Empresa

Após rumores que circularam no mercado financeiro, o BTG Pactual anunciou nesta segunda-feira, 31, a compra de 100% do Grupo Universa por R$ 690 milhões. O conglomerado reúne as empresas Empiricus, Vitreo, Money Times, Seu Dinheiro e Real Valor.

Foto: BTG Pactual / Divulgação
BTG arremata o grupo Universa por R$ 690 milhões - Foto: BTG Pactual / Divulgação

O negócio reforça a estratégia de expansão do BTG Pactual no segmento de varejo de investimentos. O pagamento será dividido em duas partes: R$ 440 milhões pagos à vista e R$ 250 milhões em units da empresa na Bolsa.

Segundo o BTG, poderá haver o pagamento de outros valores em 4 anos, que estarão atrelados ao atingimento de metas operacionais e financeiras.

Maior força no varejo

Com o negócio, o banco busca sua consolidação como uma das principais instituições da indústria de investimentos de varejo no Brasil.

A Universa, por sua vez, ganha musculatura para ampliar sua atuação junto ao investidor pessoa física, mantendo a independência editorial e de criação de produtos.

Para o BTG, a aquisição da Universa visa atender às novas demandas do mercado de investimentos brasileiros, que tem passado por intensas transformações com o crescimento expressivo do número de investidores e o desenvolvimento de novas soluções para atender esse público.

Relacionamento e independência

Segundo Marcelo Flora, sócio responsável pelo BTG Pactual digital, "o negócio é resultado de um relacionamento de longo prazo, mas somente recentemente começamos a falar sobre parcerias e outras alternativas mais concretas".

O acordo prevê a manutenção separada das operações das empresas. Segundo o BTG, a intenção é garantir a independência editorial e lançamento de produtos pela Empiricus e Vitreo. Porém, o contrato prevê a ocorrência de sinergias operacionais e estratégicas entre as empresas.

"Para os clientes e funcionários da Empiricus e da Vitreo, nada muda em termos práticos. Agora há mais benefícios para eles, com apoio institucional, de capital e tecnologia", explicou Felipe Miranda, estrategista-chefe da Empiricus.

"Este é um grande impulso ao modelo 3.0 de investimentos. Com o suporte do BTG Pactual, poderemos fazer muito mais pelo nosso cliente e oferecer mais oportunidades de crescimento aos nossos funcionários", completou Caio Mesquita, CEO da casa de análise, que soma hoje 425 mil clientes.

Já a Vitreo, contabiliza R$ 11 bilhões sob custódia, volume que cresce num ritmo de aproximadamente 4% ao mês.

"Com o BTG Pactual, seremos capazes de fazer tudo o que sempre quisemos. Estou 100% convencido de que a combinação Empiricus e Vitreo, com apoio do BTG Pactual, oferece a melhor alternativa ao investidor pessoa física brasileiro", reforçou Miranda.

Miranda, Mesquita e Rodolfo Amstalden, sócios-fundadores da Empiricus, e George Wachsmann, CIO da Vitreo, seguirão no comando da operação e passam também a integrar o quadro societário do BTG Pactual quando a operação for concluída.

Modelo de negócio

A Empiricus, que já liderava os portais Seu Dinheiro e Money Times, além da startup Real Valor, era parceira comercial da Vitreo desde que a casa surgiu como gestora em 2018.

Juntas, as duas empresas criaram um modelo de negócio alinhado ao cliente e que chamou atenção do mercado. De um lado a Empiricus, muito próxima do investidor, pensando as carteiras teóricas. Do outro, a Vitreo, como instituição financeira, executando essas ideias.

Imagem do autor

Repórter do Portal Mais Retorno.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Economia
Empresa
Empresa
Empresa
Veja mais Ver mais