Logo Mais Retorno
inflação
Mercado Financeiro

Estrangeiro aumenta posição ‘vendida’ em taxa de juros

Juros têm forte queda na curva mais longa com resultados do 1º turno das eleições

Data de publicação:04/10/2022 às 12:24 -
Atualizado 3 dias atrás
Compartilhe:

Os investidores estrangeiros aumentaram na segunda-feira, 3, suas posições aplicadas no mercado de juros, em termos líquidos.

O estoque de contratos em abertos vendidos em taxas/comprados em PU desses players passou de 1.155.410 para 1.860.966, uma diferença de 705.556 contratos. As informações são da B3.

Juros

Os investidores locais reduziram a posição líquida vendida em taxa, passando de 4.559.431 para 4.488.142 contratos em aberto, com menos 71.289 contratos.

Já os bancos aumentaram a posição líquida comprada em taxa, com o estoque passando de 5.554.377 para 6.265.926 contratos em aberto, uma alta de 711.549 contratos.

Efeito eleição nos juros

Na véspera, houve uma forte queda dos juros futuros com o desenho do primeiro turno das eleições e o clima de apetite ao risco no exterior. O destaque foi a forte devolução de prêmios na ponta longa onde normalmente estão alocados os riscos externo e fiscal.

Além do fato de a corrida presidencial não ter sido definida em primeiro turno, trouxe alívio aos ativos a configuração do Congresso, com maioria à direita e de perfil conservador, vista como um freio a eventuais opções heterodoxas na política econômica caso vença o candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, que segue favorito para levar a Presidência. Dólar e rendimento dos Treasuries em baixa também favoreceram a trajetória das taxas, a despeito do salto do petróleo.

Apesar do exterior ter ajudado, a repercussão do primeiro turno foi o principal evento para o mercado de juros nesta sessão inicial de outubro. "Bolsonaro pode até não ganhar, mas o bolsonarismo certamente venceu", resume um economista para explicar a reação dos ativos, referindo-se ao crescimento das bancadas consideradas conservadoras no Congresso e a competitividade dos candidatos aliados ao governo nas disputas nos Estados.

André Alírio, operador de renda fixa da Nova Futura Investimentos, afirma que o quadro legislativo alimenta a ideia de um governo menos expansionista do ponto de vista fiscal e pró-privatizações, ponderando que o rótulo de que a direita é conservadora nem sempre é válido. "No frigir dos ovos, o que ficou é que não foi uma eleição ganha de lavada e o Congresso conserva o perfil mais à direita", resumiu./Agência Estado

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!

Inscreva-se em nossa newsletter

,