Logo Mais Retorno
juros
Índices e Indicadores

O que é a taxa Selic e como ela afeta seus investimentos

Taxa é usada para financiamento entre bancos e é base para as taxas dos empréstimos

Data de publicação:03/08/2022 às 05:00 -
Atualizado 6 meses atrás
Compartilhe:

Em algum momento da sua vida, em noticiários econômicos, certamente você já ouviu falar sobre a tão famosa taxa Selic. Ou então, como ela também é bem conhecida, taxa básica de juros da economia.

Entretanto podem nunca ter te explicado o mais importante: o que é essa taxa, como ela impacta na economia do país e qual a influência dela nos seus investimentos.

Selic
A Selic ifnluencia tanto o custo do crédito como a remuneração dos investimentos - Foto: Envato

O conteúdo abaixo foi escrito exatamente com o objetivo de te ajudar a aprender mais sobre esse assunto e a tomar melhores decisões de investimentos futuros.

Você pode ter uma boa ideia sobre o que é a taxa SELIC e seus principais pontos nesta série inédita do Mais Retorno abaixo:

O que é a Taxa SELIC?

Selic é a abreviação para Sistema Especial de Liquidação e de Custódia. Dentro desse sistema, os bancos realizam operações de crédito fechadas entre eles que tem como garantia os títulos públicos. Essas operações são chamadas de “overnight”, pois ocorrem de um dia para o outro.

Os juros que um banco paga por esses empréstimos realizados entre eles é a taxa Selic, definida também como taxa básica de juros do País.

De maneira mais simples, podemos dizer que a Selic é a taxa “mãe” da economia brasileira. Ou seja, serve como parâmetro para todas as outras taxas de juros do Brasil.

Dessa forma, se o governo aumentar a taxa Selic, os juros que um banco paga relativos aos empréstimos feitos entre eles, ficarão também mais altos.

As taxas de financiamentos, empréstimos e cheque especial oferecidas por essas instituições financeiras ao público, acompanham esse aumento e, consequentemente, ficam mais caras.

Por outro lado, em caso de aumento da taxa Selic, os investimentos atrelados a ela serão igualmente mais vantajosos. O mesmo acontece no sentido contrário.

Se o governo decidir por um corte na taxa Selic, por exemplo, as demais taxas de crédito do mercado irão acompanhar essa queda e os investimentos ligados a ela se tornarão menos rentáveis.

Como e por quem é definido o valor da taxa Selic?

Sabe aquelas reuniões do Copom (Comitê de Política Monetária), que frequentemente escutamos a respeito nos jornais quando o assunto é economia?

Pois então, elas ocorrem 8 vezes ao ano, a cada 45 dias, justamente para determinar a meta de taxa de juros da Selic para o próximo período.

Esse comitê do Banco Central considera diversos fatores e indicadores da economia para a sua tomada de decisão. É o caso, por exemplo, dos seguintes fatores:

Depois de estabelecida a meta dataxa Selic, essa informação é divulgada oficialmente conforme a definição final do Conselho.

Taxa Selic x inflação: como essa relação influencia a economia do País?

Você sabia que o governo utiliza a taxa Selic como ferramenta de controle da inflação?

Isso mesmo! Quando o governo busca incentivar a oferta de empréstimos interbancários, ele provoca uma queda nas taxas de juros dos Bancos em resposta à redução da taxa Selic.

Desse modo, ele estimula o consumo e acelera a economia, pois com mais dinheiro circulando no mercado em função da queda nos custos dos empréstimos e financiamentos oferecidos por essas instituições, maior o poder de compra das pessoas que acabam consumindo mais, o que leva ao aumento do índice geral dos preços.

O crescimento do consumo requer um maior nível de produção e emprego para atender o aumento da demanda por produtos e serviços, gerando maior desenvolvimento econômico para o país.

No entanto, como consequência da economia aquecida e de um maior poder de compra da população, os preços começam a crescer excessivamente e a inflação volta, então, a subir. E como o governo age nesse caso?

Ele aumenta a Selic para frear a inflação. Com isso, os empréstimos e financiamentos voltam a ficar mais caros e as pessoas diminuem o consumo, desacelerando o aumento dos preços. Ou seja, provocando uma queda dos índices inflacionários.

Podemos perceber, através de toda essa dinâmica, que o governo usa a taxa Selic como instrumento de controle da inflação.

De forma resumida, quando essa taxa está alta, existe uma menor quantidade de dinheiro disponível no mercado e as pessoas diminuem, assim, o consumo. Logo, a demanda por produtos e serviços é menor gerando uma queda nos preços e a redução da atividade econômica. O mesmo acontece no sentido oposto.

