Mercado Financeiro

Bolsa fecha em alta de 2,28% com Petrobras, que subiu mais de 6%; dólar cai aos R$ 5,55

Notícia de que Petrobras entrou no radar de privatização fez ações da empresa dispararem no pregão

Data de publicação:25/10/2021 às 08:48 - Atualizado um mês atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A Bolsa de Valores, a B3, fechou com uma alta vistosa nessa segunda-feira, de 2,28%, aos 108.714,55, com uma recuperação capitaneada por Petrobras. Já o dólar caiu 1,27%, aos R$ 5,556.

Pelos resultados apresentados, o mercado decidiu virar a página, pelo menos por enquanto, na questão das manobras do governo para furar o teto de gastos, o que aumenta o risco fiscal, e na saída de integrantes da equipe de Paulo Guedes. Ao mesmo tempo em que se voltou para aspectos positivos que cercam o mercado.

Recuperação também foi apresentada por papéis de bancos e mineradoras

Os investidores encontraram bons e convincentes motivos em Petrobras para reagir, a começar pelo anúncio de novo reajuste nos preços dos combustíveis, que entrará em vigor a partir desta terça-feira, 26, o que não só indica reforço para o caixa da empresa, mas principalmente pela não interferência do governo nos preços. E também pela perspectiva de que a empresa apresente números positivos em seu balanço do 3º trimestre do ano, a ser anunciado dia 28.

No entanto, foi mesmo a declaração do presidente Jair Bolsonaro para uma rádio de Mato Grosso do Sul que a privatização da empresa ‘entrou no radar’ do governo. A partir dessa informação, a alta foi reforçada para além de 5%. Esta é a segunda vez neste mês que o presidente manifesta a intenção de privatizar a petroleira. O avanço dessa proposta recoloca em pauta a agenda de privatizações, bandeira de Guedes desde o início do governo.

A alta do petróleo lá fora e rumores de que o governo prepara um projeto de lei para vender parte das ações de Petrobras serviram para impulsionar ainda mais a alta. À tarde, as ações de Petrobras chegaram a subir mais de 7%, mas encerraram com pregão com alta de 6,84% (PETR4), e de 6,13% (PETR3), cotadas R$ 29,04 e R$ 29,61, respectivamente.

O ânimo se espalhou por todo o mercado, com os investidores aproveitando para rechear suas carteiras com os papéis que se tornaram baratos com as quedas dos últimos dia. Os bancos fecharam com valorização em bloco: Itaú subiu 2,29% (ITUB4); Bradesco, 2,00% (BBDC4); e Santander, 1,30% (SANB11).

Favorecidas pela alta do minério de ferro no exterior, as ações da Vale apresentaram alta de 1,21% (VALE3).

Dólar em queda

O dólar perdeu o gás com o mercado acreditando que o imbróglio do teto de gastos já foi precificado nos ativos e também pela queda da moeda frente às de países emergentes no exterior. Especialistas identificaram um apetite maior dos investidores por ativos de riscos, o que favoreceu as bolsas americanas.

A S&P 500 fechou com valorização de 0,47%, e a Dow Jones, de 0,18%. Já a Nasdaq caiu 1,19%.

Sobre o autor
Regina Pitoscia
Regina PitosciaEditora do Portal Mais Retorno.
Ativo Contingente

Ativo Contingente

O que é Ativo Contingente? Ativo Contingente é um bem que pode, eventualmente, entrar para o ativo da empresa no futuro, dependendo da ocorrência de eventos que...

  CONTINUAR LENDO