Logo Mais Retorno
xp
Empresa

Sócio da Modal, Credit Suisse diz que aprova venda do banco para a XP

Negócio pode chegar a valer até R$ 3 bilhões

Data de publicação:07/01/2022 às 11:51 -
Atualizado 2 anos atrás
Compartilhe:

Com 15,8% das ações do Banco Modal, o suíço Credit Suisse disse, nesta sexta-feira, 7, que sustenta e apoia a compra do Banco Modal pela XP Inc.

A negociação foi anunciada nesta sexta-feira por meio de fato relevante, pegando o mercado inteiro de surpresa. Em um negócio que envolverá troca de ações, a XP vai pagar cerca de R$ 3 bilhões pelo banco, que tem ações negociadas na B3. Depois do anúncio, as ações do Banco Modal (MODL11) dispararam na Bolsa de Valores.

xp compra modal
Foto: Reprodução

Visão do Credit Suisse sobre a compra da Modal pela XP

Em comunicado, os dois presidentes do Credit Suisse no Brasil, Ivan Monteiro e Marcello Chilov, dizem que apoiam o negócio. "(Nós) Prevemos que essa combinação entre ambas as empresas nos proporcionará novas oportunidades para servirmos mais clientes com as ferramentas de que eles necessitam para atingir os seus objetivos financeiros”, afirmam.

No textos, os executivos apontam a parceria atual entre o grupo francês e a fintech brasileira. "O Modal tornou-se forte parceiro estratégico para o Credit Suisse. Em sua plataforma de investimento Modal Premium, o banco oferece uma gama de produtos exclusivos do Credit Suisse", destacam.

Hoje, o Credit tem 15,8% do Modal, contra 56% dos antigos controladores e 24,3% negociados no mercado de capitais.

A compra

Em comunicado, a companhia de Guilherme Benchimol informou, mais cedo, a compra de 100% do Banco Modal, que será paga com até 19,5 milhões de novas ações "Classe A" da XP. A transação será realizada por meio de uma reorganização societária, em que uma subsidiária da XP deve incorporar o banco.

O valor do negócio oferece um prêmio de 35% sobre o preço médio das ações do Modal nos últimos 30 dias. Na véspera, os papéis do banco (MODL11) despencaram 7,01%, chegando ao seu menor patamar histórico, de R$ 8,35.

Considerando o valor de fechamento do BDR da XPBR31, que foi de R$ 153,98 ontem, a transação avalia o Banco Modal em R$ 3 bilhões. O valor é 50% acima dos R$ 2 bilhões que a totalidade das ações do banco valia ontem na B3.

Expectativas com o negócio

Também no comunicado, a XP explica que as expectativas são de que "a combinação agregue valor de maneira consistente e sustentável aos acionistas de ambas as companhias.

A XP informa que o Modal continuará sendo administrado pelos sócio executivos atuais e, embora, agora fazendo parte do ecossistema XP e utilizando as tecnologias e estruturas da companhia, o banco deve seguir como uma empresa "independente e segregada".

Para Thiago Maffra, CEO da XP, "o setor financeiro no Brasil é um dos mais concentrados do mundo. Sem dúvida, nossa união com o Modal nos permitirá ganhar ainda mais competitividade na disputa contra os bancos tradicionais". Segundo o Brazil Journal, no entanto, o negócio vem em um momento "em que o valor de mercado de ambas as empresas está deprimido, refletindo o ceticismo em relação ao Brasil".

LEIA MAIS

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!

® Mais Retorno. Todos os direitos reservados.

O portal maisretorno.com (o "Portal") é de propriedade da MR Educação & Tecnologia Ltda. (CNPJ/MF nº 28.373.825/0001-70) ("Mais Retorno"). As informações disponibilizadas na ferramenta de fundos da Mais Retorno não configuram um relatório de análise ou qualquer tipo de recomendação e foram obtidas a partir de fontes públicas como a CVM. Rentabilidade passada não representa garantia de resultados futuros e apesar do cuidado na coleta e manuseio das informações, elas não foram conferidas individualmente. As informações são enviadas pelos próprios gestores aos órgãos reguladores e podem haver divergências pontuais e atraso em determinadas atualizações. A Mais Retorno, seus sócios, administradores, representantes legais e funcionários não garantem sua exatidão, atualização, precisão, adequação, integridade ou veracidade, tampouco se responsabilizam pela publicação acidental de dados incorretos.
É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos, ilustrações ou qualquer outro conteúdo deste site por qualquer meio sem a prévia autorização de seu autor/criador ou do administrador, conforme LEI Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.
® Mais Retorno / Todos os direitos reservados