Em 2017 o Ibovespa teve um desempenho bastante expressivo e subiu 26,8% no acumulado do ano. Em 2018, até agosto o índice não apresentou uma grande performance e já teve queda de 4,76%, apenas no primeiro semestre do ano.

Esse indicador é muito famoso no mercado financeiro e sempre citado nos jornais, desde os mais populares até os mais focados para o público de finanças. Provavelmente, você já deve ter ouvido falar que o Ibovespa subiu x% e atingiu tantos pontos.

Mas o que isso quer dizer? Pontos? Quais pontos? Por que ele é tão falado? Como é constituído?

É o que vou aprofundar no texto de hoje.

Por isso, continue lendo para saber mais sobre:

  1. O que é Ibovespa e para que serve
  2. Como o Ibovespa é calculado
  3. Críticas ao Índice Bovespa

O que é o Ibovespa e para que serve

O que é Ibovespa

O Ibovespa é o indicador de referência mais importante do mercado acionário brasileiro. É uma espécie de termômetro de como estão as ações no Brasil.

Ele mede o desempenho médio de uma carteira de ações do Brasil. É daí que vem o os pontos que você vê que o Ibovespa tem.

Ibovespa vem do nome da bolsa de valores de São Paulo, Bovespa, que agora virou B3. Pode ser conhecido também como IBOV.

Ele é uma carteira teórica composta pelas 67 ações mais negociadas na bolsa. É uma simulação de uma carteira com essas ações. Logo, comprar o índice significa comprar todas essas ações em conjunto e formar a carteira teórica do Ibovespa.

Ele reúne as ações mais negociadas do mercado, algo que dá em torno de 80% das negociações. Ou seja, ele representa boa parte do mercado de ações no Brasil.

Você pode consultar diretamente no site da BMFBovespa a metodologia do índice.

É por isso que ele é continuamente acompanhado pelo mercado, pois reflete como os resultados das principais empresas estão evoluindo.

É a base que o mercado financeiro toma para a evolução da renda variável e é por isso que ele serve como um indicador de referência para o mercado de ações.

Logo, fundos de ações o utilizam como o benchmark. Ou seja, já que são fundos do mercado de ações, eles vão ter o objetivo de no mínimo acompanhar o Ibovespa ou, de preferência, superá-lo.

Portanto o Ibovespa baliza todos os rendimentos de renda variável. É o parâmetro desses investimentos.

Em si o Ibovespa representa apenas como o mercado está evoluindo. Obviamente que, ao analisarmos a volatilidade do índice, também teremos uma medida de risco dos investimentos em ações no Brasil.

Como o Ibovespa é formado por ações de empresas que desempenham um papel importante na economia – empresas com grande representatividade econômica e de diversos setores econômicos -, acaba sendo um termômetro para o desenvolvimento da economia e das finanças nacionais.

Além disso, é o indicador observado ao redor do mundo. Ou seja, os estrangeiros, quando desejam saber como está o mercado brasileiro, olham para esse índice. Isso é importante já que os estrangeiros constituem uma parte relevante de investidores no país.

É o paralelo dos famosos índices Dow Jones, S&P500 e Nasdaq, que são os parâmetros do mercado de ações norte americano.

Como o Ibovespa é calculado

Como o Ibovespa é calculado

Bom, primeiro vamos falar dos pontos. O Ibovespa hoje vale em torno de 75 mil pontos. Ele já atingiu uma máxima próxima de 90 mil pontos.

Cada ponto do Ibovespa equivale a 1 real. Logo, o Ibovespa vale em torno de 75 mil reais.

Então, quando a pontuação do Ibovespa sobe, equivale dizer que, na média, as ações que compõem o índice subiram de valor. Se ela cair, significa que boa parte dos papéis fecharam o dia no vermelho.

Agora como calcular essa pontuação?

Primeiramente, o Ibovespa é atualizado a cada 3 meses.

Para entrar na metodologia de cálculo do Ibovespa, a ação precisa obedecer aos seguintes critérios:

  1. Ter sido negociada em mais de 95% dos pregões (sessões diárias de negociação) dos últimos três meses.
  2. Ter participação, em termos de volume financeiro negociado, maior ou igual a 0,1% do volume total negociado no mercado no período de vigência das últimas 3 carteiras.
  3. Não ser classificada como uma Penny Stock, ou seja, ações que são negociadas fora das principais bolsas.

