Mercado Financeiro

A Bolsa fechou com leve alta de 0,34%, hoje aos 121.113,93. O principal impulso veio de fora com números positivos das duas maiores economias do planeta: a economia chinesa apresentou dados sólidos de recuperação e crescimento, embora ligeiramente abaixo do esperado; já a economia americana também apresentou bons resultados com redução do desemprego. O Dow Jones fechou em alta de 0,48%, o S&P 500, de 0,36% e a Nasdaq, de 0,04%.

Aqui, o Ibovespa transitou em alta pelos cinco pregões da semana. Embora modestas, as marcas positivas elevaram o índice acima dos 121 mil pontos, nível registrado pela última vez no dia 18 de janeiro (121.241,63), o que resultou em alta acumulada de 2,8% na semana. O bom desempenho de ações do varejo e commodities contribuíram para esse desempenho do mercado de ações.

Mesmo com todas incertezas trazidas pela instalação da CPI da Covid, votação do Orçamento 2021 que continua enrolada, e decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que anulou as condenações de Lula pela operação Lava-Jato.

Mercado ao vivo: na esteira do exterior, Bolsa oscila e dólar sobe
Mercado ao vivo: na esteira do exterior, Bolsa oscila e dólar sobe - foto Cris Fraga/Agência Brasil

Para o economista-chefe do banco digital Modalmais, Álvaro Bandeira, o bom  resultado da bolsa ao longo desta semana, em meio ao cenário político conturbado, se deve à busca por negócios mais atrelados e que possam se beneficiar do cenário externo positivo.

“As commodities, o varejo e até o setor financeiro que tinham ficado mais estagnados acabaram se favorecendo com os bons resultados apresentados pelas as economias americana e chinesa, que cresceu 18,3% no primeiro trimestre. Os dados indicam retomada forte do crescimento econômico das principais potências em 2021. Há ainda perspectiva de vacinação em massa. Isso tornou os investidores mais dispostos a correr riscos”.

O conselho de Administração da Petrobras elegeu nesta sexta-feira, o general Joaquim Silva e Luna para o cargo de presidente da companhia, que comunicou a decisão em fato relevante. Às 15h21, pouco tempo depois de os papéis voltarem a ser negociados, PETR3 teve queda de 1% e PETR4, de 0,13%. Os papéis encerraram o pregão com quedas de 1,18% e 0,61%, respectivamente.     

Depois de registrar alta de 28,13% no pregão de quinta-feira, as ações da Hering valorizaram  6,66% no fim da semana, cotadas a R$ 23,67. O setor acumulou altas desde segunda. As Lojas Renner fecharam o pregão com elevação de 11,91%, estimulada pela informação de que a empresa estaria disposta a realizar uma oferta de ações para captar entre R$ 4 bilhões e R$ 4,5 bilhões. 

A ideia é se preparar para um crescimento orgânico e estar pronta para possíveis M&A (Fusões & Aquisições, em inglês). Mas, por enquanto, não há nenhum negócio em vista.

Às 14h31, os papéis da varejista gaúcha (LREN3) valorizavam 7,85%. Na mesma esteira, as ações da Lojas Marisa (AMAR3) avançavam 13,26%, Hering (HGTX3) com elevação de 6,71% e da C&A (CEAB3), 9,26%.

Para Pedro Serra, gerente de Research da Ativa Investimentos, essa possível movimentação da Renner pode trazer otimismo para o setor varejista.

 “Temos uma visão positiva para o setor com a volta ao normal, puxando significativamente as vendas das lojas das companhias de moda. Além disso, essa consolidação do setor, por meio de fusões e aquisições, deve fortalecer cada vez mais as companhias no longo prazo”, pontua Serra.

Já o Grupo Soma sinalizou nesta sexta-feira, por meio de fato relevante, que está avaliando uma combinação de negócios com a Shoulder, voltada para moda feminina. Segundo a companhia, as negociações ainda estão em fase preliminar.

Outro fator que anima o setor varejista é o anúncio da abertura do comércio em São Paulo a partir deste final de semana, feito pelo governador João Doria nesta sexta-feira. A medida vem de encontro à flexibilização das regras para o controle da transmissão do coronavírus. As lojas poderão abrir em horário reduzido.

Dólar volta a cair

Após seguir pela manhã desta sexta-feira em alta, o dólar mudou de caminho e passou a trafegar em terreno negativo e fechou em queda de 0,77%, cotado a R$ 4,485

A queda é uma resposta ao ingresso de exportador na venda de moeda e um movimento de redução de posições em meio à desaceleração dos retornos dos Treasuries de longo prazo, diz Jefferson Rugik, diretor-superintendente da Correparti.

Segundo ele, o dólar à vista chegou a subir mais cedo à máxima, a R$ 5,6776 (+0,88%), precificando uma saída grande de investidor estrangeiro do Brasil e, por isso, o dólar buscou rapidamente o patamar dos R$ 5,67 mais cedo", comenta.

