Empresa

O grande negócio anunciado na última segunda-feira, dia 17, inclui a união das empresas Discovery com a WarnerMedia, da gigante americana AT&T. A transação, celebrada pelos entusiastas de conteúdo de entretimento, não foi tão aplaudida pelos investidores, pelo menos nesse início. Isso porque ela impactará na distribuição de dividendos, principalmente para os acionistas da At&T.

Com a nova transação, dividendos da AT&T pagos aos acionistas podem ficar mais magros - Foto: Creative Commons

A transação, sujeita à aprovação regulatória, prevê a criação de um streaming robusto, capaz de competir com a Netflix, líder do setor. E, para além do movimento de mercado, fez alguns acionistas se perguntaram se valeria a pena entrar nesse novo projetos. Logo os investidores da AT&T, que ainda estão digerindo a notícia de que a empresa desfez a aquisição de US$ 85 bilhões da Time Warner, um negócio que foi amplamente criticado quando foi fechado em 2018.

Apesar do fato de as ações da gigante das telecomunicações terem subido 4,8% no dia do anúncio, os papéis mudaram de caminho e passaram a apontar quedas, o que sinaliza que os investidores que contavam com os generosos dividendos da AT&T – atualmente com rendimento na casa dos 6,5% - podem querer segurar seus aplausos.

A AT&T sinalizou que cortará seus dividendos como reflexo da redução do tamanho da empresa, uma vez que desmembrará seus negócios em unidades separadas.

Em relação aos ganhos dos acionistas , a venda da WarnerMedia não é necessariamente um caminho negativo. Porém, torna-se ainda mais importante para eles entenderem – assim como os novos investidores – os prós e contras desse acordo pendente, além do novo lugar da AT&T na guerra travada entre grandes empresas no mercado de streaming.

Dividendos

A AT&T ressaltou que espera alcançar uma taxa de distribuição de dividendos anual entre 40% a 43%, com US$ 20 milhões de fluxo de caixa livre. Isso significa um pagamento total entre U$S 8 bilhões a US& 8,6 bilhões.

O montante pode parecer significativo, mas quando comparado aos US$ 15 bilhões em dividendos pagos pela companhia em 2020 e um fluxo de caixa livre de mais de US$ 40 milhões, isso representa uma queda acentuada de quase 50%.

De acordo com analistas que estão avaliando o cenário da transação entre as duas empresas, o rendimento das ações pode ficar abaixo de 4%.

Por outro lado, eles reforçam que o balanço patrimonial da empresa de telecomunicações estava carregado com uma dívida considerável por conta da aquisição da Time Warner. Em 31 de março, a dívida líquida da AT&T era de US$ 169 bilhões.

Nova empresa

A AT&T, que afirma esperar receber US$ 43 bilhões entre dinheiro e títulos, pretende separar as unidades da WarnerMedia, como HBO, CNN, TNT, TBS e Warnes Bros Studios.

Essas unidades serão alinhadas com os ativos do Discovery, como Food Network, Animal Planet e HGTV para formar uma nova empresa de capital aberto.

A empresa de mídia que ainda não tem um nome oficial também terá os ativos de streaming de mídia HBO Max e o recém-lançado Discovery +.

AT&T e Discovery esperam que a nova empresa tenha força competitiva para brigar lado a lado com empresas como Netflix e Walt Disney no negócio de streaming, que está em rápida expansão.

A nova companhia - que deve ser formada em meados de 2022 - terá de se atualizar. HBO Max e HBO combinados têm cerca de 44 milhões de assinantes nos EUA. Discovery + tem cerca de 15 milhões de assinantes. Enquanto isso, a Netflix tem mais de 200 milhões de assinantes globais e a Disney + tem mais de 100 milhões.

Imagem do autor

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Empresa
Empresa
Empresa
Empresa
Veja mais Ver mais