Logo Mais Retorno
Economia

Entenda o PIB, seu cálculo e como impacta seus investimentos

Indicador é amplo, nem sempre reflete a realidade financeira do País e o desempenho dos ativos do mercado

Data de publicação:02/06/2022 às 09:00 -
Atualizado um mês atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O PIB é um dos principais indicadores econômicos de um país, registrando o crescimento da atividade por meio da produção de produtos e serviços. Não por acaso, é uma métrica muito utilizada para entender o cenário global tanto em um ambiente otimista, como também durante uma recessão.

PIB brasileiro no Boletim Focus
Imagem: Shutterstock

O que é o PIB per capita?

PIB per capita é o nome dado a um tipo específico de indicador econômico, que tem como objetivo principal relacionar o crescimento de uma economia com a riqueza de sua população. Usualmente, é considerado um método falho de análise socioeconômica, visto que padece nas mesmas questões que a renda per capita (outro indicador do mesmo tipo).

Contudo, vale ressaltar que PIB per capita e renda per capita tratam de conceitos diferentes. Enquanto o objeto central do primeiro é o Produto Interno Bruto (o PIB), o objeto do segundo é o Produto Nacional Bruto (o PNB). Assim, os resultados obtidos em medições de PIB per capita e renda per capita, mesmo se tratando de uma mesma população, são diferentes.

Entendendo o PIB per capita na prática

Esclarecido isso, é hora de ilustrar o que o PIB per capita indica. Em verdade, vamos usar um exemplo muito parecido com o que usamos no artigo a respeito de renda per capita — lembrando mais uma vez que a maior diferença entre esses dois indicadores é que o renda per capita se baseia no PNB e o PIB per capita, obviamente, no PIB.

Agora suponhamos que em uma rua existam apenas 5 casas. A primeira família tem um ganho mensal de 5 mil reais. A segunda, de 9 mil reais. A terceira, de 3 mil reais. A quarta, de 25 mil reais. E a última, por fim, levanta apenas um salário mínimo (cerca de mil reais) todos os meses.

Se somarmos os ganhos das cinco casas temos um total de 43 mil reais, que a riqueza total produzida naquela rua — um equivalente grosseiro ao PIB. Agora, se dividirmos 43 mil por 5, a média de ganhos é de 8 mil e 600 reais.

Como se pode imaginar, essa média está longe de exprimir a realidade, especialmente para a última casa, que ganha apenas mil reais.

Justamente por essa disparidade, que não considera a desigualdade social nem a concentração de renda que algumas localidades sofrem, sem falar na dificuldade em absorver as distorções nos preços dos bens de consumo, é que o PIB per capita não é considerado o índice mais fidedigno do mundo. Problema que o seu "irmão", renda per capita, também enfrenta.

Como o PIB per capita é calculado?

Como você já sabe, o PIB per capita tem dois principais objetos: o PIB e a população. Esse último conceito é mais fácil de entender, visto que é resultado da somatória de todos os habitantes de uma determinada localidade. Já o PIB pode ter um entendimento menos intuitivo — justamente por isso, vamos explicá-lo direitinho neste tópico.

O PIB, sigla para Produto Interno Bruto, é um indicador de todos os produtos e serviços produzidos por uma nação. No que tange aos produtos, especificamente, são considerados apenas um tipo específico: os chamados bens de consumo. Estes têm como objetivo serem adquiridos diretamente pelo consumidor final e por ele consumidos, como é o caso do pão que você compra na padaria de manhã ou do celular/computador através do qual você lê este artigo.

Além disso, incluem-se no cálculo do PIB os itens relacionados às remunerações, como os salários, juros, dividendos, juros sobre capital próprio e aluguéis.

Por sua vez, entre as riquezas produzidas não consideradas no cálculo encontram-se as atividades ou produtos ilegais, os produtos intermediários (bens de capital ou de produção) e o trabalho informal.

O cálculo do PIB tem uma fórmula relativamente simples:

PIB = C + I + G + (X - M)

Onde:

  • C = Gastos das empresas privadas
  • I = Investimentos
  • G = Gastos públicos (governo)
  • X = Exportações
  • M = Importações

Da mesma forma, como aprendemos, nós podemos avaliar o PIB per capita simplesmente dividindo o valor total do Produto Interno Bruto pela própria população brasileira. Em suma, esse cálculo é feito da seguinte maneira:

PIB per capita = PIB / número de habitantes

Como o PIB de um país cresce?

O PIB é um indicador que, como vimos, avalia a riqueza produzida por um país. Desta forma, ele acaba por refletir o nível de atividade econômica de uma nação. Mas, afinal, quais são as alavancas de crescimento dessa métrica?

Em primeiro lugar, talvez com maior peso, está o consumo das famílias. Isto é, as compras e gastos que eu, você, nossos amigos e todos os habitantes do Brasil realizam dia após dia. Para isso, é necessário que exista uma certa confiança na economia — caso contrário, a tendência é de redução de despesas.

Há também um papel importante dos investimentos no crescimento do PIB. Isso vale para a população, mas principalmente para as empresas privadas e para os gastos do governo — que movimentam cifras importantes para o PIB anualmente.

Da mesma forma, o cenário oposto dessas características pode trazer uma queda no PIB de um país. Ou seja, se um governo não investe em melhorias ou apresenta problemas de corrupção, falta dinheiro para movimentar a economia. Da mesma forma, sem confiança no país, os habitantes tendem a gastar menos, outro fator que pode levar à queda do indicador.

Como o PIB afeta os meus investimentos?

O Produto Interno Bruto não é apenas uma métrica isolada. Por mais que o PIB per capita não represente, de fato, um indicador confiável para a situação financeira da população brasileira, essa é sim uma boa forma de avaliar o crescimento do país como um todo.

Pensando em investimentos, a tendência é de um cenário mais positivo quando há crescimento do PIB. Isto é, se o Brasil apresenta evolução da sua atividade econômica, isso representa que a população está consumindo e as empresas estão investindo. Em tese, podemos esperar então um bom desempenho de companhias expostas ao ciclo econômico.

Ao mesmo tempo, há uma frase importante que ilustra a calma de analisar esse indicador no Brasil: "Bolsa não é PIB". Isto é, temos poucas empresas de capital aberto no país, o que significa que elas podem crescer mesmo com números ruins para o Produto Interno Bruto. E cabe ao investidor avaliar esse cenário.

Além disso, o PIB também afeta a entrada de capital estrangeiro no país. Quando o indicador ilustra crescimento, isso reduz a percepção de risco para o exterior. Por outro lado, uma queda do PIB representa uma elevação do risco, algo que pode fazer com que o investidor opte por outras economias.

Portanto, PIB e investimentos estão diretamente relacionados, pois é necessário que o Brasil cresça para que os ativos nacionais se valorizem. No entanto, é preciso analisar com calma o indicador na medida em que ele é muito amplo e nem sempre reflete o desempenho dos ativos nos quais você investiu.

Sobre o autor
Stéfano Bozza
Formado em Administração pela PUC-SP. Trabalhou em empresas do segmento financeiro (Itaú BBA) e varejo (BRMALLS) até 2016, quando iniciou a jornada de produção de conteúdo para a internet com foco em finanças.