Empresa

Na última sexta-feira, a Vale e a BHP anunciaram que a Samarco, joint venture controlada pelas duas empresas, entrou com o processo de recuperação judicial no Brasil. Para os analistas da XP Investimentos, o impacto deve ser limitado e não irá afetar a própria Vale e nem a produção de minério.

Segundo relatório divulgado pela XP sobre o assunto nesta segunda-feira, 12, que traz a assinatura dos analistas do setor financeiro Marcel Campos e Matheus Odaguil, vários fatores reduzem o impacto dessa decisão. O fato do mercado de dívida (DCM) representar grande parte da dívida da Samarco é uma delas.

Pedido de recuperação judicial da Samarco não afeta Vale ou produção de minério, diz XP
Produção de minério não será afetada com o pedido de recuperação judicial da Samarco - Foto: Envato

“Embora não tenhamos um detalhamento exato, uma parte relevante da dívida de US$ 4,7 bilhões da empresa são títulos e contratos de pré-pagamento de exportação, que são detidos em grande parte por investidores ativos no mercado em dificuldades, que é um segmento especializado onde os bancos têm baixa exposição”, aponta o relatório.

Bancos já estavam de olho e estão preparados para lidar com essa notícia, diz XP

Outro aspecto é que os empréstimos bancários sem garantia devem ser provisionados ou já baixados como perdas. “Esperamos que os bancos já tenham provisionado ou baixado como perda esses empréstimos de seus balanços”, dizem os analistas.

De acordo com o documento da XP, alguns pontos não passariam despercebido pelos analistas, como a sinalização da bandeira vermelha pela Samarco ao ao deixar de pagar suas obrigações com ambas as notas sem seguros d US$ 700 mil e de US$ 500 mil.

Além disso, a dívida não tinha garantias pela Vale e BHP, os acionistas controladores. E destaca ainda o relatório a classificação da Samarco por agências como a Fitch como uma empresa inadimplente desde 2016.

Para a XP, os bancos estão fortemente provisionados para lidar com esse movimento da Samarco. “Mesmo se enganados, acreditamos que os bancos poderiam lidar com tal evento com facilidade, visto que players como o Bradesco têm 4x mais reservas de provisão do que saldo inadimplência”, concluem os analistas.

Imagem do autor

Repórter do Portal Mais Retorno.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Empresa
Empresa
Economia
Empresa
Veja mais Ver mais