Última modificação em 3 de fevereiro de 2021

O que é margem de avaliação?

A margem de avaliação, termo originado do Inglês “haircut”, é a diferença, em porcentagem, entre o valor de mercado de um ativo e o seu valor para fins de capital regulatório ou garantia de empréstimo (colateral).

Lembrando que capital regulatório é uma reserva financeira exigida por órgãos reguladores que evitam que a empresa passe por insolvência, que é um estado de dívida tão sério que a empresa se torna incapaz de pagar seus débitos. Já o colateral, é a garantia de pagamento quando se realiza uma dívida.

Além disso, a margem de avaliação também pode significar spread na bolsa. É a subtração entre o menor preço de venda e o maior preço de compra de uma ação, por um formador de mercado. Se determinada ação está sendo vendida a partir de R$ 5, por exemplo, e a sua oferta mais alta for de R$ 3, o spread por ação será de R$ 2.

Como funciona a margem de avaliação?

Por definição principal, o termo margem de avaliação é mais empregado como garantia de empréstimo. Entenda com o seguinte exemplo:

Suponha que você pede um empréstimo ao banco de R$ 10 mil reais e, como garantia, usará sua carteira de investimentos, que vale R$ 10 mil. Para o banco, é mais seguro ele considerar como garantia apenas R$ 5 mil, em vez de 10 mil. Esta redução de R$ 5 mil, que em porcentagem é de 50%, é chamada de margem de avaliação.

Mas, por que isso é necessário?

Todas as vezes em que um banco empresta dinheiro, sua primeira medida, como garantia, é o contrato de reembolso celebrado com o recebedor.

Contudo, se esse devedor não reembolsar o empréstimo, o banco central venderá os ativos fornecidos como garantia. Para isso, a instituição precisa ter a certeza de que conseguirá vendê-los a um preço que lhe permita cobrir todo o empréstimo.

Mas há um detalhe: os preços das ações sofrem modificações o tempo todo. Um dia elas valorizam, no outro desvalorizam. Daí a necessidade da margem de avaliação: é uma segurança extra, mas essencial, contra perdas financeiras para os bancos. Afinal, ele pode não ter todo o tempo necessário para esperar os ativos valorizarem, não é mesmo?

Margem de avaliação como spread na bolsa

O formador de mercado é uma pessoa jurídica cujo compromisso é manter ofertas de compra e venda de forma regular durante a sessão de negociação da bolsa. A diferença entre uma oferta de compra e uma de venda também é chamada de margem de avaliação — que pode resultar em lucro ou prejuízo.

Você pode ter uma aplicação prática disso ao observar o mercado cambial. Os varejistas não conseguem ter os mesmos spreads que os formadores porque os corretores cambiais aumentam esses spreads, para lucrar. Inclusive, no Forex, existe o serviço de fornecimento de spread bruto, que é comercializado e, logo, gera um custo extra ao varejista do mesmo jeito.

O que influencia a porcentagem para margem de avaliação?

Há fatores que determinam uma margem de avaliação de 50%, de 20% etc. Estes são alguns:

Dessa maneira, a margem de avaliação dada a um banco digital que solicita empréstimo ao banco central, por exemplo, pode ser radicalmente diferente da margem dada a obrigações de dívida pública. As instituições privadas podem oferecer mais risco e a sua margem será maior, ao passo que o Estado dá mais garantia e ganha uma margem menor.

Termo do dia

Fluxo de caixa livre

O que é Fluxo de Caixa Livre? O Fluxo de Caixa Livre é uma das ferramentas utilizadas pelos investidores para avaliar a saúde financeira de uma companhia….