Fundos de Investimentos

Por que a estratégia do Ibiuna Credit, fundo da gestora de Mario Torós, ex-diretor do Central, faz sucesso

Em 16 meses, de operação fundo não teve variação negativa da cota

Data de publicação:14/01/2022 às 00:57 - Atualizado 9 dias atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Em um cenário de economia deteriorada, após quase dois anos do início da pandemia de covid-19, inflação em alta, juros subindo, crescimento econômico desacelerando e mercado acionário passando por muita volatilidade - principalmente quando consideramos que 2022 é um ano eleitoral -, é natural que investimentos que apresentam um histórico de bom desempenho ganhem, mais que nunca, a atenção do mercado.

Este é o caso do Ibiuna Credit FIC FIM, um fundo de investimento multimercado da gestora Ibiuna Investimentos, fundada por Mario Torós e Rodrigo Azevedo, dois ex-diretores do Banco Central. Desde que foi criado, em agosto de 2020, o fundo, que é focado no crédito privado, buscando oportunidades nos cenários interno e externo, em nenhum mês registrou rentabilidade negativa. No acumulado em 12 meses até dezembro, o retorno foi de 8,41%.

Mario Torós Ibiuna Credit
Mario Torós, co-fundador da Ibiuna Investimentos | Foto: Reprodução Ibiuna

Rentabilidade do Ibiuna Credit mês a mês

20212020
Janeiro0,59%-
Fevereiro0,89%-
Março0,47%-
Abril0,50%-
Maio0,50%-
Junho0,65%-
Julho0,75%-
Agosto0,82%0,16%
Setembro0,71%0,46%
Outubro0,62%0,33%
Novembro0,44%0,63%
Dezembro1,14%0,79%
Fonte: Mais Retorno

Qual a estratégia por trás do Ibiuna Credit?

Em um relatório elaborado pela XP Investimentos, os analistas Nathália de Sá e Rodrigo Sgavioli explicam que a "filosofia de investimentos do fundo é focada na análise fundamentalista com gestão ativa". Ou seja, os dados das empresas servem como um guia para a escolha dos ativos que, por sua vez, não são mantidos até o seu vencimento, necessariamente. O benchmark do fundo é o CDI.

A XP destaca que o Ibiuna Credit pode ter alocações nas seguintes estratégias principais:

  • Até 100% em títulos com alta liquidez, ou seja, as dívidas daquelas empresas e bancos que são mais facilmente negociadas no mercado;
  • Até 20% em créditos estruturados, que são títulos menos líquidos e que apresentam mais risco, mas também podem oferecer taxas de retorno mais altas;
  • Até 20% em bonds, que são títulos de dívidas do exterior e, no caso do Ibiuna Credit, o foco principal do fundo são títulos de empresas da Colômbio, Peru, Chile, México e outros países da América Latina;
  • Até 15% de caixa, ativos extremamente líquidos para aquisição de papéis das demais estratégias em um segundo momento ou para pagar resgates e custos do fundo.

"Atualmente o fundo está 90% alocado em ativos não caixa. Dos quais em torno de 15% em?bonds, ou seja, títulos internacionais, 15% em estruturados e 60% em ativos mais líquidos como Letras Financeiras e Debêntures".

XP Investimentos

As durations dos títulos

Para os analistas, um outro ponto bastante interessante do Ibiuna Credit é a baixa correlação dele com outros fundos da mesma categoria, de crédito privado. "Essa baixa correlação e alta performance é parcialmente explicada pela gestão ativa da duration dos ativos offshore, ou seja, dos bonds negociados no exterior", comentam.

O relatório ressalta ainda que a duration pode ser analisada tanto como uma medida, - " quanto maior o prazo do título e menor seus pagamentos ao longo deste prazo, maior será sua duration" -, quanto como para avaliar o risco do ativo, "pois quanto maior a duration de um papel, mais exposta ele estará ao risco da curva de juros, ou seja, em momentos em que as taxas de juros futuras ficam maiores, os papéis que possuem maior duration sofrem mais com a marcação a mercado".

Dessa forma, a estratégia por trás da gestão do fundo é a compra e venda dos títulos no exterior (mercados mais líquidos que os brasileiros) de forma a aumentar as possibilidades de retorno (e, consequentemente, os riscos) com base no momento em que a economia, os mercados e as empresas se encontram. Estratégia que tem funcionado até aqui.

Sobre o autor
Bruna Miato
Repórter na Mais Retorno
Método Asset-Liability

Método Asset-Liability

O que é Método Asset-Liability? O método Asset-Liability (ALM) é um tipo de gestão de riscos, para determinado investimento, que consiste em um monitoramento coordenado entre...

  CONTINUAR LENDO