Logo Mais Retorno
Ibovespa
Mercado Financeiro

Ibovespa sobe com foco na política local e em dados nos EUA

Os investidores monitoram as discussões em relação ao reajuste do salário mínimo no mercado local

Data de publicação:18/01/2023 às 13:46 -
Atualizado 9 dias atrás
Compartilhe:

Seguindo a tendência de alta do pregão anterior, o Ibovespa começou esta quarta-feira, 18, em alta. Por volta das 10h42, a Bolsa sobe 1,05%, a 112.613 pontos. Já o dólar recua 0,32%, a R$ 5,08.

Os investidores monitoram as discussões em relação ao reajuste do salário mínimo no mercado local. Já no exterior, os principais eventos são o PPI, Índice de Preços ao Produtor e o Livro Bege, ambos nos Estados Unidos. 

ibovespa bolsa
Juros futuros continuam movimento de queda no Ibovespa nesta quarta-feira | Foto: Reprodução

O dólar recua em meio alta persistente do petróleo. Os investidores locais estarão atentos nas próximas horas à agenda externa, que está mais forte, mas também às reuniões do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, em Davos, na Suíça, e nas discussões sobre o salário mínimo.

Os juros futuros dão continuidade ao movimento de queda da ocorrido na terça-feira, 17, ajudados pelo recuo do dólar e dos yields dos Treasuries, em dia de agenda local esvaziada. 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa da instalação de mesa de negociação do salário mínimo com centrais sindicais (11h). O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, entregará a Lula nesta quarta-feira, 18, uma proposta feita por sindicalistas para criar uma regra de reajuste do salário mínimo.

Bolsas Internacionais

Os índices futuros do mercado norte-americano operam em leve alta nesta quarta-feira, 18. As expectativas dos investidores nos Estados Unidos se voltam para os dados que saem por lá.

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta hoje, com a de Tóquio saltando mais de 2%, após o Banco do Japão (BoJ) deixar sua política monetária inalterada, dissipando especulação de que apertaria as condições de crédito em meio a pressões inflacionárias. / Com Agência Estado.

Leia mais:

Sobre o autor
Mari Galvão
Repórter de economia na Mais Retorno

Inscreva-se em nossa newsletter