Logo Mais Retorno
Empresa

Vale é a única empresa brasileira entre as 10 maiores pagadoras de dividendos do mundo

Levantamentos da Janus Henderson mostra quais são as principais pagadoras no primeiro trimestre de 2022

Data de publicação:25/05/2022 às 05:00 -
Atualizado um mês atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

No primeiro trimestre de 2022, a Vale, companhia brasileira que trabalha com a exportação de minério de ferro, foi a única do País a configurar o ranking das 10 ações que mais pagam dividendos no mundo. O levantamento faz parte da 34ª edição de um relatório trimestral divulgado pela gestora britânica Janus Henderson sobre as tendências globais de pagamento de dividendos.

vale dividendos
Vale é a única brasileira entre as maiores pagadoras de dividendos | Foto: Reprodução

O Janus Henderson Global Dividend Index (JHGDI), da gestora de mesmo nome, é um índice que mede o progresso de empresas de diversas partes do mundo no pagamento de proventos para seus acionistas, usando 2009 como ano-base para os cálculos, quando o valor do índice era 100 pontos. No último trimestre, período em que US$ 302,5 bilhões foram pagos em dividendos, o JHGDI registrou uma alta de 11%, chegando a 206,5 pontos.

Ranking das 10 empresas que mais pagaram dividendos no primeiro trimestre de 2022

EmpresaSetorPaís
BHPMineradoraAustrália
NovartisFarmacêuticaSuíça
MaerskLogísticaDinamarca
RocheFarmacêuticaSuíça
MicrosoftTecnologiaEstados Unidos
SiemensTecnologia/EnergiaAlemanha
ExxonÓleo e gásEstados Unidos
AT&TTelecomunicaçãoEstados Unidos
ValeMineradoraBrasil
AppleTecnologiaEstados Unidos
Fonte: Janus Henderson

Resultados das empresas brasileiras

Com base nos valores pagos e apurados entre janeiro e março deste ano, a Vale ocupa a nona posição do ranking da Janus Henderson. Na mesma época do ano passado, a mineradora ocupava a oitava posição. De acordo com a gestora, a desvalorização do minério de ferro no segundo semestre de 2021 impactou negativamente os dividendos pagos pela companhia brasileira.

Ainda no mercado brasileiro, o Bradesco teve um corte nos valores pagos em proventos para seus acionistas e isso pesou contra o Brasil no JHGDI, com o total de dividendos pagos pelo País chegando a US$ 5,2 bilhões, ante US$ 5,3 bilhões no mesmo trimestre do último ano.

No entanto, uma "restauração nos pagamentos da Ambev aos níveis pré-pandemia" diluiu os impactos negativos e fez com que a taxa subjacente do Brasil, em que são considerados os efeitos das taxas de câmbio e os dividendos não recorrentes, crescesse 7,4% no período. Além de Vale, Bradesco e Ambev, a gestora britânica também acompanha os números da JBS e da Petrobras.

Destaques do relatório

O principal destaque do relatório fica com os Estados Unidos, onde as empresas tiveram um "início de ano forte", destaca a gestora. Os dividendos pagos por empresas do país norte-americano subiram para um novo recorde de US$ 141,6 bilhões e, além disso, "99% das empresas no índice aumentaram seus dividendos ou os mantiveram estáveis".

Na Europa, além das empresas presentes no ranking das 10 maiores pagadoras, a Janus Henderson destaca que as companhias de utilities - segmentos da economia considerados como serviços ou produtos essenciais para a sociedade, como energia elétrica - e do comércio de luxo também contribuíram para um bom resultado do continente no pagamento de proventos no último trimestre.

Apesar da contribuição de tais empresas, sem a Maersk, companhia dinamarquesa focada em transportes e logística, a taxa de crescimento de dividendos da Europa teria sido de apenas 3,9%, enquanto com a Maersk o crescimento foi de 22,2%.

Na região da Oceania, a gestora ressalta o ótimo desempenho da mineradora australiana BHP e afirma que a companhia deve ser a maior pagadora de dividendos durante todo 2022, o segundo ano consecutivo.

Já nos mercados emergentes, a indústria de óleo e gás e outras commodities foram os principais impulsionadores para o bom pagamento de proventos. As taxas de dividendos pagos por esse grupo de países teve uma alta nominal de 41,5% no primeiro trimestre deste ano, com destaque para China, África do Sul e Rússia, que viram seus números dispararem 575%, 248,7% e 168,2%, respectivamente.

Lista das regiões que mais pagam dividendos

  • Estados Unidos: 58% do total
  • Europa (excluindo Reino Unido): 17% do total
  • Países emergentes: 9% do total
  • Ásia (excluindo Japão): 9% do total
  • Reino Unido: 5% do total
  • Japão: 2% do total
Sobre o autor
Bruna Miato
Repórter na Mais Retorno