Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Em julho, ações de commodities e Weg lideram as indicações das carteiras recomendadas

Cenário macroeconômico ainda é bastante desafiador para o segundo semestre de 2022, por isso as carteiras estão mais defensivas

Data de publicação:04/07/2022 às 05:00 -
Atualizado um mês atrás
Compartilhe:

Para julho, mês que dá início ao segundo semestre, as carteiras recomendadas de diferentes instituições financeiras e casas de investimentos continuam com uma característica em comum nas indicações dos últimos meses: indicação de ações de empresas exportadoras de commodities.

É porque o cenário também segue o mesmo com traços ainda mais acentuados: inflação em alta no Brasil e no mundo, movimentação de bancos centrais na adoção de políticas monetárias mais contracionistas (com a subida dos juros e retirada de estímulos) e a crescente preocupação de que uma recessão econômica se alastre em nível global. O setor de commodities aparece como proteção de patrimônios.

carteiras recomendadas de ações
Vale e Weg lideram as indicações das carteiras recomendadas em julho | Foto: Reprodução

Outro ponto em comum entre as recomendações são as ações da Weg. Companhia de equipamentos eletroeletrônicos, com atuação principal na indústria de bens de capital, também figura entre as principais escolhas dos analistas.

De acordo com relatório da Genial Investimentos, “a narrativa de recessão global e estagflação ganhou corpo no mês de junho, provocando quedas em diversas classes de ativos. Tal movimento ocorre diante de um investidor que está receoso com o cenário macroeconômico à frente, ao mesmo tempo que busca alocações mais conservadoras.

“Aqui no Brasil, o noticiário envolvendo maiores gastos públicos pressiona a situação fiscal e interfere na precificação do dólar e nas expectativas sobre a trajetória da taxa Selic no médio e no longo prazo. Ações domésticas, que já apresentavam preços atrativos, passaram por uma nova rodada de reprecificação. Apesar dos preços atrativos, estamos adotando uma postura de recomendação ainda conservadora vislumbrando a proteção do capital alocado em ações.”

Genial Investimentos

Commodities seguem dominando as carteiras recomendadas

A Mais Retorno analisou as carteiras de seis instituições: além da Genial, o BTG Pactual, a Toro, a Guide Investimentos, a Warren e o Itaú Unibanco. Todas elas contam com empresas de commodities em sua composição e a principal delas é a Vale, que está presente em cinco das carteiras, com exceção da Genial.

“A Vale é a escolha preferencial no setor de mineração e siderurgia devido à nossa visão de uma acomodação gradual dos preços do minério de ferro, o que deve resultar em retornos atraentes para os investidores”, afirmam os analistas do Itaú. “O valuation segue interessante, tanto em termos absolutos, quanto em relativos, considerando seus pares internacionais. Adicionalmente, temos expectativa de forte geração de caixa e pagamento de dividendos para 2022 e 2023”.

Empresas exportadoras de petróleo, proteínas e papel e celulose também estão entre as indicações, com destaque para Petrobras e Minerva.

Sobre a petroleira, a Toro afirma que “apesar da possibilidade do aumento da pressão do governo brasileiro, seu acionista controlador, para a redução dos preços exercida pela companhia, acreditamos que a Petrobras continuará se beneficiando da alta no preço atual do brent, contando ainda com uma forte geração de caixa e com um portfólio diversificado em geografia e clientes”.

O BTG Pactual diz, em relatório, que sua expectativa é de uma “história brilhante” com as ações da Minerva.

“Em primeiro lugar, há o componente de ciclo, com o Brasil à beira de uma inversão de ciclo de gado. Mas mais do que as melhorias do ciclo anterior, acreditamos que a quantidade de gado disponível para abate aumentará significativamente, o que significa que esperamos que o próximo bom momento do ciclo seja ainda mais forte do que os anteriores. Em segundo lugar, há o componente de preço da carne, com a demanda por carne bovina brasileira e sul-americana permanecendo forte e apoiando uma alta de preços em comparação ao ano anterior."

BTG Pactual

Weg também é destaque

Outra ação que parece na maioria das carteiras recomendadas é a da Weg. O papel é indicado pela Toro, pela Guide, pela Warren e pelo BTG Pactual.

Para os analistas da Guide, a empresa tem mostrado boa performance dentro do setor industrial nos últimos anos. "Sua receita tem sido beneficiada pela depreciação do real, que segue crescendo como reflexo do cenário externo frente ao coronavírus, pela recuperação da demanda industrial e pelo crescimento do mercado", destaca a corretora.

As demais casas de investimento compartilham da mesma opinião. A Toro ressalta, ainda que mesmo diante de cenários desafiadores, como o do primeiro trimestre de 2022 (com inflação e juros altos influenciado diretamente nos custos da matéria-prima), a Weg conseguiu manter uma "gestão eficiente" de seus lucros.

"Para este mês, recomendamos compra no ativo, pois com o recente anúncio de China de um pacote bilionário para retomada da economia, após o período de quase 2 meses de lockdown, devido sua política de covid zero, o setor de industrial acaba sendo beneficiado e o Brasil, por ser um grande parceiro comercial de Pequim, se destaca", comentam os especialistas.

Sobre o autor
Bruna Miato
Repórter na Mais Retorno