Empresa

O lucro líquido da Eletrobras avançou 31% no primeiro trimestre deste ano, alcançando R$ 1,609 bilhão, ante R$ 1,228 bilhão reportados no mesmo período do ano passado. Já o lucro líquido recorrente somou 2,741 bilhões no período, alta de 48% em base anual de comparação.

A receita operacional líquida ficou em R$ 8,0 bilhões, alta de 8% na comparação anual. Os dados foram divulgados em balanço financeiro aos acionistas na última quarta-feira, após o fechamento do mercado.

Prédio da Eletrobras - Foto: Reprodução

Segundo a companhia, o resultado do trimestre foi influenciado positivamente pela receita de transmissão, em decorrência da revisão tarifária periódica, que tem efeitos a partir de julho de 2020, mas parcialmente compensada por provisões e contingências no valor de R$ 932 milhões, “com destaque para R$436 milhões relativos às contingências judiciais que discutem a correção monetária de empréstimo compulsório”.

Entre janeiro e março, o Ebtida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), atingiu R$ 3,858 bilhões, crescimento de 11% em base anual de comparação.

O Ebitda recorrente foi de R$ 4,938 bilhões, alta de 30%. No período, a receita operacional recorrente subiu 8%, para R$ 8,200 bilhões.

Receitas

Dentre os itens que compõem a receita, a principal queda foi observada no item suprimentos, com baixa de 9%, para R$ 3,623 bilhões, em decorrência do menor volume de energia negociada no mercado livre nas controladas Eletronorte e Furnas, além da redução da receita na Eletronuclear.

Já a receita com operação e manutenção cresceu 11%, para R$ 1,03 bilhão, enquanto o item fornecimento teve receita 7% maior, de R$ 719 milhões, impulsionado por reajustes de contratos. Destaque também para as operações na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), que propiciaram receita 32% maior, de R$ 465 milhões, beneficiada principalmente pelos volumes importados liquidados no mercado de curto prazo e à estratégia de sazonalização.

O segmento de transmissão, por sua vez, anotou um crescimento de 25% em sua receita, que alcançou R$ 3,8 bilhões no período, influenciada, principalmente, pelo resultado da Revisão Tarifária Periódica, com efeitos a partir de julho de 2020.

Ativa Investimentos: resultado neutro

Para o analista da Ativa Investimentos, Ilan Arbetman, diante de um cenário mais favorável em transmissão do que em geração de energia, a Eletrobras entregou receitas em linha com as projeções da casa, assim como um Ebtida superior. Porém, o lucro foi inferior às expectativas.

“Apesar dos avanços operacionais, acreditamos que eventos como o forte provisionamento ocorrido por conta da questão dos compulsórios e novamente, uma alocação subótima em imobilizado, faça os resultados serem recepcionados de forma neutra pelo mercado”, afirma Artbeman. / com Agência Estado

Imagem do autor

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Empresa
Empresa
Empresa
Empresa
Veja mais Ver mais