Logo Mais Retorno
Economia

Selic, Fed e juros na Inglaterra: saiba o que deve movimentar a semana para o investidor

Confira os principais eventos da agenda econômica desta semana

Data de publicação:13/06/2022 às 10:51 -
Atualizado 19 dias atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Mais uma semana começou e, no País, será mais curta por conta do feriado católico de Corpus Christi, na quinta-feira, 16. Mesmo com menos dias úteis, no entanto, para o mercado financeiro brasileiro, a agenda da semana será bastante agitada, assim como no exterior, o que pode adicionar bastante volatilidade às bolsas de valores e taxas de câmbio em nível global.

O grande destaque dos próximos dias fica por conta da "Super Quarta", que acontece nesta quarta-feira, 15. Neste dia, os bancos centrais do Brasil e dos Estados Unidos anunciam seus próximos passos em relação às medidas de política monetária nos dois países. Tanto por aqui quanto no país norte-americana, são esperadas novas altas nas taxas de juros, como forma de tentar controlar a inflação persistente.

Agenda econômica da semana
Decisões sobre taxas de juros são destaque na agenda econômica da semana

O Banco Central da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) também deve elevar sua taxa básica de juros, na próxima quinta. Na agenda da semana, ainda, são esperadas divulgações de dados econômicos nacionais e internacionais, além de discursos de personalidades importantes da economia, que podem trazer uma visão mais clara sobre o que esperar do cenário macroeconômico nos próximos meses.

'Super Quarta' é destaque na agenda da semana

Brasil

No Brasil, o consenso do mercado é de que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) eleve a taxa básica de juros, a Selic em meio ponto percentual, chegando a 13,25% ao ano (de 12,75% atuais). A reunião começa na terça-feira, 14, e acaba na quarta, ao fim do dia, quando a instituição divulga sua decisão.

Parte dos analistas acredita que o Copom deve promover mais algum aumento na Selic no decorrer dos próximos meses, mas a mediana das expectativas do mercado, reunidas e divulgadas pelo BC por meio do último Boletim Focus, aponta para uma taxa 13,25% ao ano ao fim de 2022, caindo para 9,75% ao ano até dezembro de 2023.

Estados Unidos

Também na quarta-feira, o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), revela ao mercado suas decisões de política monetária. Para esta reunião, os analistas esperam uma alta também de meio ponto percentual nas taxas de juros, que hoje estão entre 0,75% e 1,00% - levando-as a operar em um patamar entre 1,25% e 1,75%.

De acordo com o BTG Pactual, para as próximas reuniões, o "mercado passa a precificar alta de 1,75 ponto percentual (p.p.) da taxa de juros americana até setembro, com pelo menos um aumento de 0,75 p.p.".

Os números da inflação de maio nos Estados Unidos, divulgados na última sexta-feira, vieram acima das expectativas dos analistas e acumularam a maior alta em 12 meses desde 1981, de 8,6%. Com isso, explica o BTG, o cenário de aversão ao risco só cresceu no exterior, com o mercado "elevando as apostas em um aperto monetário mais rígido pelo Fed".

Juros no Reino Unido

Na agenda da semana, outra decisão importante de política monetária. Na quinta-feira, o BoE decide qual será a nova taxa de juros no Reino Unido e as projeções dos analistas são de uma alta de 0,25 ponto percentual, chegando a 1,25% ao ano.

Em sua última reunião, que ocorreu em 5 de maio, a instituição britânica optou por aumentar a taxa de juros, levando-a ao nível de 1% ao ano, o maior patamar desde 2009, em um contexto onde a alta na inflação no Reino Unido já ultrapassou a barreira dos 10% em um ano.

Os dirigentes do BoE alertaram que o aperto monetário poderia levar a uma recessão, mas que a alta nos juros era importante para evitar o risco de que a pressão inflacionária persistente se instalasse na economia. Três dos executivos, àquela ocasião, defenderam um aumento ainda maior na taxa, para conter o avanço dos preços, o que deve acontecer nesta semana.

Outros eventos na agenda da semana

AcontecimentoPaísData
Discurso da vice-presidente do Fed, Lael Brainard (15h)Estados UnidosSegunda-feira, 13
Inflação ao consumidor (CPI)AlemanhaTerça-feira, 14
Vendas no varejoChinaTerça-feira, 14
Produção industrialChinaTerça-feira, 14
Crescimento do setor de serviçosBrasilTerça-feira, 14
Índice de Preços ao ProdutorEstados UnidosTerça-feira, 14
IGP-10BrasilQuarta-feira, 15
IBC-BrBrasilQuarta-feira, 15
Vendas no varejoEstados UnidosQuarta-feira, 15
Discurso do presidente do Fed, Jerome PowellEstados UnidosSexta-feira, 17
Fonte: BTG Pactual e Mais Retorno
Sobre o autor
Bruna Miato
Repórter na Mais Retorno