Renda Variável

Na manhã desta quinta-feira, as varejistas dominaram as maiores alta na Bolsa da Valores. A única exceção, e liderando esse ranking, foi a JHSF, que exibia alta superior a 6%.

A valorização da incorporada e construtora parece diretamente ligada à notícia de que a empresa recebeu autorização para operar voos internacionais em seu aeroporto executivo, o São Paulo Catarina. Construído no KM 60 da Rodovia Castelo Branco, o aeroporto já contava com a pista adequada para esse tipo de voo e, agora, passará a se chamar São Paulo Catarina Aeroporto Executivo Internacional.

Aeroporto fica no KM 60 da Castelo Branco e atende a voos executivos, agora também internacionais - Foto: Divulgação

O aeroporto atende a aviação executiva, com capacidade de 200 mil pousos e decolagens por ano, incluindo jatos executivos intercontinentais. A perspectiva é de a de começar a oferecer os voos non-stop para Nova York, Londres e Paris.

A liberação foi concedida por todos os departamentos reguladores:  Agência Nacional de Aviação Civil(Anac), Ministério da Infraestrutura, Receita Federal, Polícia Federal, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Serviço de Vigilância Agropecuária (Vigiagro), órgão subordinado ao Ministério da Agricultura (Mapa).

Para Henrique Esteter, da Guide Investimentos, além dessa perspectiva de expansão do aeroporto, os dados de demanda no setor imobiliário também contribuíram para a boa perfomance do papel.

No fechamento as ações da JHSF apresentavam alta de 6,23%.

As varejistas

Entre as maiores altas do dia esteve a Magazines Luiza, com valorização de 5,20%. Nesta semana, a companhia teve as estimativas de resultados revisadas pela Goldman Sachs. O seu preço-alvo foi reduzido de R$ 27 para R$ 25, o que projeta um potencial de valorização de 36%, com recomendação de compra pela instituição financeira. Segundo a Goldman Sachs, a revisão aconteceu após análise do balanço trimestral e tendências do setor.

Completando a lista do varejo, Lojas Americanas (LAME3), com alta de 3,50% e LAME4, de 4,48%; e a B2W com valorização de 3,05%.

Esses papeis do varejo caíram bem nos últimos dias com a perspectiva de uma alta mais firme da taxa de juros para os próximos meses, que pode encarecer ainda mais o crédito e inibir o consumo. Mas Esteter, da Guide, afirma que as quedas no setor de varejo tendem a ser pontuais, uma vez que o processo de reabertura da economia vem chegando de maneira forte e consistente, o que permite esperar por resultados sólidos para o 2º semestre.

Ainda na lista de maiores altas do Ibovespa apareceram a Suzano (SUZB3), que subiram mais de 2,99%, e Gerdau (GGBR4), com alta de 4,30%, em recuperação das quedas dos últimos dias.

Ainda foram incluídas nesta lista das mais valorizadas mais uma siderúrgica, CSNA, com alta de 3,31%, e uma de energia, a Equatorial, com alta de 4,22%

Imagem do autor

Editora do Portal Mais Retorno.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Renda Variável
Empresa
Mercado Financeiro
Renda Variável
Veja mais Ver mais