Última modificação em 29 de março de 2019

O que é mercado de Balcão?

O mercado de balcão é onde são realizadas as operações fora de um ambiente de bolsa. Seus negócios podem ser conduzidos tanto diretamente entre as partes como por meio de uma instituição financeira.

Ele é bastante útil para a negociação de ativos cuja complexidade ou exigências para a listagem em bolsa tornam o seu custo impeditivo. Nos mercados financeiros internacionais, por exemplo, são encontrados:

Quando intermediados por uma ou mais instituições financeiras, essas atuam como market makers; ou seja, oferecem liquidez ao colocarem diariamente cotações para compra e venda de um determinado ativo.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Quais as limitações de um mercado de balcão?

Uma das características que marcam esse tipo de mercado é a pouca informação pública disponível. Isso se deve às mínimas exigências impostas pelas autoridades regulatórias, visto o seu entendimento de que se tratam de atividades habituais, conduzidas por pessoas conhecedoras do negócio.

Entretanto, por serem realizadas fora de uma bolsa, elas não contam com uma estrutura mitigadora de riscos. Assim, seus agentes ficam expostos a:

O aperto na regulamentação surtiu o efeito desejado de tornar esse sistema mais seguro; com operações mais transparentes e padronizadas, as ordens são executadas e as operações liquidadas sem sustos.

Quais as operações realizadas no mercado de balcão brasileiro?

O mercado de balcão negocia os mais diversos títulos e contratos no Brasil, como ações, BDRs, Fundos Imobiliários, entre outros. Dentre esses ativos, se destacam:

Contrato a termo

Seu modo de funcionamento é bastante simples: as contrapartes definem o ativo, seu preço e a data futura para a entrega.

Como é elaborado de acordo com as necessidades dos agentes, ele não segue um padrão específico. Além disso, sua aplicabilidade não se limita a ativos financeiros.

Tendo o objetivo de assegurar um preço para um bem cujo valor pode oscilar, os contratos a termo também são usados no mercado de energia elétrica.

Sua principal limitação é o fato dele não permitir qualquer alteração, dado que não pode ser desfeito ou transferido a terceiros sem causar prejuízos às partes.

Swap

No caso do swap, as operações são intermediadas por uma instituição financeira. Ela é a responsável por efetuar a troca nos parâmetros de remuneração de um determinado fluxo de caixa.

Por envolver um indicador, índice ou moeda, o swap visa proteger um passivo; ou seja, as dívidas contraídas por uma empresa ou governo.

Nesse tipo de contrato, o banco pode atuar de 2 formas:

Chegada a data de vencimento da operação, a compensação é feita financeiramente, por meio dos respectivos débitos e créditos. Tal como no contrato a termo, o swap também não pode ser desfeito antes do prazo.

Porém, a instituição financeira pode optar entre colocá-lo na sua carteira própria, como proteção contra as suas outras operações ou buscar uma outra contraparte.

Descomplicando a Bolsa de Valores

Termo do dia

Plano Cruzado

O que foi o Plano Cruzado? O Plano Cruzado foi um ajuste do governo federal implantado em 1986 para tentar controlar a economia ante o aumento…

Veja outros termos