Orçamento e CPI no radar

No cenário doméstico, a falta de definição sobre o Orçamento 2021 segue criando tensão no mercado financeiro, no aguardo da aprovação, com veto ou sem veto, pelo presidente Jair Bolsonaro.

Na véspera, o ministério da Economia divulgou uma projeção, no âmbito do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentais (PLDO), de que o valor das emendas parlamentares impositivas deve ficar em R$ 16,981 milhões.

A manobra criou um impasse no Orçamento de 2021, já que foi feita com base em um corte não factível nas despesas obrigatórias, que incluem benefícios previdenciários.

O presidente Jair Bolsonaro tem sido aconselhado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, a vetar a parte do Orçamento que contém essas emendas para afastar o risco de crime de responsabilidade, passível de impeachment.

Já os desdobramentos da CPI da Covid-19 seguem em andamento no Senado. Na última quinta-feira, o presidente da casa, Rodrigo Pacheco, designou oficialmente os integrantes da comissão que irão investigar a conduta do governo federal na pandemia e o repasse de verbas para Estados e municípios.

No entanto, ainda não foi definida a data de início dos trabalhos da comissão. Por conta da convocação de sessões do Congresso Nacional, a investigação deve começar somente após o feriado de Tiradentes, na próxima quarta-feira, 21.

Enquanto isso, o número de mortes por conta da covid-19 não para de subir. O Brasil superou, na véspera, a marca de 365 mil mortes. Além disso, agora ocupa o posto da segunda nação com mais registros doença, ficando somente atrás dos Estados Unidos.

Queda das condenações de Lula torna-o apto para as eleições de 2022

A queda das condenações impostas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também coloca os investidores em estado de atenção.

O Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou as condenações impostas pela Operação Lava Jato ao ex-presidente, uma decisão que torna o petista apto para disputar a eleição de 2022 ao Palácio do Planalto.

No mês passado, o Supremo considerou que a Justiça Federal de Curitiba não era competente para investigar Lula, já que as acusações levantadas contra ele não diziam respeito diretamente ao esquema bilionário de corrupção na Petrobras investigado pela operação.

O presidente Jair Bolsonaro reagiu a essa decisão, reconhecendo Lula com candidato para 2022. Porém, pediu aos brasileiros que “pensem no futuro do Brasil com o tipo de gente que vai trazer para dentro da presidência”.

Wall Street segue com pregão "morno" nesta sexta-feira

Com uma agenda menos movimentada, as bolsas de Nova York mantêm comportamento de estabilidade nesta sexta-feira. Às 14h45, o índice S&P 500 registrava leve alta de 0,17%. Seguindo na mesma toada, o Dow Jones operava em alta sutil de 0,29%. Já o Nasdaq 100, no horário, estava em baixa de 0,02%.

O dia mantém o apetite moderado ao risco após um véspera com vários anúncios importantes, como dados sobre o desempenho do varejo, que saltou 9,8% e surpreendeu os analistas, e a queda no pedido de auxílio desemprego, que veio com um volume abaixo do esperado.

Bolsa asiática conclui o pregão em alta com dados econômicos da China

 As bolsas asiáticas fecharam em alta generalizada nesta sexta-feira, após a divulgação de sólidos dados econômicos chineses, incluindo números do Produto Interno Bruto (PIB), embora a maioria deles tenha vindo abaixo das expectativas.

Na China continental, o Xangai Composto subiu 0,81%, aos 3.426,62 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,62%, aos 2.220,22 pontos.

Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei teve modesta valorização de 0,14% em Tóquio, aos 29.683,37 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi registrou ganho similar em Seul, de 0,13%, aos 3.198,62 pontos, o Hang Seng subiu 0,61% em Hong Kong, aos 28.969,71 pontos, e o Taiex garantiu alta de 0,48% em Taiwan, aos 17.158,81 pontos.

No primeiro trimestre de 2021, o PIB da China teve expansão anual de 18,3%, bem maior do que o avanço de 6,5% observado no último trimestre do ano passado, mas aquém da previsão dos analistas.

Dados chineses de produção industrial e investimentos em ativos fixos também mostraram ganhos menores do que se previa, mas o do setor varejista surpreendeu positivamente.

Nos últimos meses, sinais de que a China continua se recuperando com vigor dos efeitos da pandemia de covid-19 vêm alimentando temores de que Pequim se prepara para reverter medidas de estímulo monetário e fiscal adotadas desde cerca de um ano atrás.

Na Oceania, a bolsa australiana fechou em alta marginal, mas renovou máxima desde fevereiro de 2020. O S&P/ASX 200 avançou 0,07% em Sydney, aos 7.063,50 pontos. / com Júlia Zillig e Agência Estado

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Veja mais Ver mais