Podemos concluir, com isso, que essa política monetária impacta fortemente no aumento ou redução do crescimento econômico do País.

Mas o que isso tem a ver com meus investimentos? Não se preocupe, daqui a pouquinho iremos falar melhor sobre isso. Antes, no entanto, peço sua atenção para outra taxa que também tem relação com as oscilações da Selic: a taxa de câmbio.

Relação Taxa de Câmbio x Taxa Selic

O aumento ou queda da taxa básica de juros da economia também reflete no câmbio, principalmente no que se refere ao dólar.

Essa relação ocorre no seguinte sentido: quanto maior a taxa de juros, maior o grau de investimentos estrangeiros no país e vice-versa. Isso acontece porque com essa taxa alta, os investimentos atrelados a ela se tornam mais atrativos para investidores de outros países.

Sendo assim, se estiver elevada, a Selic atrairá capital estrangeiro para dentro do Brasil e com uma maior oferta de moeda estrangeira no País, especialmente o dólar, o real se valoriza frente a essas moedas.

Com a desvalorização da moeda norte-americana, o custo da importação diminui. Ou seja, os produtos importados ficam mais baratos. Por causa disso, o Brasil aumenta o nível de importação, comprando mais produtos de fora do país.

Isso faz com que haja uma maior concorrência entre produtos nacionais e importados, acompanhada por uma diminuição dos preços e, consequentemente, uma queda da taxa de inflação.

Agora que já vimos a importância da taxa Selic na economia do País vamos entender, enfim, como ela impacta nos seus investimentos.

Como a Selic afeta os seus investimentos?

Pois bem, a Selic, não só influencia a Economia, mas também ela afeta direta ou indiretamente os investimentos, tanto aqueles de renda fixa como os de renda variável.

Porém, antes de falar sobre o impacto da Selic nessas aplicações, não posso esquecer de mencionar a importância dessa taxa para um dos investimentos mais conhecidos entre os brasileiros: a caderneta de poupança.

A taxa Selic e a poupança

Se os rendimentos da caderneta de poupança já não eram nada vantajosos comparados a outras opções que você vai encontrar no mercado, as novas regras definidas para esse tipo de aplicação, em 2012, tornaram esse investimento ainda mais desvantajoso.

Segundo a lei definida, o cálculo do rendimento da poupança sofre alterações de acordo com o patamar da própria taxa Selic. A regra de cálculo é relativamente simples:

  • Se a Selic estiver igual ou menor que 8,5% ao ano, a poupança rende apenas 70% da taxa básica de juros, com o acréscimo da Taxa Referencial, definida pelo Banco Central.
  • Já quando a Selic estiver acima de 8,5% ao ano, o rendimento será de 0,5% ao mês (equivalente a 6,17% ao ano) somada à Taxa Referencial.

A imagem abaixo ilustra essa situação para os rendimentos da poupança desde o ano de 2012 e válido até os dias atuais. Importante: a lei é válida apenas para depósitosa partir da data que ela entrou em vigor. Isto é, posteriores a 4 de maio de 2012.

Rendimento da poupança

Note que, em qualquer cenário, há uma grande desvantagem nos rendimentos da poupança. Ainda que exista Imposto de Renda em outros investimentos, ele não é suficiente para cobrir essa diferença de rentabilidade.

Isso fica bem claro no gráfico abaixo, comparando as duas taxas ao longo dos últimos dois anos. Note como a diferença de rentabilidade apenas aumenta com o passar dos meses. O prazo de 24 meses já faz a Selic render 144% da caderneta de poupança. Você pode testar o impacto em outros períodos de tempo na nossa ferramenta de comparação de ativos.

Taxa Selic e a Renda Fixa

Uma amostra de como as variações dessa taxa impactam suas aplicações, vamos considerar os investimentos de renda fixa atrelados a ela. É que as taxas de juros são usadas como base de remuneração dessas aplicações. Mas o que isso significa?

Significa que, quando a Selic sobe, aumenta também a rentabilidade das aplicações ligadas a ela. Isso ocorre, por exemplo, no caso do Tesouro Selic, que rende em torno de 100% dessa taxa. Ou então com ativos bancários, como CDBs, LCAs, LCIs e LCs pós-fixados, que têm como indexador o CDI, cujo valor percentual é bem próximo da Selic.

