Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Mercado ao vivo: acompanhe as movimentações da Bolsa e do dólar nesta sexta-feira, 27 de maio

Bolsa e dólar vivem dia de bastante volatilidade

Data de publicação:27/05/2022 às 11:04 -
Atualizado um mês atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A Bolsa de Valores brasileira, a B3, amanheceu com bastante volatilidade nesta sexta-feira, 27, oscilando entre altas e baixas logo no início do pregão. Às 10h51, o Ibovespa, principal índice acionário do País, registrava leve avanço de 0,09%, aos 111.988 pontos, diferente dos mercados globais, que vivem um dia de altas mais expressivas.

B3 bolsa
Sede da B3, a Bolsa de Valores brasileira | Foto: B3/Divulgação

Na ponta positiva, as empresas exportadoras de minério de ferro impulsionam a Bolsa, acompanhando a valorização da commodity no exterior. A Vale, empresa com maior peso na composição do Ibovespa, subia 1,47% no mesmo período. Em contrapartida, a Petrobras, que também tem um peso importante no índice (cerca de 11%), segurava uma disparada maior da Bolsa e caía 2,83%.

O dólar, por sua vez, registrava leve alta de 0,10%, às 10h52, quando era cotado a R$ 4,76. A moeda americana também vive um dia de volatilidade.

O dia na Bolsa

Maiores altas da Bolsa

EmpresaCódigoVariação
CSN CSNA3+2,96%
BRFBRFS3+2,75%
CSN MineraçãoCMIN3+2,42%
HapvidaHAPV3+2,26%
IRB BrasilIRBR3+2,04%
Fonte: B3 | Dados atualizados às 10h52

Maiores baixas da Bolsa

EmpresaCódigoVariação
YduqsYDUQ3-3,27%
Petrobras PNPETR4-3,05%
Petrobras ONPETR3-2,30%
LocawebLWSA3-2,16%
ViaVIIA3-2,09%
Fonte: B3 | Dados atualizados às 10h52

Mercados internacionais

Nos Estados Unidos, o índice de preços de gastos com consumo (PCE) - medida de inflação preferida do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) - subiu 0,2% em abril ante março, segundo dados publicados nesta sexta pelo Departamento do Comércio dos Estados Unidos. O núcleo do PCE, que exclui itens voláteis como alimentos e energia, avançou 0,3%, em linha com as expectativas de analistas.

A pesquisa também mostrou que a renda pessoal nos Estados Unidos cresceu 0,4% em abril ante março. Neste caso, a projeção do mercado era de acréscimo de 0,5%. Já os gastos com consumo subiram 0,9% no mesmo intervalo, superando expectativas de alta de 0,7%. Com estes números, os mercados americanos abriram o dia em terreno positivo.

Na Europa, os principais índices acionários também operam em alta, acompanhando o bom humor global com os dados americanos e ainda repercutindo a ata do Fed, divulgada na última quarta-feira. Analistas do BTG Pactual afirmam que, se as bolsas continuarem neste ritmo ao longo do dia, vão fechar a semana com o melhor desempenho desde março.

Na Ásia, as bolsas fecharam no positivo, acompanhando o último pregão de Wall Street, que foi de altas acentuadas, com os principais índices acionários norte-americanos reagindo bem aos balanços corporativos divulgados pelas grandes varejistas dos Estados Unidos.

Além disso, as gigantes do varejo eletrônico Alibaba e Baidu, listadas em Hong Kong, também contribuíram para o dia de altas no continente asiático, com valorizações expressivas de 12,21% e 14,26%, respectivamente. A disparada dos papéis aconteceu depois da divulgação de seus balanços do primeiro trimestre de 2022, que vieram melhores do que o esperado pelo mercado.

Desempenho das bolsas americanas

  • Dow Jones: alta de 0,47%
  • S&P 500: alta de 1,18%
  • Nasdaq 100: alta de 1,84%

Dados atualizados às 10h40

Desempenho das bolsas europeias

  • Stoxx 600 (Europa): alta de 1,06%
  • FTSE 100 (Inglaterra): alta de 0,23%
  • DAX (Alemanha): alta de 1,02%
  • CAC 40 (França): alta de 1,10%

Dados atualizados às 10h41

Fechamento das bolsas asiáticas

  • Xangai Composto (China): alta de 0,23%
  • Shenzhen Composto (China): fechou no zero a zero
  • Hang Seng (Hong Kong): alta de 2,98%
  • Nikkei (Japão): alta de 0,66%
  • Kospi (Coréia do Sul): alta de 0,98%
  • Taiex (Taiwan): alta de 1,86%
Sobre o autor
Bruna Miato
Repórter na Mais Retorno