Logo Mais Retorno
Renda Variável

Bolsas da Europa fecham em queda, com dados, sinais de BCs e guerra no radar

Dados da economia na Europa são mistos, positivos na zona do euro e negativos no Reino Unido

Data de publicação:22/04/2022 às 15:44 -
Atualizado um mês atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Nesta sexta-feira, 22, as bolsas da Europa registraram baixas. Investidores analisaram dados mistos da região, bem como sinais de aperto monetário de bancos centrais. Além disso, o conflito na Ucrânia e seus efeitos continuava como foco importante.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 1,79%, em 453,31 pontos, com queda de 1,42% na semana.

Bolsas da Europa
Sinalização do Fed de que juros podem subir 0,5 pp em maio também afetou as bolsas da Europa - Foto: Envato

Na agenda de indicadores, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro subiu de 54,9 em março a 55,8 na preliminar de abril, na máxima em sete meses e contrariando a previsão de queda a 53,9 dos analistas.

Já no Reino Unido, o PMI composto caiu de 60,9 em março a 57,6 na prévia de abril, na mínima em três meses.

As vendas no varejo do país tiveram baixa de 1,4% em março ante fevereiro, ante previsão de queda de 0,2% dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal.

Pesou ainda negativamente na Europa a sinalização do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de que, diante da inflação persistente, pode haver elevação de 50 pontos-base nos juros em maio, com alguns dirigentes projetando outras altas similares no atual ciclo de aperto. Também há atenção para sinalizações de aperto no próprio continente, inclusive do Banco Central Europeu (BCE), enquanto o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) tem reafirmado o aperto monetário já em andamento.

O noticiário da guerra seguia em foco. A presidente do BCE, Christine Lagarde, notou que as mudanças geopolíticas recentes trazem também desafios ao comércio global. Em discurso sobre o assunto, ela lembrou que a zona do euro depende bastante da Rússia em alguns itens, sobretudo gás, mas não apenas, citando também como exemplos o cobalto e o vanádio, usados em algumas indústrias.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 fechou em baixa de 1,39%, em 7.521,68 pontos, na mínima do dia. Na comparação semanal, ele caiu 1,24%.

Em Frankfurt, o índice DAX recuou 2,48%, a 14.142,09 pontos, também terminando na mínima do dia, com baixa de 0,15% na semana.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 teve queda de 1,99%, em 6.581,42 pontos, com baixa de 0,12% na comparação semanal. A ação da Renault chegou a subir em parte da sessão, após balanço, mas terminou em baixa de 1,34%.

Em Milão, o índice FTSE MIB caiu 2,12%, a 24.279,63 pontos, e recuou 2,34% na semana.

O índice Ibex 35, da Bolsa de Madri, fechou em baixa de 1,84%, em 8.652,30 pontos. Na semana, ele perdeu 0,54%.

Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI 20 registrou queda de 0,87%, a 6.002,91 pontos, com baixa de 2,13% na comparação semanal.

Entre ações em foco em outras praças, Anheuser-Busch InBev caiu 3,48% na Bolsa de Bruxelas, após a empresa informar sobre uma baixa contábil, com a intenção de vender sua participação em uma joint venture na Rússia. /Agência Estado

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!