Mercado Financeiro

A Bolsa fechou em alta de 0,76%, aos 126.003,86 pontos, nesse início de semana, impulsionada principalmente pela recuperação do minério de ferro no mercado internacional.

Movimento que, segundo Rafael Ribeiro, analista da Clear Corretora, permitiu a valorização dos papeis do setor siderúrgico, com destaque para Usiminas e também Vale, que tem suas ações próximas da máxima histórica, de R$ 118,13. Ações de CSN e Petrobrás também fecharam em alta, reforçando os números positivos do mercado.

capital estrangeiro
Sede da B3 em São Paulo - Foto: B3/Divulgação

"As commodities metálicas subiram em um processo de recuperação das quedas recentes com notícias que as principais províncias produtoras de aço chinesas pretendem limitar sua produção neste começo de semestre para os níveis do ano passado", explica Ribeiro. Decisão que vem ao encontro "dos esforços do país em reduzir as emissões de carbono, o que eleva a expectativa de lucro para as empresas no curto prazo", acrescenta.

Segundo avaliação de especialistas do setor, não há disponibilidade de abastecimento suficiente para alimentar o crescimento do consumo de aço chinês no segundo semestre, especialmente para produtos longos. Além disso, ainda refletem os dados de produção mundial de aço publicados pela WorldSteel na sexta-feira passada, que encerrou o primeiro semestre de 2021 com aumento de 14,4% comparado com o mesmo período de 2020.

Como consequência, papeis de mineradoras e siderúrgicas exibiram altas importantes no final do pregão: a Vale subiu 2,17%; CSN, 3,54%; Usiminas, 3,56%; e Gerdau, 3,45%.

Sobe e desce da B3

A Petrobras apresentou valorização de 2,73% na B3, após anunciar ao mercado que convocou uma assembleia geral para a eleição de membros do conselho, além do presidente do colegiado.

Os bancos também deram sua contribuição para alta do Ibovespa: Itaú subiu 1,76%; Bradesco, 0,84%; e Santander, 2,25%.

Nesta segunda-feira, a AgroGalaxy estreou na B3 e desde o início do dia seus papéis operaram em forte queda. No fechamento, o resultado negativo foi de 22,55%, com o papel negociado a R$ 10,65.

A Livetech também fez seu primeiro pregão na Bolsa e também fechou em queda de 4,51%.

Após divulgar seu balanço do segundo trimestre deste ano - lucro líquido de R$ 470,6 milhões, alta de 18,7% ante a mesma base comparativa de 2020 - a Hypera subiram mais de 1% durante o pregão, mas no fechamento devolveram a valorização, fechando com queda residual de 0,055%.

A XP divulgou que retomou a cobertura para as ações da Positivo, com recomendação de compra e preço-alvo de R$ 16 por ação para o final de 2021. Depois disso, os papéis da companhia subiram 13,41%.

Estimativas para a inflação e juros

Nesta manhã, o Banco Central divulgou mais uma edição do Boletim Focus, que traz as estimativas dos economistas do mercado para os principais indicadores econômicos do País. Segundo o documento, eles continuam subindo as projeções sobre a inflação e a taxa de juros básica do País para 2021.

De 6,31% na última semana, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi elevado para 6,56%, enquanto a Selic, de 6,75% aumentou para 7,00%. Para 2022, o cenário também aponta um viés altista para ambos os índices: as estimativas da inflação subiram de 3,75%, no boletim anterior, para 3,80%, e a Selic foi mantida em 7,00%.

Dólar em queda

O dólar viveu mais um dia de queda, de 0,70%, e ficou cotado R$ 5,174.

Cenário político

Juntamente com os dados econômicos, os investidores monitoram ainda os ruídos políticos locais. Atos foram realizados no último sábado, 24, por todo o País pedindo o impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

O presidente voltou a atacar a realização das eleições em 2022, o Supremo Tribunal Federal (STF) e o ministro Luis Roberto Barroso, dificultando a aproximação entre os Poderes.

Protestos de caminhoneiros são monitorados, mas o governo afirma que não há bloqueio em estradas federais. Há expectativas ainda pela chegada do senador Ciro Nogueira à Casa Civil, que demonstra crescente domínio do Centrão no governo Bolsonaro, o que deixa as reformas e gastos públicos no radar.

NY: bolsas em alta

Nos Estados Unidos, os contratos negociados nas bolsas de Nova York operam em alta, com os investidores em compasso de espera sobre a reunião do Fomc (Copom americano) e de olho no avanço da variante Delta do coronavírus, o que pode complicar a retomada econômica global.

No fechamento, o índice S&P 500 fechou com avanço de 0,26%, Dow Jones com ganhos de 0,24% e Nasdaq, com alta de 0,09%.