Portanto, caso a Selic diminua, o valor da remuneração dessas aplicações irá seguir essa queda. E vice-versa. Veja no gráfico abaixo como sequer conseguimos enxergar a linha da Selic, justamente porque o CDI tem performance praticamente idêntica ao longo do tempo.

Já no caso dos prefixados, o mesmo não acontece, porque no ato da aplicação o percentual do rendimento já é pré-determinado. Se você faz o resgate desses títulos no seu vencimento, esse valor não sofrerá nenhuma alteração por causa da variação da Selic.

Exemplo prático de aplicação de renda fixa

Para entendermos melhor, vamos vconsiderar um cenário como exemplo.

Caso você investisse R$5.000,00 hoje em um CDB prefixado a uma taxa de 10% ao ano e com prazo de vencimento de dois anos, resgataria na data do vencimento um valor líquido de R$5.892,50, já descontado o Imposto de Renda de acordo com a tabela regressiva.

Esse mesmo investimento, pós-fixado, considerando a Selic de agosto de 2022, geraria um ganho líquido de R$6.191,24. O motivo é que a taxa Selic está maior do que 10% ao ano e, neste caso, ela acompanharia ciclos de alta. Da mesma forma, em períodos de baixa dos juros, os títulos pós-fixados também perdem rentabilidade.

Já o rendimento líquido da aplicação prefixada não sofrerá influênciade eventuais variações da Selic: ela irá render uma taxa fixa de 10% ao ano. Lembrando que esses títulos rendem a juros compostos. Ou seja, os juros do período atual incidem sobre os juros do período passado.

Taxa Selic e Renda Variável

Quando o assunto é renda variável, como as ações, a influência da Selic ocorre de maneira indireta, pois está relacionada ao crescimento ou queda da taxa de juros do mercado.

Aprendemos anteriormente que, quando há um estímulo ao crescimento da economia com a queda da Selic e, consequentemente, a depreciação das demais taxas de mercado, há um aumento do consumo e do emprego, gerando assim, crescimento econômico como um todo. Com isso, as empresas crescem e com elas, sobe também o valor de suas ações.

Além disso, as taxas de remuneração da renda fixa perdem em atratividade. Esse fator contribui para que os investidores aumentem a tolerância ao risco em busca de maiores ganhos financeiros.

O contrário também é verdadeiro. O aumento da Selic representa uma maior dificuldade para a economia, com financiamento mais caro e baixo estímulo ao consumo. Desta forma, as ações tendem a se desvalorizar com investidores vendendo seus ativos e migrando para as taxas mais atrativos da renda fixa.

Afim de te motivar a alcançar esses objetivos, aí vai uma dica de um dos maiores investidores de todos os tempos: Warren Buffett.

“Invista naquilo que você conhece e entende”.

O que é de fato importante na hora de investir?

Conforme vimos, a taxa Selic serve como base, de maneira direta ou indireta, para quaisquer aplicações. Sendo assim, na hora de investir, é muito importante que você analise as variações dessa taxa e acompanhe seu crescimento antes de qualquer tomada de decisão.

Além disso, nunca deixe de considerar o contexto em que o mercado financeiro se encontra, pois é fundamental estar sempre atento para aproveitar as melhores oportunidades.

Por fim, suas aplicações financeiras devem ser feitas de acordo com suas características de investidor. Descubra, portanto, qual é o seu perfil e analise os produtos disponíveis no mercado adequados para você que te ajudem a obter mais retornos e alcançar seus objetivos.

Para descobrir seu perfil de investidor, preparamos um teste do Mais Retorno que é completamente diferente dos que existem por aí: ele é simples, intuitivo e rápido, você não vai levar nem dois minutos para terminar (e no final ainda receberá um material exclusivo surpresa de brinde)!

Para fazer o teste, basta clicar aqui!

Conclusão

Depois de ler esse texto, você já está preparado para compreender as movimentações da taxa Selic e saber como tomar as melhores decisões na hora de investir.

Se ainda ficou com alguma dúvida ou quiser compartilhar mais ideias com a gente e outros leitores, deixe seu comentário abaixo!

A participação nos comentários sempre engrandece ainda mais o tema e o esclarecimento das ideias!

Aproveite e compartilhe esse conteúdo com mais investidores. Como vimos, a taxa Selic é a base para muitos investimentos e podemos ajudar ainda muito mais gente.

Sobre o autor
Stéfano Bozza
Formado em Administração pela PUC-SP. Trabalhou em empresas do segmento financeiro (Itaú BBA) e varejo (BRMALLS) até 2016, quando iniciou a jornada de produção de conteúdo para a internet com foco em finanças.

Inscreva-se em nossa newsletter