Finanças Pessoais

O rendimento que você recebeu em 2020 pode ser tributado de duas formas pelo imposto de renda anual: pela declaração simplificada ou pela declaração completa.

Na declaração simplificada, você vai usar um desconto padrão para a redução do seu rendimento antes que seja aplicado o imposto de renda. Na declaração completa, você poderá usar as deduções que são permitidas por lei.

A escolha entre a declaração simplificada e a completa vai depender dos gastos do contribuinte

Portanto, a principal diferença entre uma e outra está no desconto, decorrente de despesas, que você poderá aplicar sobre os seus rendimentos. O resultado será a base de cálculo do seu imposto.

A redução pela simplificada

Na declaração simplificada, o abatimento é de 20% sobre a sua renda bruta. No entanto, ele é limitado a R$ 16.754,34. Esse desconto substitui todas as deduções legais, como as de saúde, educação, dependentes e outras.

Portanto, quem não teve gastos expressivos que permitem a redução dos rendimentos deve optar pela simplificada.

Há uma regra que diz o seguinte: você deve usar a declaração simplificada quando o desconto de 20% calculado sobre a sua renda for maior que a soma total das deduções tanto suas como de seus dependentes.

A opção pelo desconto padrão da simplificada, porém, não dispensa a informação de despesas na ficha de “Pagamentos Efetuados”, as que estiverem em seu nome e também no de seus dependentes.

Você deve informar gastos como os que teve com médico, dentista, outros profissionais da saúde, advogado, arquiteto, corretor, a hospitais, convênio médico e escola. 

Os descontos pela completa

O modelo completo possibilita o uso de todas as deduções legais a que você tem direito, incluí­das as doações a fundos sociais e incentivos. 

Portanto, a declaração completa é interessante quando a soma total de suas despesas dedutíveis for maior que o desconto de 20% da renda tributável, que você usa na declaração simplificada.

Para saber que gastos você teve e que poderão ser usados como dedução na declaração do Imposto de Renda 2021, aqui vai a lista:

Deduções legais

1 – Total dos gastos com saúde

2 – Despesas com educação, limitadas a R$ 3.561,50 por pessoa

3 – Parcela de R$ 2.275,08 por dependente

4 – Contribuição a plano de previdência privada do tipo PGBL, até o limite de 12% dos rendimentos tributáveis

5 – Pagamentos de pensão alimentícia, pelo valor total

6 – Contribuição integral ao INSS

7 – Doações a fundos de amparo à Criança e ao Adolescente e ao Idoso e incentivos à cultura, à atividade audiovisual e ao esporte, com limite de 6% do imposto devido, além de incentivos aos programas nacionais de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (Pronas/PCD) e de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon), limitadas a 1% do imposto devido.

8 – Despesas de quem trabalha por conta própria para exercer a profissão

O que facilita a vida na hora de declarar é que na medida em que você vai lançando os valores de gastos, o próprio programa vai calculando, automaticamente, o resultado do imposto ou da restituição. E esses dados vão aparecendo na tela, do lado esquerdo da declaração. É evidente que você deve optar pelo que gerar menos imposto a pagar ou maior restituição a receber.

Imagem do autor

Editora do Portal Mais Retorno.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Finanças Pessoais
Finanças Pessoais
Finanças Pessoais
Finanças Pessoais
Veja mais Ver mais