Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

Dólar fecha abaixo de R$ 5 pela primeira vez em mais de 1 ano, cotado a R$ 4,966

Moeda registrou queda de 1,13% após com discurso do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell

Data de publicação:22/06/2021 às 15:13 -
Atualizado um ano atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Após duas tentativas frustradas na semana passada, o dólar à vista finalmente fechou nesta terça-feira, 22, abaixo do R$ 5, com cotação final de R$ 4,966, em queda de 1,13%. A moeda americana não registrava cotação tão baixa desde 10 de junho do ano passado, quando encerrou o pregão a R$ 4,93.

O dólar à vista caiu abaixo de R$ 5 às 12h50, na esteira do noticiário do Federal Reserve (FED, o banco central americano), que discute quando seria o melhor momento para aumentar a taxa de juros no país, que segue zerada há algum tempo.

Foto: envato
Dólar volta a operar abaixo dos R$ 5

Ontem, o presidente do FED, Jerome Powell, contribuiu para essa percepção, dizendo que ainda não era o momento para discutir juros por lá. Outros dirigentes da instituição se proncunciaram da mesma forma, como John Williams, do FED de Nova York, Robert Kaplan, de Dallas e, principalmente, James Bullard, de St. Louis, que havia acendido luz amarela na sexta-feira ao mencionar a proximidade do início de retirada de estímulos.

Para Victor Beyruti, economista da Guide Investimentos, o momento é bom para o real, que vai se fortalecendo na medida em que melhoram os fudamentos econômicos do País, em um momento em que o Banco Central também vai se mostrando mais enérgico com a política monetária, ampliando os juros de forma mais forte.

"Nossa visão é mais positiva para o real", diz Beyruti. "O mercado está dividido entra uma alta (da Selic) de 0,75% ou 1 ponto porcentual cheio na reunião de agosto. E isso ajuda, principalmente porque o FED ainda deve demorar a subir os juros por lá", diz.

Segundo o economista, o diferencial de juros no Brasil e nos Estados Unidos, vai ficando cada vez maior, com o BC subindo e o FED segurando o juro. "Isso ajuda com esse impulso do real. E é um pouco por causa disso que a gente tem um dólar voltando a operar depois de muito tempo abaixo dos R$ 5."

Sobre o autor
Renato Jakitas
Editor-chefe do Portal Mais Retorno.