Mercado Financeiro

No último domingo, 25, a notícia de que a Amazon estaria planejando entrar no mundo das criptomoedas, aceitando os ativos como uma forma de pagamento, agitou os ânimos mundo a fora e fez o bitcoin avançar ao patamar dos US$ 39 mil pela primeira vez em mais de seis semanas.

A empresa de Jeff Bezos, no entanto, tratou de desmentir a informação divulgada pelo site da rede de televisão dos Estados Unidos CNBC já no dia seguinte. "Apesar de nosso interesse no assunto, as especulações que surgiram em torno de nossos planos específicos para criptomoedas não são verdadeiras", afirmou um porta-voz da companhia.

Mesmo com a negativa, o bom-humor do mercado parece ter se mantido. No pregão dos dois últimos dias, a moeda digital conseguiu manter o movimento de valorização e segue cotada acima dos US$ 39 mil.

criptomoedas
Especialistas acreditam que criptomoedas já são uma realidade global

O porta-voz da Amazon disse ainda que a empresa continua interessada em explorar formatos em que as criptomoedas sejam opções de pagamento para os clientes. No último dia 22, inclusive, a companhia publicou uma vaga de emprego para especialista da área de moedas digitais e liderança de produto blockchain.

Empresas X Criptomoedas

A primeira empresa de grande relevância a aceitar ativos digitais como pagamento foi a Tesla. A prática foi interrompida em maio, mas Elon Musk, presidente da montadora, afirmou que a empresa provavelmente vai reiniciar o processo de aceitação do bitcoin em breve.

Em documento enviado à Comissão de Valores Imobiliários dos Estados Unidos (SEC), a Tesla apresentou seus resultados semestrais, que registram um lucro de US$ 128 milhões com a venda de bitcoins. A companhia também reportou perdas de cerca de US$ 50 milhões em sua carteira por conta da perda de valor do ativo. No texto, a empresa diz acreditar "no potencial de longo prazo de ativos digitais como investimentos e alternativas líquidas ao dinheiro".

De acordo com Vírgilio Lage, especialista em Bitcoin da Valor Investimentos, o fato de novas empresas sinalizarem interesse em trabalhar com criptomoedas aumenta o nível de credibilidade nesse mercado que se mostra bem volátil. Ao mesmo tempo, a iniciativa de grandes empresas o movimento também pode causar um efeito cascata em relação às demais, como Google, Facebook e Microsoft, por exemplo.

"Essas empresas podem não só passar a aceitar esse tipo de pagamento, mas também criarem suas próprias criptomoedas. Além disso, essas companhias têm um grande poder sobre a política dos Estados Unidos, o que favorece o processo de regulamentação desses ativos", explica Lage.

O futuro dos ativos digitais

Thaíse Saeter, diretora de operações da Convex, acredita se trata de um movimento natural as moedas digitais serem adotadas como um meio de pagamento. "O fato de empresas como a Amazon sinalizarem interesse traz uma mensagem: as pessoas querem utilizar criptomoedas", explica.

No entanto, é consenso entre os especialistas que as perspectivas de curto prazos para essas moedas, como o bitcoin, por exemplo, ainda é de muita volatilidade. Saeter considera que há uma badalação em torno do ativo e que o investidor deve continuar atento a isso, sem euforia ou pânico, tomando decisões racionais.

"As grandes empresas e grandes investidores já estão se expondo nesse mercado e a tendência de médio prazo continua muito boa, avançando na etapa intermediária do atual grande ciclo que estamos vivendo", finaliza a diretora de operações.

Imagem do autor

Repórter na Mais Retorno

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Veja mais Ver mais