Open Nav

IGP – Índice Geral de Preços

O que é o IGP - Índice Geral de Preços?

Índice Geral de Preços, mais conhecido pela sigla IGP, é o nome dado a um tipo específico de índice de preços elaborado pelo Instituto Brasileiro de Economia (o IBRE). Além dele, existem ainda outros importantes índices levantados pela mesma organização, como é o caso do IPC, do IPA e do INCC... Todos sendo usados para medir a inflação em diferentes setores e categorias.

Mas você sabe exatamente o que é um índice de preços? Quais são os seus objetos de estudo? Quais são as consequências de suas medições para a sua vida financeira e para a sociedade geral? Não? Pois bem, antes de nos debruçarmos sobre o IGP, é importante esclarecer cada um desses pontos. Afinal de contas, uma vez ciente das respostas, fica MUITO mais fácil entender o IGP e o seu impacto. Vamos lá!


O que é um índice de preços? Qual é o objeto de estudo do IGP?

Por definição, um índice de preço se dedica a mensurar o comportamento dos preços em determinado setor ou categoria. Como as cotações são tidas como o espelho mais preciso da balança da oferta e da demanda, expressando em sua evolução quando há queda ou aumento em um dos lados e como isso se relaciona com todas as outras atividades econômicas, os indicadores baseados nos preços são ferramentas fundamentais quando se trata de entender a circulação da riqueza em uma localidade. 

No entanto, dizer que os índices de preços medem a inflação é uma generalização. Isso porque em contextos de deflação, ou mesmo desinflação , os índices não desaparecem: eles continuam medindo o comportamento dos preços nesses casos, que ao invés de evoluir, retrocede.

Além dos índices considerados bens públicos, que o IBRE divulga livremente, o instituto ainda presta serviços contratados. Isso quer dizer que organizações podem solicitar índices específicos, que tenham como foco objetos de estudo mais variados - depende muito da sua necessidade.

No caso do IGP, que se enquadra ainda no primeiro tipo (bem público), o objeto de estudo são todos os bens que circulam na economia: de bens de produção a bens de capital e bens de consumo. 

Caso você não esteja familiarizado com essas definições de bens, saiba que é bem fácil de entender:

  • Os bens de produção são aqueles usados pelas empresas para produzir outros produtos;
  • Os bens de capital não são transformados nem inseridos, mas auxiliam na produção desses novos produtos, como no caso das máquinas usadas nas fábricas;
  • Os bens de consumo são aqueles destinados já ao consumidor final.

Como funciona o IGP - Índice Geral de Preços?

O IGP é composto de uma maneira diferente, quando comparado a outros índices de preço. Isso porque é a partir justamente dos resultados desses outros índices que ele é auferido.

O IGP resulta da média aritmética ponderada de três outros índices de preços, sendo que cada um possui um peso diferente no resultado final:

  • 60% para o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA);
  • 30% para o Índice de Preços ao Consumidor (IPC);
  • 10% para o Índice Nacional de Custos de Construção (INCC).

Daqui, surgem três tipos diferentes de IGP. O IGP-M (sigla para Índice Geral de Preços - Mercado), comumente usado como referência para a correção nos valores referentes a contratos de aluguel de imóveis. Já o IGP-DI (sigla para Índice Geral de Preços - Disponibilidade Imediata) e o IGP-10 são usados de forma mais generalizadas, servindo a todo tipo de contrato.

Por fim, o que diferencia mesmo uma modalidade de IGP da outra é apenas o período do mês em que os dados foram coletados. 

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão


Conheça também os termos relacionados