Logo Mais Retorno
Conheça o Retorno Prime
credisuisse5.jpg
Empresa

Senado dos EUA acusa Credit Suisse de violar termos de acordo criminal de 2014

Credit Suisse admitiu que ajudou americanos a sonegar impostos por anos

Data de publicação:29/03/2023 às 17:53 -
Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:

O Credit Suisse violou os termos de um acordo criminal de 2014, no qual o banco suíço prometia parar de ajudar norte-americanos a esconder ativos das autoridades fiscais dos EUA, segundo relatório do Senado do país divulgado nesta quarta-feira. 

A equipe democrata do Comitê de Finanças do Senado alega que o Credit Suisse falhou em relatar transferências bancárias vinculadas ao que diz ser uma conspiração fiscal criminosa envolvendo quase US$ 100 milhões em poder de uma família com dupla cidadania nos EUA e na América Latina.

credit suisse.webp
O Credit Suisse admitiu que ajudou americanos a sonegar impostos por anos

O banco também, parcialmente em resposta ao inquérito do comitê, recentemente identificou mais contas que podem estar vinculadas a americanos.

"É profundamente preocupante que, quase nove anos depois de executivos afirmarem perante o Congresso que o banco iria sanear suas operações, o Credit Suisse ainda esteja revelando centenas de milhões de dólares em contas secretas no exterior pertencentes a ricos contribuintes dos EUA", afirma o relatório.

A conclusão do documento é mais um revés para o Credit Suisse, que está sendo comprado pelo concorrente UBS, em uma operação emergencial intermediada por reguladores suíços. Como parte do acordo, o UBS aceitou assumir os substanciais passivos legais do Credit Suisse.

Em seu acordo judicial de 2014 com o Departamento de Justiça, o Credit Suisse admitiu que ajudou americanos a sonegar impostos por anos. Na ocasião, o banco concordou em pagar US$ 2,6 bilhões em multas e garantiu que passaria a cumprir a lei dos EUA.

O relatório do Senado sugere que há brechas no sistema dos EUA para a localização de contas estrangeiras de americanos e pede à receita federal do país (IRS) e ao Departamento de Justiça que aprofundem as investigações.

O documento diz ainda que o governo suíço ou qualquer entidade que compre o Credit Suisse deve ser responsável por multas decorrentes de violações do acordo judicial de 2014./ Agência Estado 

Leia mais

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!

Inscreva-se em nossa newsletter