Logo Mais Retorno
Mercado Financeiro

BlackRock lista 13 novos BDRs de índices internacionais na B3; oito deles são de renda fixa norte-americana

Dos 13 novos BDRs disponíveis para investidores pessoa física, oito são de ETFs de renda fixa e cinco, de renda variável

Data de publicação:07/06/2022 às 05:00 -
Atualizado 24 dias atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Desde a última segunda-feira, dia 6, o investidor pessoa física pode investir em 13 novos BDRs de ETFs lançados pela B3, a Bolsa de Valores brasileira, em parceria com a BlackRock, gestora global de ativos financeiros. Os novos produtos, que até então só podiam ser acessados por investidores qualificados, entram para uma lista de 79 BDRs de ETFs da B3 disponíveis para todo o mercado.

BDRs de ETFs da B3
ETFs permitem a exposição do investidor a diversos mercados e setores diferentes | Foto: Reprodução

Oito dos novos BDRs acompanham ETFs de títulos de renda fixa dos Estados Unidos. Estes títulos são tanto da dívida pública americana (os famosos Treasuries), quanto de dívidas corporativas de companhias listadas nas bolsas de Wall Street.

Já os outros cinco são BDRs de ETFs de renda variável, que acompanham índices financeiros globais "com exposições amplas e direcionadas a indústrias específicas", conforme explica a B3. Um desses produtos, o BSOX39, por exemplo, é composto pelo iShares Semiconductor ETF, focado em empresas do segmento de semicondutores.

Novos BDRs da B3 em parceria com a BlackRock

Código de negociação do BDRETF que o BDR acompanhaSegmento/ativos que o ETF acompanhaClasse do ativo
BGOV39iShares US Treasury Bond ETFTítulos públicos americanosRenda fixa
BHYG39iShares iBoxx $ High Yield Corporate Bond ETFTítulos de dívidas corporativasRenda fixa
BIYT39iShares 7-10 Year Treasury Bond ETFTítulos públicos americanosRenda fixa
BIEI39iShares 3-7 Year Treasury Bond ETFTítulos públicos americanosRenda fixa
BLQD39iShares iBoxx $ Investment Grade Corporate Bond ETFTítulos de dívidas corporativasRenda fixa
BSHV39iShares Short Treasury Bond ETFTítulos públicos americanosRenda fixa
BSHY39iShares 1-3 Year Treasury Bond ETFTítulos públicos americanosRenda fixa
BTLT39iShares 20+ Year Treasury Bond ETFTítulos públicos americanosRenda fixa
BIXG39iShares Global Financials ETFAções globais do setor financeiroRenda variável
BOEF39iShares S&P 100 ETF100 principais ações americanasRenda variável
BSCZ39iShares MSCI EAFE Small-Cap ETFAções de small capsRenda variável
BSOX39iShares Semiconductor ETFEmpresas de semicondutoresRenda variável
BURT39iShares MSCI World ETFAções de mercados desenvolvidosRenda variável
Fonte: B3

Estratégia de investimentos com os novos ativos

De acordo com a B3 e com a BlackRock, o objetivo de trazer essa oportunidade de investimentos para o investidor pessoa física da Bolsa é ampliar o leque de ativos que possibilitam exposição ao mercado financeiro internacional, além da exposição, também, a produtos que têm sua cotação em dólares.

"Por conta da instabilidade dos mercados, principalmente em razão da pandemia e da guerra entre a Rússia e a Ucrânia, a novidade abre um novo horizonte de oportunidades de diversificação para as carteiras da pessoa física, permitindo múltiplas estratégias para diferentes perfis de risco, do conservador ao mais arrojado."

B3, em nota

Além da diversificação ao mercado internacional, a B3 destaca também que os BDRs de ETFs oferecem outras vantagens ao investidor:

  • Simplicidade, já que com a compra de um papel é possível investir em todos os ativos que estão presentes na carteira do índice;
  • Segurança, porque "o risco individual de cada ativo se dilui na carteira";
  • Economia, porque é mais caro comprar ativo por ativo que compõem um ETF do que comprar um BDR que acompanhe o produto.

"Há um entendimento de que os BDRs de ETFs são a forma mais simples e barata de acessar mercados globais, de forma eficiente, com baixo custo e com a liquidez de uma ação, além dos benefícios de um veículo diversificado, simples e transparente", pontua Karina Saade, head da BlackRock no Brasil.

Leia mais

Sobre o autor
Bruna Miato
Repórter na Mais Retorno