Você viu que o período de vigência das últimas carteiras é importante para a seleção da ação e se ela entra ou não na seleção.

Mas e se uma ação é emitida recentemente e não der tempo de ter sido negociada no período de vigência das últimas carteiras? Ela não tem possibilidade de entrar no cálculo?

Calma. Ela poderá também ser elegível ao índice, desde que tenha sido negociada em mais de 95% dos pregões desde a sua abertura.

Agora que temos as regras de elegibilidade, é preciso entender como cada ação compõe o índice.

O volume que a ação é negociada é muito importante aqui.

Como falei lá em cima, o índice é composto das ações que representam 80% das negociações do mercado acionário total.

Cada ação tem maior peso no Ibovespa conforme sua negociação aumenta. Assim, o índice também conserva uma representatividade da situação econômica.

É natural que empresas que são mais negociadas (e, portanto, as maiores) tenha uma representatividade maior do que empresas que são pouco negociadas.

Você pode consultar a carteira Ibovespa clicando aqui.

A Vale é a ação com maior peso no índice com 13,6%, em seguida tem-se o Itaú com 10,1%, e Bradesco completa o Top-3 com 7,3%. São 67 ações que compõe o índice.

É claro, nem todas as ações do índice sobem ou caem por igual. Com base no peso e na variação de cada ação, é calculada a variação para o índice total.

Críticas ao Índice Bovespa

Críticas ao Índice Ibovespa

O Ibovespa, como você já deve ter percebido, é um ótimo parâmetro para quão aquecido ou não está o mercado acionário brasileiro e, no fim, até mesmo como a economia está evoluindo.

Porém, como qualquer índice, ele não é perfeito.

Primeiro, como um defeito do índice, podemos falar de sua metodologia.

O Ibovespa, para ser formado, tem como base a liquidez da empresa, ou seja, o quanto a ação é negociada. Assim, a seleção não é feita com base em valor da empresa, o que poderia representar mais a situação econômica.

É claro, existe uma relação grande entre a liquidez e o valor da empresa, mas ela não é linear ou direta.

Outra crítica está na concentração de ações no Ibovespa.

Lá em cima eu citei as três empresas com maior peso no Ibovespa. Se você somar as três, verá que elas totalizam sozinhas 31% do índice. Isso mesmo, apenas três empresas, de 67, concentram 31% do resultado total do índice!

Se você entrar no link que coloquei com a carteira e verificar as dez primeiras, a concentração será de 59,1%.

Essa concentração resulta em distorções que o índice pode gerar.

Às vezes, uma empresa de maior representatividade pode ter um desempenho muito diferente das demais e puxar todo o índice. Assim, a variação dele não irá se traduzir na realidade perfeita.

Além disso, o Ibovespa não representa a totalidade das ações existentes no mercado.

As 67 ações não refletem todo o mercado, que é composto por mais de 400 empresas de capital aberto.

Conclusão

Índice Bovespa, Ibov, ou Ibovespa, é o indicador mãe do mercado de ações brasileiro.

Ele baliza os rendimentos de fundos de investimentos acionários, além de ser uma métrica conhecida ao redor do mundo, tal como o Dow Jones dos EUA.

É um índice e, assim, tem metodologias especificas para ser calculado, sendo que é composto pelas principais empresas do Brasil. Tender a refletir, portanto, também a situação econômica do país.

Não é perfeito, tendo algumas críticas metodológicas e de representatividade, mesmo assim, é importante termômetro e deve ser acompanhado.

Mas e você? Utiliza algum índice de referência para acompanhar o mercado de renda variável? Se ficou com alguma dúvida ou quer contribuir mais com o assunto, comente abaixo!

Compartilhe esse conteúdo com mais investidores que você deseja ajudar a conquistar Mais Retorno conhecendo mais profundamente como funciona o Ibovespa:

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais:

Ibovespa: o que é, como funciona e para que serve
4.8 (95%) 4 votos