termos

IGP-10

Autor:Equipe Mais Retorno
Data de publicação:15/10/2021 às 08:29 - Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O que é IGP-10?

O IGP-10 é a sigla que designa o Índice Geral de Preços, sendo que o período de coleta de informações é feito entre os dias onze (11) do mês anterior e dez (10) do mês referente. Este é um dos índices criados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 1947 e utilizados para mensurar as variações de preços de produtos, mercadorias e matérias-primas variadas.

Há três tipos de índice IGP, sendo eles o já mencionado IGP-10; IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado; e o IGP-DI (Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna). A análise e cálculo desses índices são feitos pelo Instituto Brasileiro de Economia (IBRE), uma instituição ligada à FGV.

Como se pode observar os títulos, os três índices são diferenciados por basicamente períodos que analisam, ou seja, o IGP-10 com aquele já especificado; o IGP-M coleta dados entre os dias vinte e um (21) do mês anterior e vinte (20) do mês referente; e o IPG-DI é coletado entre o dia um (1) e o último dia do mês referente.

Qual é a composição do IGP-10?

O IGP-10 é composto por três índices: IPA, IPC e INCC. A seguir, entenda melhor sobre como funciona e quais as características de cada índice que compõe o IGP-10.

IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo)

Este índice representa a maior parte da porcentagem com 60% de peso. Ter uma abrangência em nível nacional e pode ser analisada de acordo com os seguintes grupos:

  • Produtos agropecuários: produtos advindos de lavouras e da pecuária;
  • Produtos das indústrias de extração: produtos advindos da mineração;
  • Produtos das indústrias de transformação: produtos advindos das indústrias alimentícias, metalurgia, componentes químicos, entre outros;
  • Bens finais: produtos de utilização geral como alimentos, combustíveis, máquinas, equipamentos diversos;
  • Bens intermediários: produtos de uso da manufatura como embalagens, suprimentos, entre outros;
  • Matérias-primas brutas: agropecuária e mineração.

IPC (Índice de Preços ao Consumidor)

O peso do IPC é de 30% no cálculo do IGP-10 e consiste na análise e cálculo das despesas de famílias que recebem mensalmente entre 1 e 33 salários mínimos. Suas principais categorias são:

  • Habitação;
  • Alimentação;
  • Vestuário;
  • Saúde;
  • Educação;
  • Transporte;
  • Comunicação;
  • Despesas diversas.

INCC (Índice Nacional de Custos de Construção)

Como o próprio título indica, o INCC analisa os valores dispendidos na construção civil e tem o peso de 10% no IGP-10. Há duas categorias nesse índice:

  • Materiais, equipamentos e serviços;
  • Mão de obra.

Para que servir o IGP-10?

Os índices IGP são formas de medir e analisar os preços das mercadorias em suas áreas mais diversas. Esses índices se independem da inflação, ou seja, não obedecem a flutuações de mercado. É mais uma compilação de dados que uma interferência direta.

Desta forma, o IGP-10 é um desses índices que medem bens de produção, de capital e de consumo. É uma análise ampla que visa informar aos setores da economia sobre os preços das mercadorias.

Os índices IGP servem para auxiliar os órgãos responsáveis por reajustes de tarifas públicas, reajustes em contratos de aluguel ou compra e venda de imóveis, planos de saúde, seguros de saúde, entre outras áreas.

Qual é a parcela da população a qual o IGP-10 se refere?

Sendo um índice de análise de mercadoria com alcance muito amplo, o IGP-10 é direcionado para toda a população. Não há restrição de renda ou classe social, afinal, a precificação independe dessas diferenciações.

Além disso, os índices IGP não são conectados ao governo ou a empresas, ou seja, não existe nenhuma correlação entre um determinado governante e as oscilações de preços do índice. O IGP-10 é uma das categorias do índice IGP que se ocupa da compilação de dados.

Sobre o autor
Equipe Mais RetornoA Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!
Mais sobre

Inscreva-se em nossa newsletter

Philip Lowe

Philip Lowe

Quem é Philip Lowe? Philip Lowe é um economista australiano e presidente do Banco da Reserva da Austrália (RBA), o banco central do país.   Lowe também...

  CONTINUAR LENDO