Além disso, os investidores seguem acompanhando com atenção a temporada de divulgação de balanços trimestrais.

De acordo com a Capital Economics, o início positivo da temporada de balanços do segundo trimestre nos EUA ajudou a cimentar as expectativas de que o crescimento do lucro ajustado por ação nos próximos anos também será muito rápido.

Desta forma, a consultoria crê que analistas vão aumentar suas perspectivas de crescimento dos lucros de empresas americanas, e o impulso visto recentemente nos mercados de Nova York após resultados acima do esperado deve arrefecer, o que provocará menores ganhos dos índices nos próximos dois anos.

CPI da Covid: fake news

O presidente da CPI da Covid, Omar Aziz, reforçou na véspera que a comissão quer ouvir representantes do Facebook, Twitter e Google sobre a veiculação de conteúdo falso ou contrário às evidências científicas em meio à pandemia do novo coronavírus. "

É depoimento, por permitir que se fizesse propaganda de medicação dentro desses aplicativos, sem comprovação científica. Fake news de medicação", afirmou Aziz ao Broadcast Político.

As convocações foram aprovadas no fim de junho e a data das oitivas ainda será resolvida, segundo o presidente da CPI. Grupo majoritário da comissão que reúne senadores independentes e de oposição ao governo, o 'G7' vai se reunir neste domingo para decidir a pauta da comissão no retorno aos trabalhos, após o recesso parlamentar, disse Aziz.

A convocação das plataformas, em junho, foi decidida pelos senadores como forma de enquadrar a postura do presidente Jair Bolsonaro nas redes.

Integrantes da CPI criticam as falas do chefe do Planalto durante transmissão nas redes sociais contrariando evidências científicas no combate ao novo coronavírus. Uma das linhas de investigação da comissão é a aposta de Bolsonaro no uso da cloroquina para tratar pacientes com covid-19, mesmo com a ineficácia comprovada do medicamento contra essa finalidade.

Bolsas asiáticas fecham em queda

 As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em queda nesta segunda-feira, após um aumento do cerco regulatório da China. Após mirar em empresas do setor de tecnologia, agora Pequim restringiu regras para companhias privadas de educação.

Também há certa cautela com o avanço da variante delta do coronavírus, em uma semana que contará com reunião de política monetária do Fed sobre a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos e publicação do lucro industrial chinês.

Na China continental, o índice Xangai Composto recuou 2,3%, aos 3.467,44 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto também caiu 2,3%, aos 2.411,81 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng teve baixa de 4,1%, aos 26.192,32 pontos.

"Apesar das novas máximas em Wall Street na sexta-feira, os mercados asiáticos estavam mais fracos nesta segunda-feira, liderados por uma queda de mais de 3% na China, já que movimentos regulatórios preocupam os investidores e as negociações comerciais EUA-China começam de forma amarga", diz o analista da Daiwa Capital Markets, Chris Scicluna.

Durante o fim de semana, Pequim divulgou regras que forçariam os serviços de tutoria que ensinam disciplinas escolares aos alunos durante os anos obrigatórios a serem administrados como operações sem fins lucrativos.

Além disso, as autoridades chinesas baniram esses serviços de levantamento de capital e propriedade estrangeira e proibiram aulas nos finais de semana e feriados públicos ou escolares.

"Investidores magoados e abalados agora devem ponderar quais outras áreas poderiam se tornar o próximo alvo de controle estatal expandido", afirma o banco de investimento japonês Nomura.

Em outras partes da Ásia, o Kospi registrou queda de 0,9% em Seul, aos 3.224,95 pontos, pressionado para baixo por ações dos setores de tecnologia e construção.

Os investidores acompanham também uma visita da vice-secretária de Estado americana, Wendy Sherman, à China. No começo das conversas, Pequim culpou Washington por um "impasse" nas relações bilaterais.

O Nikkei, por outro lado, subiu 1,0% no Japão, aos 27.833,29 pontos. A bolsa japonesa reabriu hoje após ter ficado dois pregões fechada devido a um feriado no país. O índice acionário, portanto, registrou ganhos na esteira dos recordes em Nova York no fechamento de sexta-feira, 23.

Divulgado na noite da véspera, o índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) preliminar composto do Japão, que reúne indicadores de indústria e serviços, caiu de 48,9 pontos em junho para 47,7 em julho.

Na Oceania, a bolsa da Austrália fechou estável. O impulso de ações de mineração compensou perdas em outros setores. Com isso, o S&P/ASX 200 encerrou a sessão em Sydney aos 7.394,3 pontos. / com Júlia Zillig e Agência Estado

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Veja mais Ver mais