Mercado Financeiro

A Bolsa fechou em queda de 0,96% nesta quarta-feira, 15, aos 115.063 pontos, puxada pela baixa nas ações da Vale e outras empresas do setor siderúrgico. Pesou sobre esses papéis a queda de 3% nas cotações do minério de ferro e a divulgação de dados mais fracos que os esperados da economia chinesa.

Embora o resultado do IBC-Br de julho tenha ficado acima das expectativas dos analistas, que é considerado uma prévia do PIB, e as bolsas no exterior tenham variação positiva, a B3 não encontrou sustentação, em dia de vencimento de opções que resulta em movimentação mais robusta no pregão.

mulheres investimentos
Bolsa acompanha o ritmo do mercado internacional e com os investidores refletindo dados econômicos - Foto: Envato

O dólar, influenciado pelos dados econômicos globais divulgados ao longo da manhã, viveu um dia de bastante volatilidade e fechou com leve queda de 0,22%, cotado a R$ 5,227.

No ambiente interno, o Banco Central divulgou o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) de julho, considerado uma prévia do PIB. O indicador apontou alta de 0,6% ante junho. O resultado veio acima das expectativas dos analistas, que esperavam mediana positiva de 0,4%.

No cenário externo, as atenções se voltaram para os dados da economia chinesa, que vieram abaixo do esperado. A produção industrial do país subiu 5,3% em agosto na comparação com o mesmo mês de 2020, informou o Escritório Nacional de Estatísticas (NBS, em inglês) da China.

O dado ficou ligeiramente abaixo do projetado pelos analistas, que estimavam alta de 5,6%.

Já as vendas do varejo no país avançaram 2,5% em agosto na comparação com o mesmo mês de 2020, segundo o NBS. A leitura veio consideravelmente abaixo das expectativas dos analistas, que esperavam alta de 6,3%. Em julho, a alta havia sido de 8,5% na mesma base de comparação.

Em relação a julho, as vendas subiram 0,17%, de acordo com o NBS, após queda de 0,13% registrada em julho ante junho.

Sobe e desce da B3

Com a queda expressiva nos contratos futuros de minério de ferro da China - atingiu o nível mais baixo nos últimos 9 meses - as ações das siderúrgicas viveram um dia de forte desvalorização. A Vale, que responde por cerca de 14% da carteira teórica da B3, caiu 2,50%, enquanto Usiminas e Gerdau recuaram 0,89% e 0,80%, respectivamente. Já a CSN subiu 0,63%.

Os bancos também tiveram um dia de baixas em seus papéis. Itaú, Bradesco e Santander reportaram variação negativa de 1,62%, 0,89% e 2,06%.

Na contramão, as petroleiras registraram valorização neste pregão. A Petrobras avançou 1,74% e a PetroRio disparou 7,44%, a maior alta da Bolsa no dia.

Na esteira das altas, destaque também para as ações da Bradespar. A empresa informou, em fato relevante, que aprovou um programa de bonificação em ações, por meio da capitalização de reserva de lucros. Com essa notícia, os papéis da companhia saltaram 5,23%, depois de subirem mais de 7% na parte da manhã.

A Gol informou ao mercado que irá expandir a cooperação comercial com a American Airlines por meio de um acordo de codeshare com prazo de três anos. Como parte da transação, a aérea receberá da companhia americana um investimento em equity de US$ 200 milhões. A notícia fez com que as ações da aérea subissem mais de 4% nas primeiras horas de negociação e fechassem o dia com alta de 2,59%.

Wall Street: bolsas em baixa

Nos Estados Unidos, as bolsas de Nova York inverteram o sinal e operaram em alta na tarde desta quarta-feira. O índice S&P 500 subiu 0,85%, enquanto Dow Jones valorizou 0,68% e Nasdaq 100, 0,78%.

A produção industrial dos Estados Unidos cresceu 0,4% em agosto ante julho, segundo dados publicados nesta quarta-feira pelo Fed. O resultado ficou um pouco abaixo da expectativa de analistas, que previam alta mensal de 0,5%.

O avanço da produção industrial de julho ante junho foi ligeiramente revisado para baixo, de 0,9% para 0,8%.

Já a taxa de utilização da capacidade instalada avançou para 76,4% em agosto, como previsto. A de julho foi revisada para cima, de 76,1% para 76,2.

Por outro lado, o índice de atividade industrial Empire State, que mede as condições da manufatura no Estado de Nova York, subiu de 18,3 para 34,3 em setembro, segundo pesquisa divulgada pela distrital do Fed. O resultado surpreendeu analistas, que esperavam uma baixa do indicador a 17,5 neste mês.

