Empresa

As varejistas Americanas e Lojas Marisa têm no radar a possibilidade de um M&A num futuro próximo. Enquanto a rede de vestuários busca conseguir um sócio para o MBank Marisa, seu braço de operações e serviços financeiros, a Americanas sinaliza ter interesse em adquirir todo o negócio. As informações são de fontes próximas às empresas e foram divulgadas pelo portal Pipeline.

Após a informação circular pelo mercado, a Lojas Marisa viveu um dia de ganhos na B3, a Bolsa de Valores brasileira. As ações da companhia registraram uma valorização de 6,79%, negociadas a R$ 7,86. Em contrapartida, a Americanas fechou o pregão com uma variação negativa de 2,41% em seus papéis, vendidos a R$ 46,50.

americanas lojas marisa
Ações das companhias sobem após os rumores circularem no mercado

De acordo com o Pipeline, a negociação entre as varejistas se daria com a compra da rede de vestuários por parte da plataforma de e-commerce. Esse acordo envolveria a troca de ações e uma "parte relevante em caixa".

Não há consenso, no entanto, entre a família Goldfarb, fundadora e controladora da Lojas Marisa, a respeito da venda total da companhia. Em fato relevante divulgado na noite desta quinta-feira, a empresa afirma que "não possui neste momento qualquer acordo concreto para realização de uma operação, seja com as Americanas ou qualquer outro". Entretanto, a rede não descartou os rumores que circulam no mercado.

O que é certo até o momento é que a Marisa, para além das possibilidades de acordo com a Americanas, está buscando e avaliando alternativas para otimizar sua estrutura de capital, incluindo a unidade de negócios do Mbank. Ainda no documento apresentado na véspera, a companhia informa que contratou assessoria da Lazard.

Interesses da Americanas e Lojas Marisa

Também em fato relevante enviado ao mercado poucos minutos depois da rede de vestuário da família Goldfarb, a Americanas informou que "sempre monitora, no curso normal de seus negócios, inclusive por meio de seus assessores financeiros, potenciais oportunidades no mercado."

O documento ainda esclarece que houve contato preliminar entre os assessores das duas empresas, mas sem a formalização de interesse por parte da gigante varejista.

O potencial interesse da Americanas pela Lojas Marisa pode ser justificado pela forte presença desta entre os segmentos populacionais de mais baixa renda. Além disso, a rede pode oferecer para o e-commerce uma maior variedade de opções de roupas e calçados.

A Marisa, por sua vez, segundo um executivo ouvido pelo Pipeline, "avalia a possibilidade de atrair um sócio financeiro ou estratégico para seu plano de banco digital da baixa renda, catalisado pela base de mais de 10 milhões de clientes que (em tempos normais) circulam pelas lojas por ano."

Em maio deste ano, a companhia unificou suas operações e serviços financeiros, o que deu origem ao MBank. De acordo com a própria empresa, logo em seu lançamento o produto já contava com dois milhões de clientes. O executivo afirma que, até o fim do ano, a Lojas Marisa quer lançar, com o MBank, conta digital e outros produtos financeiros.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais