Logo Mais Retorno
bradesco
Empresa

O que Bradesco e BV ganham com a parceria na criação de uma asset?

A carteira de ativos do Banco Votorantim complementa com a do Bradesco

Data de publicação:24/08/2022 às 16:48 -
Atualizado 5 meses atrás
Compartilhe:

A parceria entre o Bradesco e BV DTVM, do Banco Votorantim, para a criação de nova asset de investimentos, é um negócio que combina interesses comuns, avalia Pedro Queiroz, especialista em reda variável da SVN. “A carteira de ativos do Banco Votorantim complementa com a do Bradesco”, destaca.

Bradesco e BV
BV Asset traz a alta renda para carteira do Bradesco - Foto: Divulgação

O ponto principal, explica Queiroz, é que a BV Asset tem forte exposição a fundos imobiliários e produtos estruturados dirigidos a faixa de clientes de alta renda. “A parceria vai ampliar a carteira de clientes do Bradesco, bastante focada na renda fixa”, com ativos diferentes e tíquetes maiores.

A carteira da BV DTVM, nessa parceria, atende à política de diversificação do Bradesco em uma faixa de clientes de alta renda, “o que casa muito bem com o portfólio do Bradesco e traz mais rentabilidade ao banco”.

As sinergias na operação entre Bradesco e BV

O acordo com o Banco Votorantim para a formação de nova gestora de investimentos fortalece também a posição do Bradesco no mercado. Para o especialista, o setor de fundos de investimento passa por um momento de consolidação em que novas iniciativas de bancos e gestoras, semelhantes a essa, devem fazer parte do cenário daqui para a frente.

Novas parcerias trazem benefícios também ao investidor, “que ganha com a diversificação de produtos, da mesma forma que os bancos, que ganham com a diversificação de clientes”, acredita Portugal.

Para ser sacramentado, lembra o especialista, o acordo entre Bradesco e Banco Votorantim precisa ser aprovado ainda pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), Banco Central e Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Como é a parceria

Na transação, o Bradesco, por meio de uma de suas controladas indiretas, irá adquirir 51% do capital da BV DTVM (Sociedade), que concentra a gestão de recursos de terceiros e a atividade de private banking do banco BV. Os valores da operação não foram informados.

Com atuação no mercado brasileiro desde 1999, a BV DTVM é a 9ª maior gestora de fundos imobiliários, segundo ranking da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima), com mais de R$ 41 bilhões de ativos sob gestão.

O BV Private oferece soluções financeiras e patrimoniais customizadas para clientes de alta renda, ocupando o 9º lugar entre os private bankings do País.

O Bradesco já possui ampla e sólida plataforma local de asset management, com mais de R$ 544 bilhões sob gestão, e de private banking, com mais de R$ 380 bilhões sob gestão, sendo o 3º e 2º maior gestor em cada segmento, respectivamente.

Sobre o autor
Tom Morooka
Colaborador do Portal Mais Retorno.

Inscreva-se em nossa newsletter