Empresa

A AT&T confirmou, nesta segunda-feira, 17, o fechamento de um acordo que prevê a fusão de seu braço de mídia, a WarnerMedia, com a Discovery. Após o anúncio, os papéis da empresa na bolsa de Nova York vivem um dia de ganhos, com alta de 3,92%, às 11h22.

Escritório da AT&T no Japão - Foto: Creative Commons

Se aprovada por reguladores antitruste, a operação vai gerar uma nova empresa que competirá com gigantes do setor de entretenimento, como Walt Disney e Netflix.

Pelos termos do negócio, a AT&T receberia US$ 43 bilhões em uma combinação de dinheiro e títulos de dívida, enquanto seus acionistas teriam os papéis de 71% da nova companhia.

Os 29% restantes ficaram com acionistas da Discovery. Segundo comunicado, o conselho das duas empresas aprovou a transação.

Entre os principais ativos da WarnerMedia estão a CNN e HBO. Já a Discovery detém os canais de TV à cabo Animal Planet e Discovery Channel.

A WarnerMedia é a empresa formada depois da aquisição da Time Warner pela AT&T em 2016, em um negócio de US$ 86 bilhões - ou US$ 90 bilhões, em valores corrigidos pela inflação.

A fusão, que foi aprovada pelas agências reguladoras em 2018, foi um dos negócios mais valiosos realizados nos últimos anos. Ele levou anos para ser aprovado porque a AT&T também é dona da empresa de TV por assinatura DirecTV.

Vantajoso para ambos

A combinação da WarnerMedia com o grupo Discovery reforça os negócios das duas companhias no momento em que as emissoras buscam investir no modelo de streaming, para fazer frente aos serviços de vídeo online como a Netflix, que tem hoje 208 milhões de assinantes.

Ao lado de serviços online como Disney Plus, Amazon Prime e Apple TV+, o canal HBO é um dos principais concorrentes da Netflix no mercado de streaming.

No primeiro trimestre, a empresa atingiu um total de 63,9 milhões de assinantes no mundo (somando os consumidores de TV a cabo e streaming) - um aumento de 18% sobre o mesmo período do ano passado.

A companhia tem um vasto e valioso catálogo de filmes, documentários e séries, entre elas os sucessos Game of Thrones, Sopranos e Chernobyl, e tem apostado nesse conteúdo para expandir o seu serviço de streaming HBO Max, que deve estrear este ano no Brasil e em outros países da América Latina e na Europa.

Já o grupo Discovery, que tem um valor de mercado de US$ 24 bilhões, tem uma extensa lista de documentários e produções de TV por assinatura, acumulada desde a fundação da empresa em 1985. Em janeiro deste ano, o grupo estreou seu serviço de streaming nos Estados Unidos.

No mês de abril, a plataforma havia alcançado 15 milhões de assinantes, de acordo com as informações da empresa. / com Agência Estado

Imagem do autor

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Empresa
Empresa
Empresa
Empresa
Veja mais Ver mais