Economia

O número de pessoas desempregadas no País totalizou 14,8 milhões de pessoas e a taxa de desocupação atingiu 14,7% no trimestre móvel de janeiro a março deste ano, batendo um novo recorde no País. Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira, 27.

Foto: Fotos Públicas
Brasil tem novo recorde de pessoas desempregadas no País entre janeiro a março, segundo PNAD - Foto: Fotos Públicas

A taxa de desemprego do período foi recorde da série histórica iniciada em 2012, com alta de 0,8% frente ao período de outubro a dezembro de 2020 e elevação de 2,5% ante a mesma base de comparação do ano anterior.

O volume de pessoas sem emprego subiu 6,3% - mais de 880 mil pessoas – sobre o trimestre diretamente anterior (13,9 milhões) e em 15,2% (mais 1,956 milhão) frente ao trimestre do mesmo período de 2020 (12,9 milhões de pessoas).

População empregada

Já a população ocupada (85,7 milhões de pessoas) ficou estável ante os meses de outubro, novembro de dezembro do ano passado, e caiu 7,1% sobre a base igualitária de 2020.

O nível do percentual de pessoas empregadas na população em idade de trabalhar chegou a 48,4% no período, queda de 0,5% sobre o trimestre móvel de outubro a dezembro (48,9%). Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, houve queda de 5,1% (53,5%).

Carteira assinada

O número de empregados com carteira de trabalho assinada foi de 29,6 milhões entre janeiro e março deste ano. Sobre os últimos três meses do ano anterior, o volume se manteve estável, porém caiu 10,7% (menos de 3,5 milhões) ante o mesmo período de 2020.

Já a renda habitual (R$ 2.544) ficou constante em ambas as comparações.

Autônomos

O número de trabalhadores por conta própria (23,8 milhões) teve avanço de 2,4% frente ao trimestre móvel anterior (mais 565 mil de pessoas) e ficou estável na comparação anual.

Informalidade

O volume de pessoas que trabalham na informalidade representou 39,6% dos trabalhadores empregados, ou 34,0 milhões. No trimestre anterior, a taxa havia sido 39,5% e no mesmo trimestre de 2020, 39,9%.

Imagem do autor

Repórter do Portal Mais Retorno.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Economia
Economia
Economia
Economia
Veja mais Ver mais