidades públicas, por exemplo.

A intenção do governo é votar a PEC dos Precatórios na próxima terça-feira, 30, tanto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) como no plenário.

Na última sexta-feira, 26 contudo, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, disse não poder garantir que a PEC será votada nesta semana, após pressões por mudanças. O PSD, partido de Pacheco e que tem a segunda maior bancada da Casa, age para adiar a votação e ameaça dar votos contra se não houver alterações.

Lá fora

Os futuros de ações dos Estados Unidos e os mercados europeus abriram a semana no terreno positivo, juntamente com os rendimentos do petróleo bruto e do Tesouro americano. Enquanto isso, de acordo com Filipe Teixeira, sócio da Wisir Research, os investidores tentam calibrar os riscos econômicos da nova cepa da covid-19, na tentativa de trazer um pouco mais de tranquilidade aos mercados.

Em relação a dados econômicos dos EUA, durante a manhã foi divulgado que as vendas pendentes de imóveis no país subiram 7,5% em outubro ante setembro, a 125,2 no indicador da Associação Nacional de Corretoras (NAR, na sigla em inglês. A previsão de analistas era de avanço de 0,7%.

No entanto, em relação ao mesmo período do ano anterior, as vendas caíram 1,4%. O indicador é um sinal antecipado da venda de imóveis baseado em contratos assinados. A NAR relata que "o ganho notável em outubro garante que as vendas totais de casas existentes em 2021 excederão seis milhões, o que deverá ser o melhor desempenho em 15 anos".

Embora ainda haja muitas perguntas sem resposta sobre a nova cepa, dois especialistas sul-africanos sugeriram que ela apresenta sintomas leves até agora. A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu cautela, dizendo que demorará algum tempo para avaliar o novo patógeno.

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), de Atlanta, Raphael Bostic, minimizou os riscos econômicos de uma nova variante, dizendo que está aberto a uma redução mais rápida das compras de ativos para conter a inflação.

Os investidores estão tentando descobrir se o novo surto terá curta duração, segundo Teixeira, com os mercados se recuperando em poucos dias, ou um golpe maior para a recuperação econômica global.

Até então, a perspectiva de uma política monetária mais rígida para a enfrentar as pressões sobre preços já dificultava esse cenário.

Na Ásia, as bolsas fecharam majoritariamente em queda nesta segunda-feira, seguindo as fortes perdas nos mercados ocidentais na última sexta-feira, em meio a preocupações em relação à variante Ômicron do coronavírus.

Em Hong Kong, onde um caso da mutação foi detectado, o índice Hang Seng encerrou a sessão com perda de 0,95%, aos 23,852.24 pontos. Os temores de que a nova cepa prejudique a recuperação do setor de viagens penalizaram as ações de companhias áreas, com Cathay Pacific Airways em baixa de 3,55%, acompanhada por China Southern Airlines (-2,64%).

Na China continental, Xangai cedeu 0,04%, aos 3.562,70, enquanto o Shenzhen, de menor abrangência, subiu 0,22%, aos 14.810.20 pontos. Já o índice Taiex, de Taiwan, recuou 0,24%, aos 17,328.09 pontos.

Na Coreia do Sul, o Kospi teve desvalorização de 0,92%, aos 2.909,32 pontos, na Bolsa de Seul. Samsung C&T Corporation, dona do maior parque de diversões do país, cedeu 3,15%.

Em Tóquio, o índice Nikkei perdeu 1,63%, aos 28.283,92 pontos. O governo do Japão anunciou que fechará as fronteiras para turistas estrangeiros, a fim de conter a Ômicron.

Ações de empresas ligadas à logística, entre elas Nippon Yusen K.K. (+2,44%) e Mitsui O.S.K. Lines (+2,31%), contrariaram o tom negativo dos negócios japoneses, em meio à expectativa de que a nova cepa mantenha os preços de frete elevados.

Na Oceania, o índice S&P/ASX 200, de Sidney, baixou 0,54%, aos 7.239,80 pontos. Investidores aguardam a divulgação da leitura do Produto Interno Bruto (PIB) australiano no terceiro trimestre, que deve mostrar contração, na próxima quarta-feira, 2. / com Tom Morooka e Agência Estado

Sobre o autor
Julia Zillig
Repórter do Portal Mais Retorno.