Logo Mais Retorno
fundos di
post

Fundo DI com taxa de 0,5% ao ano pode comer mais de 12% do rendimento no longo prazo

Fundos com isenção de taxa conseguem ser mais competitivos e superar o CDI

Data de publicação:16/11/2022 às 05:00 -
Atualizado 12 dias atrás
Compartilhe:

A diferença de rendimento não costuma chamar a atenção em curto espaço de tempo. Descontada e diluída no valor diário da cota, a taxa de administração em fundos DI passa imperceptível ao investidor. No entanto, as perdas começam a ficar mais visíveis em período de alguns meses, superando 12% do valor investido em prazos mais longos.

Essa foi a diferença de rendimento identificada entre um fundo com taxa zero e outro que cobra 0,5% ao ano em um prazo de 10 anos em simulação feita pela Mais Retorno. Embora não seja condição suficiente que garanta uma rentabilidade mais atraente, a isenção de taxa coloca o fundo em uma perspectiva de maior competitividade, com chance de oferecer desempenho melhor ao cotista, como indicam os dados em levantamentos que seguem abaixo.

O retorno dos fundos DI que têm taxa zero

No recorte feito com o rendimento proporcionado pelos fundos DI em 10 meses de 2022, já é possível verificar que os fundos com isenção têm ampla eles vantagem tanto em relação aos que são mais caros e em relação ao seu referencial, o CDI.

FUNDOREND. 2022 até 04.11
Vitreo Selic Simples10,40%
BTG Pactual Investmais Simples10,38%
Órama DI Simples10,36%
Trend DI Simples10,35%
PI Selic Simples10,33%
BTG Pactual Digital Tesouro Selic10,29%
Warren Tesouro Selic10,29%
Magnetis Tesouro Selic10,25%
Bem FI Simples TPF10,24%
CDI acumulado no período10,17%
Fonte: Comparador de Ativos da Mais Retorno

Os nove fundos com taxa de administração zero e mais de 24 meses de vida pinçados da base de dados do portal da Mais Retorno entregam rendimento no ano, até 4 de novembro, acima do CDI de 10,17% - o benchmark ou o índice que os gestores dessa classe de ativos miram como alvo de rentabilidade.

São fundos com desempenho atraente também em períodos de tempo mais prolongados. O rendimento de todos eles em 24 meses também corre acima do CDI, que acumula alta de 15,39%, desde setembro de 2020 até agora. 

fundos DI

A diferença de performance em favor dos fundos com taxa zero é mais acentuada na comparação com os que cobram taxas de administração mais elevadas.

No ranking de cinco fundos dessa mesma classe que exigem taxa de administração mais alta, de 1,75% ao ano, o retorno de todos em 2022 come poeira em relação ao CDI acumulado de 10,17%, no período.

O fundo que entrega o menor rendimento em 2022 é o Itauvest RF Curto prazo. Sua rentabilidade, de 8,08%, fica 2,32 pontos porcentuais atrás de 10,40% do Vitreo Selic FI RF Simples, o campeão dentre os que têm taxa de administração zero.

Retorno dos que cobram taxa de 1,75% ao ano

FUNDOREND. 2022 até 04.11
BB RF LP Automático8,65%
Itaú PP RF Curto Prazo8,31%
BB RF Curto Prazo Clássico8,30%
Itaú Plus RF Curto Prazo8,21%
Itauvest RF Curto Prazo Plus8,08%
CDI acumulado no período10,17%
Fonte: Comparador de Ativos da Mais Retorno

A taxa de administração é o custo que o investidor paga pela gestão do fundo onde aplica seu dinheiro e, em troca, leva uma fatia de sua rentabilidade. Embora seja relativamente baixa, é uma taxa que impacta a performance do rendimento a ser entregue pelo fundo.

Perdas superam 12% com uma taxa de 0,50%

Se em período de apenas alguns meses já existe essa discrepância de remuneração, em anos ela é mais acentuada.

A tabela com simulação de dados elaborada por Pedro Tiezzi, especialista da SVN, dá ideia do impacto de uma taxa de administração de 0,50% ao longo de dez anos sobre uma aplicação de R$ 100 mil em um fundo DI.

A perda no rendimento é de R$ 12.681, mais de 12% em relação ao capital que foi inicialmente investido

AnoTaxa Zero
Saldo R$
Taxa 0,5% a.a.
Saldo R$
1110.000109.450
2121.000119.793
3133.100131.113
4146.410143.504
5161.051157.065
6177.156171.907
7194.872188.153
8214.359205.933
9235.795225.394
10259.374246.693
Lucro159.374146.693
Diferença12.681
Fonte: Pedro Tiezzi - SVN

Uma aplicação por uma taxa CDI de 10% ao ano em um fundo sem taxa de administração chegaria ao fim de dez anos com saldo acumulado de R$ 259.374. Ou lucro de R$ 159.374, antes do desconto de imposto de renda.

Em um fundo que cobra 0,50% ao ano de taxa de administração, o saldo acumulado ao cabo de dez anos seria R$ 246.693 ou lucro de R$ 146.693, antes do desconto de imposto. Uma diferença de R$ 12.681 no lucro em uma aplicação em um fundo com taxa de administração e outro sem.

Gestão simples e isenção

Os fundos DI têm a carteira formada – pelo menos 80%, pela legislação – por títulos públicos federais, em geral as Letras Financeiras do Tesouro (LFT), que rendem a Selic. Pela gestão simples que exige, parte dos especialistas entende que esses fundos poderiam dispensar a cobrança de taxa de administração.

Com efeito, boa parcela deles optou pela isenção, principalmente quando a Selic caiu à mínima histórica de 2% ao ano. Outros, no entanto, não abriram mão dessa taxa, em troca de uma gestão ativa, para tentar entregar um retorno mais atraente, ao cotista.

Em um mercado em que fundos com gestão passiva, sem taxa de administração, entrega resultados satisfatórios e outros, com gestão ativa e taxa de administração, oferecem desempenho abaixo do CDI, o investidor precisa ter o cuidado de avaliar o trabalho do gestor e a taxa cobrada ao escolher um fundo. Em algumas situações vai valer a pena pagar uma taxa de administração em troca de uma rentabilidade melhor.

Leia mais:

Sobre o autor
Tom Morooka
Colaborador do Portal Mais Retorno.

Inscreva-se em nossa newsletter

,