Economia

Num cenário de explosão de preços de commodities e de recuperação das vendas de combustíveis no Brasil, a Petrobras fechou o primeiro trimestre deste ano com lucro de R$ 1,16 bilhão.

O resultado reverte o prejuízo de R$ 48,5 bilhões no primeiro trimestre de 2020, quando a pandemia de Covid-19 derrubou a cotação do petróleo do tipo Brent, negociado na bolsa de Londres, e também o consumo de derivados no Brasil. A companhia fechou o pregão desta sexta-feira, 14, com valorização de 4,8% de suas ações.

petrobras
Edifício sede da Petrobras na Avenida Chile, centro da cidade.

Diante das perspectivas pessimistas com o comportamento da commodity ao longo do ano, a Petrobras fez, na época, uma série de baixas contábeis de seus ativos, prevendo que boa parte deles não valeria a pena com o barril do petróleo na casa dos US$ 30. As apostas, no entanto, não se concretizaram, e a empresa fechou o ano passado com lucro trimestral recorde de R$ 59,89 bilhões.

Neste trimestre, a empresa aproveitou a alta do petróleo no mercado internacional para reforçar sua receita, ao promover reajustes em suas refinarias toda vez que o barril ficava mais caro nas principais bolsas de negociação do mundo.

A resiliência do agronegócio garantiu o crescimento da venda de óleo diesel, usado no transporte de produtos agrícolas, e o afrouxamento das medidas de isolamento manteve o comércio de gasolina. A Petrobras ainda conseguiu aumentar sua participação nos mercados dos dois combustíveis para 73%.

Na comparação com o quarto trimestre do ano passado, houve retração de 98,1% do resultado, por conta da desvalorização do real frente ao dólar, que pesou nas despesas financeiras.

O balanço frustrou analistas de mercado, que apostavam num lucro de R$ 4,7 bilhões, segundo prévia do Broadcast elaborada a partir das expectativas de seis casas - Bradesco BBI, BTG Pactual, UBS, XP Investimentos, Santander e Itaú BBA.

Ebtida de R$ 48,94 bi registra alta de 30,5%

Com o petróleo em alta e as vendas crescendo, o Ebitda da Petrobras no primeiro trimestre deste ano, de R$ 48,94 bilhões, representou um avanço de 30,5% sobre igual período do ano passado e de 4,1% em relação ao quarto trimestre de 2020.

Em sua contabilidade, a Petrobras utilizou uma cotação média de Brent de US$ 60,90 por barril e câmbio de R$ 5,47.

As receitas de venda, de R$ 86,17 bilhões foram 14,2% maiores do que no primeiro trimestre do ano passado e 14,9% acima do quarto trimestre de 2020, e ajudaram a empresa a engordar o caixa. O comércio de óleo diesel foi o que mais contribuiu. A venda do combustível cresceu 39,6% comparado a igual período do ano passado e 26,7% ante o quarto trimestre. O valor total comercializado foi de R$ 25,16 bilhões.

Ao todo, a empresa arrecadou R$ 52 bilhões com a venda de derivados. O conjunto dos seus produtos gerou receita de R$ 86,17 bilhões, dos quais R$ 62,28 bilhões apenas no mercado interno.

Já o endividamento líquido, no primeiro trimestre, caiu de US$ 63,17 bilhões para US$ 58,42 bilhões, retração de 7,5% em comparação ao fechamento do ano passado. Frente a igual período do ano anterior, a queda foi de 20,1%.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Veja mais Ver mais