De olho no governo

No cenário local, os investidores seguem acompanhando os passos e declarações do presidente Jair Bolsonaro, após o envio da carta à nação após o feriado de 7 de setembro.

Em meio a dúvidas sobre até quando o presidente Jair Bolsonaro conseguirá manter a trégua na ofensiva contra o Supremo Tribunal Federal (STF), o chefe do Planalto afirmou no dia anterior que os três Poderes são um só corpo.

"O que seria do Executivo sem Senado, sem Câmara, e, por que não dizer, em muitos momentos, sem o nosso Supremo Tribunal Federal? Nós somos um só corpo, o nosso bom entendimento é alegria do nosso povo", declarou Bolsonaro na cerimônia de entrega do Prêmio Marechal Rondon de Comunicações.

Em seguida, o presidente afirmou que seu governo quer "produzir alegria, satisfação ao nosso povo" dentro do Parlamento. "Nosso governo conversa com todo mundo", declarou.

Contudo, o governo federal tem um histórico de atritos com o STF e mostra dificultes na interlocução com o Congresso. O ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, hoje senador licenciado, foi nomeado na Esplanada justamente para melhorar o diálogo com os parlamentares - fato reconhecido nesta terça-feira por Bolsonaro. "Ciro chegou para dar tranquilidade no nosso relacionamento com Parlamento, em especial com o Senado Federal", afirmou.

Desde a última quinta-feira, 9, Bolsonaro diminuiu o tom nas críticas ao Supremo ao publicar uma carta à nação, assinada pelo ex-presidente Michel Temer, em que pregou harmonia entre os poderes e respeito às instituições, apenas dois dias após ameaçar o STF nos atos de 7 de setembro.

Desde lá, já cometeu alguns "deslizes" na nova estratégia. No mesmo dia, voltou a defender as manifestações do feriado da independência com pautas antidemocráticas e, no dia seguinte, declarou que os protestos, pivôs da mais recente crise com o Judiciário, não tinham sido em vão.

O 7 de setembro foi visto por analistas como uma ofensiva do Planalto sobre a democracia. Hoje, no evento, Bolsonaro garantiu que as Forças Armadas jogam dentro das "quatro linhas da Constituição".

CPI da Covid: Precisa Medicamentos

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado ouve nesta quarta-feira o advogado Marconny Albernaz Faria, apontado como lobista da Precisa Medicamentos, empresa investigada na compra da vacina indiana Covaxin. O bacharel em Direito foi de ativista anticorrupção a investigado pelo colegiado.

Inicialmente, o depoimento de Marconny estava marcado para 2 de setembro, mas ele apresentou um atestado médico para não comparecer perante os senadores, sob a alegação de estar com “dor pélvica”. O atestado acabou sendo anulado pelo próprio médico que o concedeu.

Ainda que seja obrigado a depor, o advogado poderá ficar em silêncio para não produzir provas contra si. O habeas corpus foi concedido no início do mês pela ministra Cármen Lucia, do STF.

O Ministério da Saúde fechou contrato com a Precisa, intermediária da fabricante indiana Bharat Biotech, para aquisição de 20 milhões de doses da Covaxin por R$ 1,6 bilhão.

O governo chegou a empenhar recursos (reservar formalmente o valor na previsão de pagamentos), mas acabou cancelando a compra após a revelação de "pressões atípicas" para dar andamento ao contrato, e o negócio entrar no foco da CPI.

Na Ásia, bolsas fecham em queda

As principais ações asiáticas fecharam em baixa nesta quarta-feira, com exceção da Coréia do Sul. Os papéis recuaram no Japão, Hong Kong e China, onde a economia enfraqueceu devido às medidas para conter a variante delta da covid-19.

A escalada regulatória de Pequim segue prejudicando o setor de tecnologia da China. Além disso, os dados chineses mostraram uma forte desaceleração no crescimento das vendas no varejo, já que as restrições de mobilidade, em face da pandemia, afetaram os gastos dos consumidores e as viagens durante o pico das férias de verão.

A crise financeira da chinesa Evergrande Group também está em foco, com funcionários notificando os bancos de que a empresa não poderá pagar os juros de empréstimos com vencimento em 20 de setembro.

No Japão, o índice Nikkei fechou em queda de 0,52%, aos 30.511,71 pontos. Na Coréia do Sul, o Kospi concluiu o pregão em alta de 0,15%, aos 3.153,40 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng caiu 1,84%, aos 25.033,21 pontos.

Na China, o Xangai Composto, menos abrangente, recuou 0,17%, aos 3.656,22 pontos.

Na Oceania, o índice S&P/ASX200 da Austrália caiu 0,27%, aos 7.417,00 pontos. / com Tom Morooka e Agência Estado

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais